Os efeitos nocivos do açúcar no cérebro

· dezembro 2, 2018

Os discursos da ciência da nutrição mudaram muito ao longo dos anos. Com as últimas pesquisas, descobriu-se que um dos principais inimigos da saúde e causadores da obesidade é o açúcar. No entanto, muita gente não sabe quais são os efeitos do açúcar no cérebro, muito mais nocivos do que poderíamos imaginar.

Além de estar relacionado com doenças do coração ou com a diabetes, o açúcar provoca vários tipos de problemas em nossa mente. Neste artigo você vai descobrir quais são os mais preocupantes. Entretanto, antes de entramos neste assunto, é preciso se desapegar de alguns dos mitos sobre essa substância.

O açúcar faz mal?

Enquanto crescíamos, fomos bombardeados com uma série de ideias totalmente falsas sobre a alimentação e a nutrição. Por exemplo, a crença de que o principal fator de risco para sofrer de doenças cardíacas é o consumo de gordura.

Efeitos prejudiciais do açúcar

Durante muito tempo promoveu-se que o açúcar era uma substância totalmente inofensiva e sem nenhum efeito prejudicial para a saúde. No entanto, no ano de 2016 uma pesquisa revelou que a indústria do açúcar subornou vários pesquisadores ao longo da história.  Seu objetivo? Ocultar todos os efeitos prejudiciais dessa substância, que hoje sabemos estar relacionada com o câncer e outras doenças do coração.

Talvez mais preocupantes ainda sejam as últimas descobertas sobre os efeitos do açúcar no cérebro. A seguir vamos analisar cinco dos mais importantes.

Principais efeitos do açúcar no cérebro

Causa vício

Apesar de parecer um mito, o vício em açúcar é um problema real. Este transtorno afeta cada vez mais pessoas, que sentem que precisam consumir maiores quantidades dessa substância para se sentirem bem. De fato, as pessoas que eliminaram o açúcar de sua vida falam de sintomas muito desagradáveis durante os primeiros dias.

Por exemplo, ao deixar o açúcar de lado, as pessoas podem sentir dores de cabeça, enjôos, fraqueza muscular, ansiedade e quedas de pressão. Felizmente esses sintomas não são permanentes, duram somente até que o corpo se adapte a funcionar sem a substância.

Como este vício funciona? Ao ser absorvido pelo nosso organismo, o açúcar libera uma grande quantidade de endorfinas em nosso cérebro. Assim, cada vez sentimos menos prazer com o resto dos aspectos da nossa vida, e precisamos ingerir o açúcar para nos sentirmos bem.

Causa problemas de memória e de aprendizado

Um estudo da Universidade da California sobre os efeitos do consumo de frutose (um dos tipos de açúcar encontrado nos vegetais, nas frutas e no mel), revelou que ela afeta negativamente a formação de sinapses no cérebro. Ou seja, ao consumir muita frutose, nossa capacidade de aprender e de formar novas conexões é diminuída.

Por outro lado, outras pesquisas também mostraram que as pessoas que consomem muita frutose apresentam níveis menores de FNDC. Esta substância, cujas iniciais significam “fator neurológico derivado do cérebro”, tem um efeito fundamental sobre a nossa capacidade de gerar novas lembranças e aprender novas informações.

Inclusive, alguns estudos sugerem que o consumo de açúcar pode ter uma relação direta com o Alzheimer. De fato, a comunidade médica considerou classificar esta doença como diabetes tipo 3.

Afeta o nosso humor

Não são somente as nossas capacidades cognitivas que estão em perigo. Ao ingerir glicose, nosso humor varia de formas extremas. Devido aos seus efeitos sobre a insulina em nosso corpo, os picos de açúcar podem provocar depressão, ansiedade e mudanças de humor repentinas.

A longo prazo, estes efeitos podem ficar ainda piores. Quando ingerimos glicose, nosso cérebro libera serotonina, um dos neurotransmissores ligados ao prazer. No entanto, as reservas desta substância não são infinitas: ao serem emitidas de forma contínua, sobrará cada vez menos quantidade no cérebro.

Por isso, é muito difícil sentir emoções positivas de forma contínua para pessoas que consomem muito açúcar por muito tempo.

Mulher observando chuva na janela

Impede que nos sintamos saciados

Por último, pesquisas recentes descobriram que a glicose “sequestra” nosso mecanismo de saciedade. Devido a isso, ingerir muito dessa substância fará com que nos sintamos sempre famintos. Isso está altamente relacionado com problemas de obesidade e sobrepeso.

O problema é causado pelo efeito do açúcar sobre a oxitocina e suas funções no cérebro. Um dos papéis deste neurotransmissor é avisar ao nosso corpo que estamos cheios. No entanto, a glicose impede que esta função seja realizada.

A ingestão de açúcar tem inúmeros efeitos indesejáveis sobre o nosso corpo. Porém, as consequências podem ser ainda mais preocupantes sobre o nosso cérebro. Se você quiser manter uma boa saúde física e mental, tente reduzir ao máximo o consumo de açúcar.