Memes e coronavírus: o humor como mecanismo de sobrevivência?

maio 22, 2020
Rir de memes nas circunstâncias atuais não é um ato de frivolidade. No momento, o senso de humor é mais necessário do que nunca, pois alivia o estresse e também faz com que nos sintamos mais unidos ao nos identificarmos com as mesmas situações e problemas.

Parece quase impensável que o senso de humor continue existindo nas circunstâncias atuais. No entanto, o que seria do ser humano sem sua capacidade de rir ou despertar o sorriso alheio? Nós morreríamos de tristeza, não há dúvida. Por esse motivo, ultimamente estamos vendo uma simbiose, tão estranha quanto fascinante, na qual memes e coronavírus colocam um sorriso nos nossos rostos quase sem querer ao longo dos últimos dias.

Em um mundo on-line e hiperconectado, esses tipos de recursos e interações estão aliviando a ansiedade de muitas pessoas. São pequenos suspiros de motivação e perspicácia que compartilhamos em nossas páginas, nossos stories e por mensagens no WhatsApp. Será que tudo isso é um ato de frivolidade diante do que está acontecendo?

A resposta é simples: não. Não estamos sendo frívolos nem minimizando a percepção do que está acontecendo ao nosso redor. Estamos apenas tentando sobreviver, e o humor é um mecanismo ideal e mais necessário do que nunca nessas circunstâncias, desde que esses recursos sejam respeitosos e não gerem mais dor por meio de um humor que despreza ou transmite informações e ideias falsas.

Vamos nos aprofundar um pouco mais nesse tema.

Pintura fazendo piada com coronavírus

Memes e coronavírus: o humor em contextos de crise

Neil Diamond publicou há alguns dias uma versão alternativa de seu super clássico Sweet Caroline. Agora, essa música viralizou com a letra original alterada, substituída por “lave as mãos”. Em uma igreja de Providence, em Rhode Island, o pastor colocou uma grande placa na porta que dizia: “Eu não tinha planejado renunciar a tantas coisas na Quaresma”.

Toda vez que abrimos as redes sociais, encontramos comentários originais. Em meio às más notícias e às imagens que deixam nossos corações partidos, encontramos pequenas pinceladas de humor. Portanto, não devemos nos sentir mal se acabarmos rindo, porque rir é sinônimo de saúde. O riso e o senso de humor são um mecanismo de bem-estar para o nosso cérebro.

Os memes relacionados ao coronavírus constituem um fenômeno comum ao qual temos nos acostumado. Por outro lado, nós não nos acostumamos aos efeitos da pandemia, ao número de infectados, às perdas humanas e à angústia.

Em um cenário em que nossa mente está suspensa em um estado de incerteza permanente, o humor funciona como uma âncora e como uma estratégia momentânea para reduzir tensões e medos. É apenas um curativo temporário, mas, como tal, é necessário.

Memes e coronavírus: Harry Potter

O humor em cenários de adversidade, um recurso comum

Apesar de o fenômeno dos memes e do coronavírus ser um fato que germina nesses momentos, no passado já vivemos situações semelhantes.

Na Primeira e na Segunda Guerra Mundial, as pessoas pintaram frases e desenhos nas paredes ironizando a situação e, especificamente, ridicularizando o inimigo. Os desenhos em quadrinhos dos jornais da época eram os nossos memes de agora. 

Seu objetivo não era menosprezar a situação, de forma alguma. O humor era um bote salva-vidas e um foguete que transmitia motivação a cada soldado, a cada pessoa que estava tentando sobreviver. Independentemente do que podemos acreditar, as pessoas são “projetadas” para fazer uso do senso de humor, mesmo nas circunstâncias mais difíceis.

Por exemplo, um estudo realizado pela doutora Anne Ghilmette da Universidade de Brock (no Canadá) provou como os risos, as piadas e o humor transmitidos na televisão, nas redes sociais ou entre amigos funcionam como um mecanismo de enfrentamento. O humor minimiza o estresse, a ansiedade e o medo, e funciona como um recurso não apenas ideal, mas também necessário em cenários de adversidade como o atual.

Memes relacionados ao coronavírus

Memes e coronavírus, quando a perspicácia atua como um bem comum

O fenômeno dos memes e do coronavírus tem mais benefícios do que o simples (e necessário) fato de nos fazer rir. Uma razão pela qual nos sentimos bem com isso é porque, de alguma forma, todos nós nos identificamos com essas imagens, essas frases.

Os memes têm poder porque conseguem prender nossa atenção em poucos segundos e nós os interpretamos muito rapidamente. O que eles nos dizem e transmitem é familiar, porque nos vemos representados neles.

Assim, descobrir que todos estamos passando pela mesma situação gera alívio e bem-estar. Todos nós já vimos pessoas nos supermercados carregando torres de papel higiênico. Todos já saímos para fazer compras com uma sensação inusitada de heroísmo e responsabilidade.

As máscaras agora são um objeto de valor e desejo, o acessório da moda que nunca teríamos desejado incluir no nosso dia a dia.

Em momentos de desespero, o humor nos centra e também nos une. Portanto, desde que esses memes sejam respeitosos e não tragam informações falsas ou ofensivas, serão bem-vindos. São pinceladas de perspicácia e saúde que vale a pena compartilhar.

Meme sobre a Semana Santa

  • Guilmette, A. M. (2008). Review of The psychology of humor: An integrative approach. Canadian Psychology/Psychologie Canadienne49(3), 267–268. https://doi.org/10.1037/a0012776