Por que me sinto inferior ao meu parceiro?

A baixa autoestima costuma ser uma das causas mais comuns quando alguém se sente inferior ao parceiro, mas não é a única. Descubra-as!
Por que me sinto inferior ao meu parceiro?

Última atualização: 07 Dezembro, 2021

Você se sente inferior ao seu parceiro e não entende por quê? Uma das possíveis explicações para esse fato é a falta de autoconfiança. Segundo a psicóloga Maribi Pereira, as pessoas inseguras agem de maneiras diferentes. Alguns buscam o reforço de outras pessoas para se sentirem aceitos pelo ambiente, e outros apresentam falsa segurança, fazendo com que outros se sintam incomodados, questionados ou intimidados.

Assim, pode ser você a pessoa insegura ou pode ser o seu parceiro, que usa esse último mecanismo que Pereira comenta para fazer você se sentir inferiorizado em relação a ele ou ela. Porém, na maioria das vezes é uma questão que tem a ver com você mesmo. Portanto, trabalhar uma boa autoestima pode nos poupar desse tipo de problemas, pois sempre haverá pessoas melhores do que nós em alguma área, e isso não tem que nos afetar!

O problema surge quando isso interfere em nosso bem-estar e realmente nos afeta. Então, quais seriam algumas das causas pelas quais nos sentimos inferiores ao nosso parceiro? A resposta, a seguir!

Por que me sinto inferior ao meu parceiro?

“Eu me sinto inferior ao meu parceiro e não entendo por quê.” Este pensamento vem frequentemente à sua mente? Segundo a jornalista Melanie Quintana, os exemplos mais típicos em que tendemos a nos sentir inferiores ao nosso parceiro são os seguintes:

  • Você se sente “pouca coisa” ao seu lado.
  • Você acha que seu parceiro é mais atraente do que você.
  • Você  compara o trabalho dele ou dela com o seu.
  • Você  não para de pensar que ele ou ela tem mais sucesso no trabalho e socialmente do que você.
  • Você  acha que essa pessoa é mais divertida ou interessante.
  • Você compara a inteligência dele ou dela com a sua.
Casal problemático

Agora, por que isso acontece? Vamos tentar descrever as causas mais prováveis desta situação:

Você tem baixa autoestima

Uma das possíveis causas de você se sentir inferior ao seu parceiro é a baixa autoestima. Pessoas com autoestima adequada, seguras de si, não costumam se comparar com as outras, muito menos se sentir inferiores.

Todas as pessoas passam por estágios bons e ruins, nos quais a autoestima oscila ao longo da vida. No entanto, se o negligenciarmos e ele vacilar, isso pode gerar sentimentos de inferioridade em relação ao nosso parceiro (ou a qualquer outra pessoa).

Você idealiza excessivamente seu parceiro

Quando nos apaixonamos, tendemos a idealizar a outra pessoa. No entanto, “superar” esse estágio de paixão não significa automaticamente que paramos de idealizar nosso parceiro.

Assim, podemos continuar a idealizar essa pessoa muito tempo depois de cair no amor. Mas, se essa idealização for excessiva, pode levar a alguns problemas, como sentir-se inferiorior (o que pode ser acentuado se também tivermos baixa autoestima).

Podemos estar na frente de um complexo Brunhilda ? Segundo Marián Carrero (2020), esse fenômeno consiste em um complexo inconsciente que surge quando, em uma relação, a mulher elogia extremamente seu parceiro, mergulhado em uma paixão profunda. Desta forma, ela o considera um “super-homem” ou um “super-herói”. Ou, em outras palavras, o ser mais extraordinário do planeta.

Você constantemente se compara

Diante da pergunta “Sinto-me inferior”, outra possível causa que explica esse fenômeno é a comparação constante com a outra pessoa. Esse ponto está relacionado às causas já citadas, pois, a comparação constante com o parceiro, costuma ser produto da baixa autoestima e da idealização excessiva. Quando esses três aspectos se unem, é um coquetel perfeito para se sentir inferior a ele.

“Querer ser outra pessoa é desperdiçar a pessoa que você é”

-Marilyn Monroe-

Todos nós nos comparamos em algum ponto, no entanto, é prejudicial quando o fazemos com frequência e prestamos muita atenção aos nossos pontos fracos. Pessoas felizes são felizes porque não se importam se os outros são melhores ou piores do que elas. Portanto, se decidirmos nos comparar com os outros de qualquer maneira, vamos fazer isso para melhor! Ou para nos motivar a sermos melhores.

Você tem um parceiro narcisista

E se seu parceiro for narcisista? Isso também poderia explicar por que você se sente inferior a ele (embora, insistimos, sempre haja um problema de insegurança básica em si mesmo que nos faz sentir assim). Os narcisistas podem reprimir os outros, mesmo de maneiras sutis.

Eles também podem questionar seus parceiros, ter uma atitude paternalista em relação a eles ou mesmo entender as relações de casal como uma luta de poder em que um membro tem que ser o vencedor.

Mulher em silêncio com seu parceiro

Eu me sinto inferior ao meu parceiro: múltiplas causas

Vimos algumas das causas mais frequentes que podem explicar esse sentimento de inferioridade em relação ao nosso parceiro. Melania Quintana, jornalista da NovaLife – Antena 3, resume sua possível origem da seguinte forma:

“Sentir-se inferior ao nosso parceiro depende de muitos fatores; pode depender de você, pois talvez você já é uma pessoa insegura; pode ser que você tenha idealizado muito o seu parceiro, ou pode ser porque você encontrou um narcisista e isso está afetando sua autoestima. ”

-Melanie Quintana-

É claro que, seja qual for a causa, teremos que trabalhar para descobri-la. Entender isso e ter consciência de como esse problema interfere na sua vida são fatores fundamentais para começar a trabalhar e se sentir melhor.

Lembre-se: nunca se esqueça da sua autoestima! Cuide dela cultivando-a e fazendo coisas de que você gosta e que te fazem sentir bem.

Pode interessar a você...
11 coisas que a baixa autoestima rouba de você
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
11 coisas que a baixa autoestima rouba de você

Existem várias coisas que a baixa autoestima vai roubar de você se você continuar negligenciando esta dimensão. Saiba quais são aqui!



  • American Psychiatric Association -APA- (2014). DSM-5. Manual diagnóstico y estadístico de los trastornos mentales. Madrid. Panamericana.
  • Gottman, John M. (2010). Siete reglas de oro para vivir en pareja. Debolsillo. España.