Se o ego não te deixa tranquilo, mande-o comprar humildade

Se o ego não te deixa tranquilo, mande-o comprar humildade

26, julho 2016 em Psicologia 2440 Compartilhados
Se o ego não te deixa tranquilo, mande-o comprar humildade

Existe um tipo de ego que não oferece trégua, nem descanso: é aquele que sofre porque o mundo não está do seu jeito, que se lamenta por não ter razão toda hora. Pois bem, é preciso ter em mente que não há pior escravidão do que aquela vivida por quem está apegado ao ego, porque ser feliz vem da alma, porque quem é capaz de ter humildade pode se conectar com o mundo utilizando o coração.

Sem dúvida estamos diante de uma engrenagem psicológica tão complexa quanto curiosa, onde além disso se incluem certas doses de sofrimento. Chama atenção, por exemplo, ver como o ego tende a criar um molde para si mesmo através do qual se compara com as outras pessoas. O ego nos adorará se tivermos a sorte de nos ajustar ao seu padrão, mas se não estamos de acordo, sem dúvida seremos o foco de seus ataques e ofensas.

Com certeza você conhece alguém com esse tipo de comportamento, e inclusive pode ser que você tenha consciência de que em algum momento você também age com certa dose de egocentrismo. Assim como diz um provérbio chinês: “é mais fácil mudar o curso de um rio do que o caráter de uma pessoa”.

No entanto, nunca é demais refletir sobre o tema, pelo menos para ter o assunto em mente e meditar sobre isso.

homem-com-nuvem-na-cabeça-representando-ego

O ego e mente 

Eckhart Tolle é um escritor conhecido por levar ao grande público a filosofia do “aqui e agora”.  Nos seus trabalhos ele identifica as fontes de sofrimento interno mais comuns que nos impedem de nos conectar com o nosso entorno para sermos felizes. Em livros como “Um Novo Mundo – O Despertar de uma Nova Consciência” ele aborda um termo interessante e útil: a mente egóica. Além disso, não hesita em afirmar uma das fontes mais complexas do sofrimento pessoal.

Para Tolle, as pessoas caracterizadas por uma mente egóica “estão possuídas por sua própria mente”. Existe uma espécie de obsessão com os próprios pensamentos, juízos, valores e emoções, até o extremo de viverem completamente “apegados” a sua própria história. Não existe nada mais além desse horizonte exclusivo e pessoal.

A mente egóica é persistente e repetitiva, originando assim um tipo de energia psíquica muito destrutiva. Não podemos esquecer que este tipo de personalidade também procura diferenciar-se de outros egos e superá-los, caindo pouco a pouco num tipo de luta inútil e frustrante, já que o “combate” entre egos apenas têm como consequência o sofrimento psicológico.

alice-rodeada-de-cartas

Como propiciar um descanso para o seu ego

A pessoa em cuja mente reverbera a voz do ego a cada instante vai sempre buscar mudar os outros, sem esforçar-se para mudar a si mesmo. Tudo isso gera frustração. Na verdade, é bem provável que alguma vez você tenha conhecido a típica pessoa que se queixa que “as relações são muito difíceis”, sem perceber que o foco do problema é ela mesma e não os outros.

O próprio Eckhart Tolle nos conta a história de que ele também teve que passar por essa mesma transformação: a de se desapegar do seu ego, do “quanto mais tenho, mais sou” e de todas essas vozes internas que o impediam de se sintonizar com a vida e com os outros de forma íntegra e humilde.

Apesar de não ser fácil, você pode conseguir. Por isso, propomos que você reflita sobre essas questões. Elas irão lhe ensinar a lidar melhor com uma pessoa de “ego elevado” e também a desativar alguns dos comportamentos que vão nessa linha e que todos nós algum dia já tivemos.

mulher-lutando-contra-ego

Segredos para se desapegar do ego

Uma das frases mais conhecidas do polêmico Donald Trump é a “mostre-me um homem sem ego, e eu vou lhe mostrar um perdedor”. Fica claro que o ego ao que se refere o próximo aspirante a presidência dos Estados Unidos não é exatamente o ego que nos referimos nesse artigo. Assim:

  • Para podermos nos defender desses egos disfuncionais que se encontram a nossa volta, o melhor é não reagir a determinados comportamentos. Ignorar é responder com sabedoria e, além disso, também frustra a quem deseja ser o centro das atenções.
  • Uma técnica para “apagar o ego” é encontrar a calma interior, silenciar as vozes na nossa mente. O ego sempre está buscando alguma coisa: se introduzir um pouco mais nisso ou naquilo para completar-se, desafiar outra pessoa para ter razão em algo.
  • A fonte do sofrimento associada ao ego terminará quando focarmos no tempo presente para buscar um fim mais nobre, mais humilde. Como geralmente se diz: “ninguém chega a aprender o sentido da vida até que não submeta seus egos para servir seus irmãos”.

Quando nos conectamos de maneira empática com os outros e entendemos que “ser não é possuir” ou que “quanto mais tenho não sou necessariamente mais” nos libertamos de imediato de cargas intermináveis. É então que a mente egóica se apaga e a nossa valiosa mente emocional é acesa.

borboletas-no-campo