Conheça o italiano de 101 anos que venceu o coronavírus

maio 22, 2020
Alberto Belluci escapou dos nazistas em três ocasiões durante a Segunda Guerra Mundial. Este italiano está prestes a completar 102 anos e acaba de superar o coronavírus. Uma história cheia de esperança que nos emociona no momento atual.

O nome dele é Alberto Belluci e ele já havia sobrevivido à gripe espanhola, que ocorreu entre 1918 e 1920. Este homem virou notícia em todo o mundo: o italiano de 101 anos que venceu o coronavírus é até agora a segunda pessoa mais velha a conseguir superar a doença. Vale ressaltar que ele completará incríveis 102 anos em abril.

Em meio a um contexto de escuridão tão profunda em que o número de infectados e falecidos continua a nos deixar sem fôlego, essas histórias nos trazem luz. Além disso, o caso de Belluci não é o único.

Zhang Guangfen é outra sobrevivente da atual pandemia. Ela foi uma paciente em Wuhan, a cidade epicentro do surto, que, aos 103 anos, recebeu alta após passar 6 dias em terapia intensiva.

O COVID-19, como sabemos, é virulento especialmente nos idosos, mas todos os dias ficamos sabendo de mais exceções. São muitas as famílias que vão emocionadas aos centros de saúde buscar seus pais idosos, seus valentes avós que já têm um histórico de superar dificuldades, e agora, os efeitos de uma pandemia que ninguém esperava.

O que explica esses casos? Por que existem pacientes de idades tão avançadas que são capazes de superar a doença? Talvez seja o destino, um sistema imunológico à prova de fogo, a sorte ou um vírus desconhecido que opte por ter piedade de alguns e não de outros. Não sabemos. Seja como for, essas histórias nos injetam incentivo e esperança.

Paciente idoso com coronavírus

O italiano de 101 anos que venceu o coronavírus

Os números sobre o coronavírus na Itália são devastadores. Hoje, com um total de 110.000 infectados e mais de 13.000 mortes, parece que o contágio está começando a diminuir. É um fio de esperança ao qual as pessoas podem se agarrar, especialmente na Lombardia, região italiana que recebeu o maior impacto do COVID-19.

No entanto, além da área da saúde, existe o plano social e o problema de que uma parte da população já não tem recursos para algo tão básico quanto a alimentação.

Um dos países mais bonitos do mundo continua nesse período eterno marcado pela angústia e pela incerteza. Talvez por isso a história de que um homem de 101 anos tenha superado o coronavírus seja, sem dúvida, uma das mais compartilhadas durante esses dias.

Jornais como o Corriere della Sera ecoaram essa notícia, que logo foi compartilhada em quase todo o mundo. Embora seja verdade que existem muitos casos de idosos que superaram os efeitos do coronavírus, parece que o relato pessoal do senhor Alberto Belluci é especial.

O herói de Rimini

Quando lemos a manchete de que um italiano de 101 anos venceu o coronavírus, não é difícil imaginar o que seus olhos já podem ter visto. Sabemos que, em mais de um século, ele passou pelo final da Primeira Guerra Mundial na infância e lidou com a segunda na maturidade. Alberto Belluci é de Rimini, cidade localizada na costa do Adriático e região do norte da Itália que mais é afetada pelo coronavírus atualmente.

Quando ele ficou doente e começou a sofrer de problemas respiratórios, sua neta Elisa teve que ligar para os serviços de saúde para que buscassem seu avô. Pouco antes de deixá-lo ir, e talvez com a agonizante ideia de que talvez fosse a última vez em que o veria, ela não hesitou em lhe dizer algo: “Esse vírus não é nada comparado aos alemães que você enfrentou. Você tem que voltar, vovô”.

E assim Alberto Belluci o fez. Ele voltou para junto da sua família. Mesmo agora, nas entrevistas que concede à mídia em seu país, ele enfatiza a mensagem de que o coronavírus não é nada comparado a tudo o que viveu no passado. Ele, que nasceu em meio à pandemia da gripe espanhola, sobreviveu à Segunda Guerra Mundial escapando dos nazistas em três ocasiões.

Como ele não iria voltar para sua família dessa vez? Ninguém poderia impedi-lo.

Homem sozinho em píer

O futuro não está escrito para ninguém, todos nós podemos sobreviver

A manchete de que um homem de 101 anos venceu o coronavírus emociona e anima por vários motivos. O primeiro, pelo fato dele ser da Itália, um país que, juntamente com a Espanha, é um dos mais castigados pelo coronavírus. O segundo, porque o próprio protagonista enfatiza que o futuro não está escrito para ninguém.

O prefeito de Rimini o descreve como um herói, alguém que, na sua idade, mostra que os milagres existem. No entanto, o próprio Alberto Belluci destaca um fato: ele sentiu muito medo. Ao seu redor, as pessoas morriam em completa solidão, sem a proximidade e o carinho de seus entes queridos.

Enquanto ele assistia a esse drama, apenas um pensamento passava em sua mente, um que ele repete para os jornalistas quando o entrevistam: “A casa mi aspettavano” (eles estavam me esperando em casa). E, de fato, esse morador de Rimini voltou para a sua família. Agora ele só quer descansar, comer algo quente e continuar recebendo os abraços da sua família.