Severo Snape: quem é quem na saga de Harry Potter

25 Abril, 2020
O que começou como uma história infantil tornou-se uma saga de sucesso que ganhou o amor dos adultos. Uma das chaves de Harry Potter é a profundidade e complexidade de seus personagens. Talvez um dos personagens que melhor personifique a dualidade humana seja Severo Snape. Um homem com o coração partido que construiu uma armadura para esconder a sua verdadeira bondade.
 

Severo Snape é um dos personagens mais intrigantes da saga de Harry Potter. Rowling enganou a todos nós, nos fez acreditar que Snape era um verdadeiro vilão, que tudo que ele desejava era o sofrimento de Harry. No entanto, havia um grande segredo que mudaria tudo. Alan Rickman, o ator que deu vida ao personagem, foi o único privilegiado a saber a verdade sobre o professor de Poções.

Todos nós choramos quando descobrimos que, depois de todo esse tempo, Snape continuava amando Lily, a mãe de Harry e que, na realidade, tudo que ele havia feito era garantir a segurança do jovem. Nesse momento, no qual finalmente entendemos tudo o que Snape fez, quando percebemos por que Dumbledore o havia protegido tanto, ele se tornou um dos mais aplaudidos pelos fãs da saga.

Snape deixou sua marca entre os personagens mais lembrados e amados, e provocou diversas reflexões em nós. Alguns personagens são verdadeiros heróis? Existe bondade na sua forma mais pura?

Severo Snape funciona um pouco como a contraparte de Dumbledore. Por um longo tempo, pensávamos sem hesitar que Dumbledore era o bom e Snape o mau. No entanto, os papéis de maus e bons foram se diluindo com o tempo. Quem é quem, realmente, em Harry Potter?

O passado sombrio de Severo Snape

Desde a Pedra Filosofal, percebemos que Dumbledore nunca duvida da sua confiança e lealdade, acredita profundamente no arrependimento e nas segundas oportunidades. Enquanto isso, outros personagens, como Harry, tentam desmascará-lo. Os planos de Harry quase sempre fracassam e Snape é bem-sucedido em todas as situações.

 

Como leitores ou espectadores, ficamos surpresos que ninguém, além de Harry e seus amigos, esteja ciente da maldade de Snape. Por esse motivo, a surpresa é enorme quando descobrimos a verdade. As informações sobre o seu passado são apresentadas de forma progressiva, como em um conta-gotas. Sabemos que Snape tem a Marca Negra, uma indicação de que, em algum momento, ele foi um Comensal da Morte. Como consequência, nós o identificamos como um vilão.

Os Marotos

Graças a Lupin, sabemos mais sobre o seu passado; descobrimos que o mau relacionamento com os Marotos vem da sua estadia em Hogwarts. Nas aulas de Oclumência e Legilimência que Severo oferece a Harry, vamos entendendo alguns aspectos desse mau relacionamento. Vemos um Severo Snape adolescente sofrendo com o bullying de James Potter, o pai de Harry.

Rowling desmistifica, em parte, o heroísmo do pai de Harry. Não duvidamos de que James fosse um homem bom, mas é verdade que, durante a adolescência, as suas provocações em relação a Snape mostram uma atitude desagradável e cruel. Vemos James como líder de seu grupo, o jovem “engraçado” e popular que sabe criar problemas. De alguma forma, Rowling está nos dizendo que até o melhor homem pode cometer atos repreensíveis.

Pelo contrário, o seu relacionamento com Lily Potter era bem diferente. Eles se conheceram na infância e iniciaram uma grande amizade. Snape já conhecia o mundo mágico e foi, de alguma forma, uma figura-chave na infância de Lily. Os pais de Lily eram trouxas (pessoas não mágicas) e, ao descobrir que ela era uma bruxa, um mundo de nomes estranhos se abriu diante dela. Esse relacionamento será a chave para o Snape adulto que conhecemos na saga de Harry Potter.

 
Severo Snape quando criança

O Snape da saga

O Snape que conhecemos na saga é mostrado como um homem sombrio e frio, frustrado profissionalmente e provavelmente também em um nível pessoal. Ele é pedante, soberbo e não tem empatia; parece ter uma certa predileção pelos estudantes da casa da Sonserina, da qual é diretor.

Ele pune os “sabe-tudo”, como Hermione, e aqueles que considera desajeitados ou pouco inteligentes. Além disso, parece ter uma predileção especial por castigar Harry severamente. Snape joga toda a sua frustração passada sobre Harry, a quem ele vê como um reflexo de seu pai e, consequentemente, como um inimigo, um rival.

Todas as suas ações nos levam a pensar que ele está do lado de Voldemort e dos Comensais da Morte. As nossas suspeitas são confirmadas quando descobrimos que, de fato, Severo Snape é um deles e até assassina a pessoa que sempre confiou nele: Alvo Dumbledore. Por trás de toda essa escuridão, na realidade, se esconde um homem sofrido, que é vítima de seu próprio passado.

A dualidade em Snape esteve presente em toda a saga: parecia fazer algo ruim e, no final, atuava em benefício de Harry. O esquema é repetido até a sua morte. Esse ódio, de aparência irracional, esconde uma complexidade maior do que poderíamos imaginar, tornando Severo Snape um personagem cuja evolução é uma das mais significativas. Dessa forma, Rowling construiu em sua saga um personagem que todos nós crescemos odiando e que, finalmente, acabamos amando.

 

Rowling brinca com a dúvida: Snape é um Comensal da Morte arrependido? Ele é um espião de Dumbledore ou de Voldemort? De que lado está? Às vezes, os sentidos nos enganam, o que vemos ou a imagem que alguém projeta pode não ser um verdadeiro reflexo da realidade.

Severo Snape: o herói

A saga de Harry Potter cresce em perfeita harmonia com o seu personagem principal. Quando lemos A Pedra Filosofal, encontramos um livro infantil, onde a e a maldade e a bondade parecem extremas. No entanto, à medida que avançamos, Harry cresce e, ao mesmo tempo, a complexidade dos livros vai aumentando. O que parecia uma história infantil tornou-se uma história sombria e cheia de matizes.

Em As Relíquias da Morte, o último livro da série, percebemos que não há bons ou maus; há personagens com um passado e cujas ações derivam dele. Voldemort talvez não fosse o bruxo das trevas que conhecemos se tivesse tido uma infância um pouco mais feliz. Da mesma forma, entendemos que o bom Dumbledore talvez não fosse tão perfeito assim.

Quanto a Snape, veremos que, por trás do homem sombrio, se esconde um coração devastado, um homem sofrido, mas que continua amando. Essa revelação é um dos momentos mais fulminantes da saga, um dos momentos em que tanto o leitor quanto Harry atingem a maturidade.

Severo Snape com Harry, Rony e Hermione
 

Dumbledore vinha preparando Harry esse tempo todo para morrer nas mãos de Voldemort, enquanto Snape garantia a sua segurança, arriscando a sua própria vida. No entanto, isso faz de Dumbledore uma pessoa má e de Snape um herói? A verdade nunca é tão simples, o mundo não é feito apenas de bons e maus, há muitas nuances.

A história de Snape nos emociona, é o Comensal da Morte arrependido que sacrifica a sua vida pelo filho da pessoa que amava. Por isso, Harry dá ao seu filho o nome dos dois diretores de Hogwarts: Alvo Severo. Dessa forma, ele nos mostra o seu perdão, a aceitação dos seus erros e o seu amor por ambos. Porque, no final, estamos todos errados, todos nós podemos agir de forma equivocada em determinadas situações.

Alan Rickman foi, sem dúvida, um magnífico Severo Snape e um guardião perfeito do segredo de Rowling. Infelizmente, ele nos deixou prematuramente sem cumprir a sua promessa: continuar lendo Harry Potter até os 80 anos. Graças a ele, pudemos apreciar Snape em sua versão cinematográfica; a sua memória e o seu Snape perfeito viverão para sempre nos corações dos seguidores da saga. Por todas essas razões, podemos dizer que Severo Snape é um dos personagens mais completos e fascinantes do universo de Harry Potter.

“-Depois de todo esse tempo?

-Sempre”.