Você sabia que falar é um remédio natural? - A Mente é Maravilhosa

Você sabia que falar é um remédio natural?

fevereiro 3, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Você sabia que falar é um remédio natural?

Se não nos ensinassem a falar desde pequenos, nosso cérebro jamais se desenvolveria da mesma forma. Neste sentido, falamos para desenvolver outras funções que também são sumamente importantes, como animais sociais e racionais que somos. Falar é um remédio natural.

Os laços que se estabelecem entre indivíduo e grupos fortalecem a competência adaptativa diante de crises e transições vitais. Por isso, o simples fato de falar e compartilhar nossos problemas com os outros se transforma em um instrumento valioso para reclamar e receber ajuda adaptada a nossas necessidades.

Os grupos de apoio: falar é um remédio para curar

Os grupos de apoio são formados por pessoas voluntárias que compartilham algum tipo de problema, onde troca-se relatos e recursos. Surgem do modelo de competência, os princípios que os inspiram são os de cooperação, igualdade e ajuda mútua.

Diante de situações difíceis, poder criar novos laços sociais permite substituir ou compensar os recursos naturais que cada pessoa tem e que talvez não estejam funcionando com eficácia. Procurar um profissional gera um laço potencial que pode ajudar a fortalecer certos aspectos: neste sentido observou-se que certas pessoas obtinham grandes benefícios simplesmente falando, ouvindo e compartilhando sua experiência com outros que passaram por uma situação similar.

Pessoas se divertindo em grupo

Nos grupos de apoio fomenta-se um diálogo muito particular: neles os seus problemas têm lugar, assim como seus fracassos, preocupações, sentimentos, etc. Assim, os membros de um grupo se dão conta de que suas reações são normais e compartilhadas por outras pessoas que passam ou passaram por esse ponto. Desta forma, costumam emergir crenças e atitudes mais positivas, de forma que o nível de ameaça percebida cai. Por este motivo, podemos comprovar que falar é um remédio natural.

Preparar o relato de um trauma é um elemento essencial para poder superá-lo

Algumas pessoas procuram a terapia quando um evento ou um conjunto sucessivo de eventos são vivenciados como traumáticos, de forma que deixaram um buraco que dificulta que vivam no momento atual. Nestes casos é comum que as pessoas que passaram por uma experiência assim se sintam incapazes de expressar o evento reprimido em sua consciência subliminal.

Uma parte do trabalho terapêutico com “pessoas traumatizadas” requer expressar o evento em palavras, construir uma narrativa e integrá-la na experiência dentro da personalidade. Definitivamente consiste em reconstruir o significado que foi dado ao evento traumático, permitindo organizar os conceitos e, portanto, os esquemas cognitivos.

Os benefícios de falar mais de uma língua

Falar mais de um idioma não é só positivo na hora de se relacionar com os outros, mas dessa habilidade também nascem benefícios para a sua saúde mental. Algumas das vantagens de ser bilíngue ou poliglota são as seguintes:

  • Melhora os níveis de percepção.
  • Atrasa a deterioração natural de algumas capacidades cognitivas importantes, como a memória.
  • Ajuda a processar certas palavras mais rápido.
  • Exerce um efeito protetor contra o Alzheimer.
  • Ajuda a tomar decisões mais acertadas e nos torna mais ágeis na hora de resolver problemas.

Pessoas conversando no trabalho

O diálogo também é interior

Ainda continua existindo o mito de que as pessoas que falam consigo mesmas estão um pouco loucas. Porém, no fundo todos falamos com nós mesmos, nos damos palavras de ânimo ou nos reprovamos. Assim, tudo aquilo que dizemos a nós mesmos repercute diretamente em como agimos ou em como nos sentimos. Assim como um grupo pode proporcionar poder aos seus membros através das mensagens que são compartilhadas ali, nossos diálogos internos também têm o poder de influenciar o nosso bem-estar.

O psicólogo Rafael Santandreu, em seu livro A arte de não amargar a vida, fala de como em diversas ocasiões o diálogo interno surge da necessidade de avaliar o que acontece conosco. Assim, é uma boa ideia tomar consciência da responsabilidade que temos sobre nossas emoções e tentar debater com exemplos aquelas frases que nos dizemos e que não são verdades.

“Não só o que nos acontece nos afeta, mas também o que dizemos sobre o que nos acontece.”
– Epíteto –

Assim como muitas atividades e ações naturais nos conduzem ao bem-estar, como fazer exercício ou ler, falar também é uma fonte potencial de bem-estar. Falar é um remédio natural quando expressamos nossas necessidades, quando somos assertivos, quando oferecemos ajuda, quando queremos dizer a alguém que o escutamos, quando temos que tomar uma decisão… você alguma vez parou para pensar em tudo que é capaz de conseguir com as palavras? Pense nisso!

Recomendados para você