Como ter uma vida sexual plena com seu parceiro

Como ter uma vida sexual plena com seu parceiro

novembro 4, 2015 em Curiosidades 0 Compartilhados
Como ter uma vida sexual plena com seu parceiro

“Os bons amantes não nascem, se tornam. Deve-se cultivar o erotismo. Você deve ter uma aproximação ativa para poder ver seu parceiro como uma pessoa erótica”. Esta frase é de Esther Perel, terapeuta sexual e autora de livros como “Acasalamento em cativeiro”, no qual trata de explicar o que fazer para que a luxúria e o desejo não acabem em uma relação séria ou duradoura.

Como atrair sexualmente meu parceiro?

A atração sexual ou o sex appeal de um casal é uma questão subjetiva, na qual os fatores físicos podem ter importância, mas são os fatores emocionais que têm um peso maior, principalmente ao longo do tempo. Por isso, como atrair sexualmente seu parceiro acaba se tornando mais uma questão de conhecimento e descobrimento do outro e de si mesmo, numa troca que acontece na relação.

Por essa razão, compreender e satisfazer as preferências sexuais de seu parceiro acaba sendo fundamental para que a chama não se apague.

Normalmente, quando há atração sexual, há um toque de mistério e o outro tem algo mais para descobrir. Saber que novas surpresas são esperadas acende o renascimento erótico, ponto chave na vida sexual plena de um casal.

O erotismo não é a mesma coisa que a sexualidade. O sexo é baseado em uma ação, enquanto o erotismo está mais na mente. O erotismo significa a conexão com a vitalidade e o desejo.

Uma forma de fazer a emoção erótica renascer em seu parceiro pode ser criar uma conta privada de whatsapp, e-mail ou facebook, exclusivamente para vocês. Essa conta servirá para brincar e flertar, criando, ao mesmo tempo, novas curiosidades sexuais em seu parceiro.

Realizar uma fantasia sexual colocará fim no tédio. Qualquer coisa que possa acender essa fantasia, sejam jogos eróticos, filmes, gravar um vídeo, etc., pode condimentar sua vida sexual de casal. Mas, lembre-se de que atrair sexualmente seu par acarreta um processo de conhecimento entre ambos.

Os inimigos da vida sexual do casal

O excesso de segurança em uma relação é um grande inimigo para manter interesse sexual no outro. Como já dissemos anteriormente, trata-se de descobrir, provar, procurar outras maneiras… A rotina na vida sexual pode levar ao tédio ou ao cansaço do conhecido, desaparecendo o toque de mistério. Por exemplo, as mulheres que se concentram em criar seus filhos e levam a experiência sexual com seu parceiro como outra carga diária, e homens que se concentram no trabalho e assumem a experiência do mesmo modo.

Se, em seu relacionamento, aparecer o chamado “excesso de segurança”, você deve assumir sua responsabilidade ao contribuir para esse afastamento, por não ter tempo suficiente para vocês e para a intimidade. Chame a atenção de seu parceiro e tome a iniciativa para despertar seu interesse. O desejo, por si só, irá ajudar, podendo ser um grande aliado para que vocês voltem a se aproximar.

De acordo com Perel, as mulheres assumem seu papel de se responsabilizar pela renda da casa, dos filhos e do trabalho, etc, em excesso. Dizer que as mulheres não querem sexo é um pré-julgamento, o que acontece é que elas podem estar esgotadas para sentir, até mesmo, sua própria sexualidade. Inclusive, não se sentem atraentes ou eróticas diante de seus parceiros. É por isso que é fundamental que o parceiro lembre a parceira o quão bonita, erótica e excitante ela é.

Quando, num relacionamento, um está interessado no sexo, na aproximação ou no erotismo, mas o outro não, cria-se uma sensação de ansiedade que, sendo repetida, pode levar a uma frustração. Neste momento, é necessário tomar as rédeas da situação imediatamente e iniciar uma conversa próxima e sincera sobre como remediar essa situação.

Se a ansiedade e, mais tarde, a frustração, não são remediadas imediatamente,  pela simples  falta de comunicação e expressão de desejo de um com o outro, pode-se chegar num limite, tendo como consequência uma aventura ou infidelidade, e/ou um divórcio ou uma separação.

Segundo Perel, a infidelidade nem sempre significa compensar ou preencher o vazio que existe numa relação. Neste caso,  a infidelidade é um alarme para colocar mais energia na regeneração de uma relação.

As expectativas de como deve ser o encontro sexual ou de como o outro deve agir, também são um grande impedimento para o desenvolvimento de uma vida sexual plena, assim como as experiências passadas. Por isso é importante que você se concentre no agora e desfrute do momento com seu parceiro atual.

O estresse e as mudanças no estilo de vida ou no trabalho também podem influenciar. Submeter-se a situações estressantes causará fadiga, podendo influenciar em seu desejo sexual.

Você está de acordo com as afirmações de Perel?  Como é sua vida sexual?  Você fala com seu parceiro ante as possíveis insatisfações sexuais?

Recomendados para você