Telemedicina em tempos de quarentena

maio 22, 2020
Embora a telemedicina não seja nova, a atual pandemia de coronavírus a tornou uma ferramenta de uso comum para grande parte da população.

Atualmente, a pandemia de coronavírus representa um desafio muito importante para a nossa sociedade e, principalmente, para o setor da saúde. Devido à quarentena, os procedimentos aos quais estávamos acostumados não são mais válidos. Com isso, é preciso buscar alternativas. Uma delas é a telemedicina.

Embora não seja uma prática nova, muitos não entendem exatamente como ela pode nos ajudar ou se oferece vantagens ou desvantagens. Portanto, neste artigo vamos explicar em que realmente consiste a telemedicina.

O que é a telemedicina?

O que é a telemedicina?

A telemedicina, como seu próprio nome indica, é a medicina à distância. Como dissemos, não é uma ideia nova; ela existe há muitos anos. Surgiu na década de 1970, com o início e o desenvolvimento das novas tecnologias.

Seu objetivo é fornecer cuidados de saúde necessários aos pacientes sem a necessidade de terem que ir ao centro de saúde. Isso é particularmente benéfico para quem está imobilizado ou tem dificuldades para ir à consulta.

A telemedicina costuma utilizar o meio telefônico, pois é a ferramenta mais simples, acessível e econômica para a população em geral. Outras opções incluem as videochamadas pela internet. Elas são mais interessantes por facilitarem a visualização e avaliação física do paciente, embora nem sempre sejam possíveis.

Vantagens da telemedicina

A telemedicina tem várias vantagens que a tornam uma ferramenta útil e eficaz atualmente. Entre elas, destacamos as seguintes:

  • Permite a comunicação entre paciente e médico 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Permite que as consultas sejam agendadas sob demanda da mesma maneira como ocorre nas consultas presenciais.
  • Abre as possibilidades de atendimento médico para pacientes com dificuldade de locomoção.
  • Proporciona rapidez no diagnóstico e na instauração do tratamento.
  • Permite um monitoramento contínuo da patologia do paciente, principalmente em doenças crônicas.
  • Possibilita que os profissionais da área eduquem os pacientes, especialmente no que diz respeito à prevenção.
  • Minimiza a exposição a agentes infecciosos, o que significa proteção para o paciente e o médico.
  • Significa economia de custos.
  • Facilita a redução de listas de espera em consultas com especialistas.

Uma das funções importantes que a telemedicina pode desempenhar, especialmente em tempos de pandemia como agora, é classificar os pacientes de acordo com a sua gravidade. Ou seja, realizar uma triagem para enviar às urgências apenas aqueles que realmente precisam.

Ao mesmo tempo, garante o atendimento dos casos mais leves sem a necessidade de ir a um centro de saúde. Na maioria das vezes, esses pacientes precisam apenas de conselhos e algumas indicações para lidar com a sua situação com facilidade.

Vantagens da telemedicina

Desvantagens

A telemedicina também tem seus fatores detratores. A realidade é que, assim como possui muitas vantagens, também possui desvantagens importantes. Entre elas, podemos destacar as seguintes:

  • Falta de privacidade entre médico e paciente, uma vez que o paciente costuma estar acompanhado por familiares e/ou cuidadores.
  • Dificuldade de acesso às novas tecnologias por parte de grupos populacionais mais desfavorecidos.
  • Possibilidade de falhas no computador, sistema lento, etc.
  • Exigência de tecnologias adaptadas pelos centros de saúde.
  • Impossibilidade de avaliação física do paciente. Por exemplo, não poder ser auscultado no caso de doenças respiratórias.

Outro ponto em relação às desvantagens da telemedicina é como ela pode afetar os pacientes. É verdade que para muitos este é um grande avanço, mas para outros pode se tornar uma fonte de ansiedade. A saúde é um assunto delicado e a maneira de encará-la varia de pessoa para pessoa.

O fato de não ter o médico por perto durante a consulta ou de ele não poder auscultar, entre outros aspectos, são exemplos de situações que podem gerar angústia e preocupação nos pacientes. Pode ser o caso dos idosos; em muitas situações, eles não se sentem confortáveis ​​com as novas tecnologias.

Embora a telemedicina não seja nova, a atual pandemia de coronavírus a tornou uma ferramenta de uso comum de grande parte da população. A medicina à distância tem sido um desafio para a sociedade atual, mas está avançando a passos largos.

  • Castillejo, J. A. P. (2013). Telemedicina, una herramienta también para el médico de familia. Aten Primaria45(3).
  • Rabanales Sotos, J., Párraga Martínez, I., López-Torres Hidalgo, J., Andrés Pretel, F., & Navarro Bravo, B. (2011). Tecnologías de la información y las telecomunicaciones: telemedicina. Revista Clínica de Medicina de Familia4(1), 42-48.
  • Calton, B., Abedini, N., & Fratkin, M. (2020). Telemedicine in the time of coronavirus. Journal of Pain and Symptom Management.