7 conselhos práticos para lidar com adolescentes rebeldes

· outubro 30, 2017

Como podemos lidar com adolescentes rebeldes? A adolescência é uma fase importante do crescimento individual, onde as bases da nossa identidade são definidas. Muitas famílias não aceitam ou aceitam com relutância esse processo de independência na adolescência, considerando os filhos como crianças. Por outro lado, é mais comum que os adolescentes se considerem capazes ou tenham mais iniciativa para iniciar esta “desconexão familiar”, uma parada inevitável no caminho da emancipação ou da autonomia (Lamas, 2007). Embora também seja verdade que, muitas vezes, se tornam adolescentes rebeldes.

É neste contexto que se inicia a maioria dos conflitos entre os adolescentes e as suas famílias. Nessa fase, os adolescentes questionam mais e obedecem cada vez menos a comandos. A situação pode ficar complicada e a convivência cada vez mais desafiadora.

É fundamental que a família ajude o adolescente no seu projeto de vida, ensinando e projetando com ele estratégias eficazes que lhe permitam melhorar o relacionamento com o mundo exterior. Às vezes os adultos esquecem que os adolescentes não deixam de ser crianças que interagem com contextos cada vez mais complexos. No entanto, não podemos tratá-los como crianças e é precisamente aí que reside a dificuldade.

O interesse em explorar estratégias de forma independente é o que leva o adolescente a se comportar de forma estranha, tentando encontrar o seu lugar no mundo que pouco a pouco começa a se abrir para ele. Não podemos esquecer que, nessa idade, eles ainda não têm muita experiência para interagir com os ambientes externos. Eles se sentirão perdidos muitas vezes, mas também não querem uma ajuda que comprometa a independência que demoraram para conquistar.

Talvez as crianças adotem as estratégias familiares agindo como adolescentes “pré-fabricados”, ou então, rompam abruptamente com tudo o que lhes foi ensinado, buscando a sua própria identidade. Acompanhá-los neste processo é vital para que a adolescência seja apenas isso: uma mudança da infância para a idade adulta. Se a família for muito impositiva nesse processo, é provável que a criança se torne um adolescente rebelde.

“Não existem adolescentes problemáticos, mas crianças que cresceram sofrendo”.

Como lidar com adolescentes rebeldes?

A influência da estrutura familiar na rebeldia dos adolescentes

Para demonstrar a influência da estrutura familiar na origem e manutenção do problema, se utiliza a descrição de Fishman sobre os adolescentes rebeldes (Lamas, 2007). O adolescente rebelde cresce em uma estrutura familiar caracterizada por fronteiras e limites muito frágeis, onde todos os membros da família estão fortemente interconectados.

Neste tipo de família, todos sabem tudo sobre todos. As fronteiras frágeis fazem com que essas famílias sigam os conselhos que chegam do exterior. A baixa hierarquia que caracteriza essas estruturas familiares aumenta o problema: os filhos são membros poderosos dentro da família.

Muitas vezes essas crianças respondem às frustrações com uma raiva excessiva e estabelecem relações apaixonadas com os seus namorados, com ciúmes e rupturas seguidos de reconciliações espetaculares. Essa intolerância à frustração pode provocar adolescentes rebeldes e cheios de conflitos.

Em várias teorias da aprendizagem, especialmente na aprendizagem comportamental, descobrimos que o mais apropriado para a educação de adolescentes saudáveis ​​e funcionais é uma infância onde haja conquistas, mas também desafios e frustrações. Se não deixarmos que os nossos filhos se frustrem por não alcançar determinados objetivos, estaremos educando monstros egoístas que acreditam que têm o direito de ter tudo pelo simples fato de existirem, e aí teremos que lidar com adolescentes rebeldes.

As dificuldades na relação entre pais e filhos

Este estilo de criação é cada vez mais comum nos núcleos familiares. Parece que, se conseguirmos que os nossos filhos tenham tudo, seremos pais melhores, mas nada está mais longe da realidade. Se educarmos as crianças na cultura da inoperância, quando chegarem à adolescência, não entenderão os nossos novos propósitos, tornando-se adolescentes problemáticos e tiranos.

“Os jovens sempre tiveram o mesmo problema; como ser rebelde e se conformar ao mesmo tempo”.
– Quentin Crisp –

7 conselhos para lidar com adolescentes rebeldes

O nosso objetivo não é oferecer “conselhos de especialista”, mas incentivar os pais para que se conectem e encontrem uma maneira saudável de se relacionar com os seus filhos. Todos os conselhos não são válidos para a mesma família ou para o mesmo adolescente, nem para o mesmo adolescente e para a mesma família em todos os momentos. Os pais precisam perceber quais são as circunstâncias mais favoráveis para a sua aplicação.

Como lidar com adolescentes rebeldes?

Se tivermos um relacionamento positivo com o adolescente, será mais fácil ser uma influência positiva para ele (ou negativa se o relacionamento não for bom). Além disso, vale ressaltar que, se não o tivermos, sempre teremos a oportunidade de construí-lo. É essencial que conheçamos as particularidades e os interesses do adolescente: através deles poderemos nos conectar com ele. Em outras palavras, vamos ter que pisar no seu terreno e para isso é melhor que saibamos por onde estamos caminhando.

Aqui estão 7 ideias gerais que podem nos ajudar a lidar com adolescentes rebeldes:

  •  Estabelecer limites. É necessário que, na convivência familiar, haja uma série de regras a serem respeitadas. Também é importante que o seu filho saiba quais são as consequências de ignorar essas regras.
  • Investir tempo e energia para melhorar a educação dos filhos. Se agirmos dessa forma, as chances de controlar a situação aumentam consideravelmente.
  • Ser firme nas decisões e não hesitar em manter um estilo de vida honesto como o que estamos pregando. Os filhos aprendem através dos exemplos.
  • Evitar comparações. Compará-lo com os seus irmãos ou amigos pode prejudicar a sua autoestima e transformá-lo em um adolescente difícil.
  • Evitar as pressões desnecessárias. Os adolescentes precisam ter os seus próprios objetivos. Os adultos devem acompanhá-los no processo de escolha, mas não devemos pressioná-los para que cumpram objetivos que nós mesmos não podemos cumprir.
  • Aceitar que nossos filhos não são perfeitos. Se o nosso filho está errado, ele deve assumir as consequências, embora isso nos cause sofrimento e sintamos o dever de protegê-lo.
  • Ser sincero com eles. A sinceridade é uma ferramenta que geralmente não usamos muito com crianças. As relações familiares são tão hierárquicas que às vezes ignoramos algumas das técnicas mais eficazes para abordar os adolescentes.

Os adolescentes são, quase que simultaneamente, desconfiados e ingênuos, esperançosos e apáticos, comunicativos e fechados, protetores e amantes dos riscos. Ou seja, muitos são uma pura contradição com ricas nuances, é por isso que eles nos enganam tanto e é tão difícil lidar com adolescentes rebeldes.

Como lidar com adolescentes rebeldes?

A maioria deles está preocupada com a sua imagem social, seja diretamente ou tentando demonstrar que não se importam com o que os outros pensam. Eles agradecem a ajuda, mas o que mais apreciam é a confiança e a oportunidade de cometer erros. Nesse sentido, muitas vezes não é necessário entendê-los ou temer por eles, apenas acompanhá-los.

Os filhos adolescentes parecem ser os mais difíceis de educar, mas se você conseguir, os seus ensinamentos durarão toda a vida.

Esperamos que estas dicas possam ser úteis para lidar com adolescentes rebeldes da melhor forma possível.