Casais que ficaram separados por conta da pandemia

maio 22, 2020
O amor em tempos de incerteza não é fácil, ainda mais estando confinado e separado do parceiro. Essa situação coloca todos à prova e, portanto, devemos considerar uma série de dicas para enfrentar melhor essa realidade.

Muitos casais ficaram separados durante a pandemia. As causas são múltiplas e as circunstâncias muito particulares. De qualquer forma, esse fato representa mais um desafio relacionado à complexa situação atual, uma prova de fogo em que ambas as partes devem mobilizar esforços, intenções e confiança para garantir que o vínculo seja mantido.

Algo que os especialistas já intuíam é que o confinamento seria um desafio para os relacionamentos amorosos. No entanto, o olhar sempre se volta para aqueles que compartilham a mesma casa e os possíveis problemas causados ​​por tantas horas compartilhadas sob o mesmo teto.

Os casamentos e as uniões também estão em estado de alerta, e aqueles que já estavam passando por desentendimentos prévios agora podem ver como as crises emocionais aumentam ainda mais.

No entanto, também existe esse outro lado da moeda. O daqueles que repentinamente foram separados por conta da pandemia.

Casais jovens que ainda não têm uma casa em comum permanecem em suas casas longe de seus parceiros. Há também aqueles que, por razões profissionais, geográficas ou familiares, passam pela quarenta a dezenas de quilômetros da pessoa amada.

Não é fácil. Mas não porque o amor em tempos de incerteza não estabelece uma data específica no horizonte para o reencontro e o retorno à normalidade, mas porque a vida cotidiana sem a presença física, sem a rotina que antes acomodava o afeto e os projetos comuns, é um tanto estranha e desconfortável. Trata-se de algo que gera sofrimento para muitos casais.

Homem sentindo falta da namorada

Casais que ficaram separados por conta da pandemia: como lidar com essa situação?

Os casais que ficaram separados por conta da pandemia não o fizeram por vontade própria. As circunstâncias de cada pessoa são muito particulares e, muitas vezes, elas podem enfrentar realidades únicas.

Existem, por exemplo, os adolescentes que lidam com a separação de seus primeiros parceiros, sem saber como lidar com essa situação tão inesperada. A tecnologia ajuda, é claro, mas alguns mantêm esse amor de maneira escondida dos pais.

Da mesma forma, também existem os casais separados por grandes distâncias, e até por um continente. Por outro lado, existem aqueles que já moravam em casas diferentes, mas se viam nos fins de semana.

Os relacionamentos afetivos são realidades muito variadas, mas por mais diferentes que sejam uns dos outros, o sentimento é real e a dificuldade imposta por essa circunstância é profunda.

Vamos analisar algumas estratégias que devemos considerar para cuidar desse vínculo à distância.

Confiança: o amor não é demonstrado estando conectado 24 horas

Os casais que ficaram separados por conta da pandemia têm as novas tecnologias como suas melhores aliadas. As mensagens e videochamadas são meios extraordinários com os quais podem conversar, ver um ao outro, interagir e rir. O dia fica mais agradável, sendo possível continuar compartilhando momentos de afeto e magia.

No entanto, há algo mais importante do que estar conectado: a confiança. Isso significa passar duas, três ou quatro horas sem enviar uma mensagem e nada mudar.

O amor não é estar 24 horas juntos ou ficar o dia todo online ou conectado no Zoom ou no Skype. O amor também é demonstrado dando espaço e tempo para cada um.

Os compromissos e planos futuros não estão cancelados

A distância é difícil, a falta de contato físico dói e incomoda quando não está presente em um relacionamento. No entanto, a pandemia atual está exigindo um exercício de sobrevivência abrupto para todos, inclusive para os casais que ficaram separados por conta da pandemia.

Uma maneira de diminuir a dor emocional do presente é colocar a esperança no futuro.

Os compromissos e planos futuros não estão cancelados. Procure falar sobre as coisas que ainda estão por fazer e viver.

Fale sobre viagens, sobre as coisas que você pode fazer amanhã. Tenha sonhos futuros quando o presente for difícil para você, sem a pessoa amada ao seu lado.

Mulher usando o celular

Que nunca falte um “como você está?”

Você pode conversar com o seu parceiro sobre o que fez hoje e sobre as suas preocupações e medos. No entanto, nunca deixe de lado a reciprocidade, e lembre-se de que amar é cuidar; é cuidar do outro. Não deixe passar um dia sem perguntar à pessoa amada como ela está e como está lidando com a situação.

No atual contexto, o humor tende a flutuar bastante ao longo do dia. Se o entusiasmo o acompanha de manhã, é possível que a angústia o visite no meio da tarde. Ter seu parceiro para compartilhar esses momentos é de grande ajuda.

Um tempo para se conhecer melhor

Viver situações inesperadas nos permite conhecer as pessoas mais profundamente. É nos momentos difíceis que seus valores, afetos, intenções e personalidade devem ser mais evidentes. Agora, você tem uma oportunidade única e excepcional de aprender mais sobre o seu parceiro.

No fim das contas, a distância é um cenário que o obriga a reconstruir o relacionamento e no qual são gerados novos espaços para se redescobrir, refletir sobre pensamentos, desejos, história pessoal, objetivos e esperanças. Pode ser difícil, não há dúvida. O amor pela internet é frio, mas permite a comunicação, e isso é essencial. Tire proveito disso.