Por que sonhamos? – A mente é maravilhosa

Por que sonhamos?

março 11, 2015 em Curiosidades 28 Compartilhados

Os sonhos são uma parte insubstituível do que significa ser humano. É por isso que aparecem refletidos na história, na mitologia e na religião. Mas são os sonhos uma parte sem importância da nossa existência ou realmente transcendem ao anedótico?

Passamos um terço de nossas vidas dormindo. No entanto, somente sonhamos por poucos minutos. Se calcularmos uma média, ao longo de nossa vida sonhamos seis anos inteiros. Durante este processo, o cérebro é quase totalmente ativado, necessitando que o fluxo de sangue seja o dobro do necessário durante a vigília. Apenas uma parte do cérebro pára de funcionar enquanto dormimos: o centro lógico. É por isso que os sonhos adquirem, muitas vezes, tons de irrealidade. Além disso, para não exteriorizar nossos sonhos, o cérebro envia sinais para a medula espinhal paralisando assim nossos membros temporariamente. O único que movemos durante o sono, que ocorre durante a fase conhecida como REM, são os nossos olhos que se movem de acordo com a nossa atividade no sonho.

Um papel importante que nosso cérebro desempenha durante o sono é descartar e selecionar as memórias. É por isso que no seguinte a termos estudado lembraremos melhor a matéria se não passarmos a noite inteira olhando notas e dormirmos o tempo necessário. É necessário, portanto, dormir bem para que o que estudamos permaneça em nossa memória no dia seguinte.

Quando sonhamos, nosso cérebro tenta resolver os problemas que nos ocupam durante o dia. Portanto, dormir pode ser a solução para um problema que não conseguimos resolver. Além disso, um sonho pode ser um reflexo fiel ou, na maioria dos casos, simbólico do que ocupa a nossa mente, de nossos medos e de nossos desejos. Por isso são comuns alguns pesadelos que evocam medos como a falta de autoconfiança que muitas vezes se reflete em um sonho no qual a pessoa está nua em um lugar público e não pode se esconder ou se cobrir.

Freud argumentava que a função dos sonhos era satisfazer os nossos desejos e, certamente, não estava errado. No entanto, esta é apenas uma das muitas respostas para a pergunta: por que sonhamos? Que papel os sonhos desempenham?

A verdade é que nem as centenas de páginas de “A Interpretação dos Sonhos”, de Freud, nem os vários estudos que foram feitos sobre os sonhos puderam responder de maneira definitiva todas as perguntas sobre os sonhos. Mas uma coisa nós sabemos:

Não perdemos um terço da nossa vida dormindo.

Recomendados para você