Administrar as emoções de maneira inteligente: 4 dicas importantes

4 meios para administrar as emoções de maneira inteligente

Abril 5, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Como administrar as emoções?

Administrar as emoções de maneira inteligente significa canalizá-las para manter o equilíbrio e a harmonia. Dessa forma, conseguimos ser uma força positiva para nós mesmos e para todos aqueles que nos rodeiam, e evitamos que o nosso mundo emocional nos tire energia vital.

Quando as nossas emoções conseguem se manter em equilíbrio, somos mais produtivos, mais criativos e mais felizes. Impedimos que aquilo que sentimos tome conta do que somos. Assim, conseguimos dar um rumo construtivo a esse mundo subjetivo, colocando-o a nosso favor, e não contra nós.

“A inteligência emocional representa 80% do êxito na vida”.
-Daniel Goleman-

Com as emoções tranquilas, somos capazes de estabelecer objetivos e atingi-los. Somos capazes de ter relações saudáveis com os demais e dar o melhor de nós mesmos. Daí a importância de aprender a administrar as nossas emoções. Para alcançar isso, basta ter poder de decisão e constância. 

Recomendações para administrar as emoções

1. Entender que as emoções negativas não existem

As emoções têm uma razão para existir. Por isso, é um erro classificá-las como positivas ou negativas. Devemos levar em consideração que existem estímulos que nos fazem experimentar determinadas emoções. Isso é inevitável.

Bolas coloridas representando as emoções

O medo, por exemplo, é uma resposta a situações de ameaça. Se não o experimentássemos, teríamos condutas imprudentes que colocariam em risco a nossa integridade. A raiva, por sua vez, também é uma resposta defensiva, cujo papel é o de nos preparar para o ataque quando há um perigo.

Por isso, não existem emoções negativas. Para aprender a administrar as emoções, o importante é que saibamos interpretar a mensagem que cada uma delas transmite. Elas são um guia para sabermos que alguma coisa está acontecendo e deve ser abordada.

 2. Permita-se sentir para administrar as emoções

A educação e a criação tradicional quase nunca nos ensinam a administrar as emoções. Somos convencidos de que existem sentimentos e emoções que não devemos experimentar. Ouvimos, por exemplo, que chorar ou ter medo não adianta nada.

Entretanto, as emoções não nascem nem desaparecem sem motivo. Por isso, reprimir o que sentimos não é uma maneira correta de administrá-las. Tentar oprimir o que se sente só adia a sua expressão. O que foi reprimido, às vezes, retorna de forma ruim.

Primeiramente, então, deve-se entender que todas as emoções são legítimas e que têm pleno direito de existir e de se expressar. Se aceitarmos o que sentimos, será muito mais fácil administrar as emoções. Não aceitar implica criar uma confusão que resultará em uma tempestade interna.

3. Observe, observe, observe…

A melhor maneira de administrar as emoções é aceitando-as e, também, compreendendo-as. Para conseguir isso, é indispensável que aumentemos a nossa capacidade de observação sobre elas. Só o fato de prestar atenção nelas já permite que comecemos a canalizá-las.

Olhar feminino atrás de visor

Daniel Goleman, o grande teórico da inteligência emocional, indica que “a atenção regula a emoção”. Isso quer dizer que quando focamos a nossa atenção naquilo que estamos sentindo, automaticamente ajustamos ou colocamos em perspectiva essa experiência subjetiva.

Para observarmos as emoções, o mais adequado é nos perguntarmos: o que estou sentindo? Depois, devemos tentar dar o nome exato a essa emoção que experimentamos. É raiva ou frustração? É repulsa ou fadiga? Quanto mais precisa for essa identificação, mais facilmente chegaremos a compreender o porquê dessas emoções.

4. Ser crítico com o próprio pensamento

Apesar de parecer que não é dessa forma, muitos de nossos pensamentos surgem de maneira mecânica. São interpretações da realidade que às vezes têm fundamento e às vezes não. Em algumas ocasiões elas são fruto de um raciocínio e, em outras, não.

pensamento não é a realidade,  e sim um filtro para a realidade. Ele nos leva a nos sentirmos de uma determinada maneira diante do que acontece e, em muitas oportunidades, nos leva a equívocos. Por exemplo, o pensamento pode nos dizer que certa dificuldade é um aborrecimento. Mas, também, poderia nos dizer que ela é um desafio, uma oportunidade. Entretanto, isso só acontece quando nos atrevemos a questionar essas ideias, e não simplesmente nos deixamos levar por elas.

Menina de olhos fechados

Aprender a administrar as emoções de maneira inteligente implica estarmos plenamente alertas, atentos e focados em nosso mundo interno. Pode ser que o começo seja difícil, mas os benefícios são tão grandes que a mudança certamente valerá a pena.

Recomendados para você