7 formas de manipulação das quais não nos damos conta

· maio 12, 2018

Todos nós queremos influenciar o comportamento dos outros de uma forma ou de outra. No entanto, às vezes chegamos a extremos nos quais não se pretende apenas exercer influência, mas também controlar. É então que são colocadas em prática formas de manipulação silenciosas.

Esses mecanismos não são complexos ou complicados. A maioria deles corresponde a comportamentos cotidianos que passam despercebidos. Precisamente por essa razão eles são tão problemáticos, porque estão lá sem que você perceba.

“O instrumento básico para a manipulação da realidade é a manipulação das palavras. Se você pode controlar o significado das palavras, você pode controlar as pessoas que usam essas palavras. ”
-Philip Dick-

Em quase todos os casos, recorre-se ao contágio ou provocação das emoções básicas como o medo, a raiva ou a simpatia. Manipulam ao despertar esses sentimentos e emoções em você, sem que haja uma razão real para isso. É por isso que é bom conhecê-las e identificá-las. Estas são 7 formas de manipulação das quais, muitas vezes, não nos damos conta. Você está pronto para conhecê-las?

1. Culpar, uma das formas de manipulação silenciosas

A culpa é uma emoção que pode ser muito intensa e pode causar ações pouco racionais. Origina uma sensação desagradável, porque basicamente confronta o indivíduo com um código de ética ou costumes que ele aceita e valoriza. Em outras palavras, o confronta consigo mesmo.

Você é manipulado através da culpa quando os outros se apropriam do direito de julgar seu comportamento e definir se o que você faz é bom ou ruim. Quando você não tem seus próprios critérios, cair nesse jogo é muito fácil. Desta forma, conseguem fazer com que você fale ou faça algo que talvez apenas beneficie os outros, mas que ao mesmo tempo você veja como um benefício, porque o liberta do sentimento de culpa.

Apontar alguém como culpado

2. Fazer você se sentir inseguro

A insegurança é outro dos sentimentos envolvidos nas formas de manipulação silenciosas. São situações em que o outro detecta fraquezas em suas convicções, ou em seu amor próprio, e tira proveito delas em seu benefício.

As críticas negativas do que você faz ou diz, as ridicularizações ou as desqualificações são formas de manipulá-lo graças à insegurança. Isso também acontece quando tentam confundir você. Transformam seus erros simples em complexos, ou fazem você acreditar que eles sabem mais do que você, sobre você mesmo.

3. Compadecer

Há aqueles que fazem da vitimização sua principal ferramenta para manipular os outros. Aparecem, muitas vezes sem estarmos conscientes disso, como alguém frágil ou em estado de carência. Eles pretendem despertar a compaixão no outro e dar origem a um sentimento de culpa.

Consolar uma pessoa triste

Essa postura de alguém com uma necessidade permanente de ajuda e consideração por parte dos outros é uma das principais formas de manipulação. Você acaba agindo porque sente pena do outro, sem perceber que ficou preso em uma rede na qual estão controlando seu comportamento.

4. Alimentar o narcisismo

Nem sempre devemos acreditar em bajulações. Às vezes a intenção não é realmente destacar suas virtudes, mas sim dobrar suas defesas e sua vontade, para que você seja mais manipulável. Aquele que te elogia ganha sua boa disposição, mas muitas vezes não o faz com boas intenções.

O melhor antídoto para isso é se conhecer bem. Ninguém conhece melhor suas forças ou fraquezas do que nós mesmos. Isso faz com que essas efusivas expressões de admiração ou bajulação não nos peguem de surpresa ou nos “amoleçam”.

5. Intimidar sutilmente

Para intimidar outro não é necessário gritar ou fazer ameaças diretas. Os manipuladores são especialistas em semear medo nos outros, muitas vezes de forma imperceptível. Trata-se simplesmente de anunciar, sutilmente, perigos diante de certos comportamentos.

As pessoas manipulam, por exemplo, quando dizem que você “deve” agir de uma determinada maneira, ou corre o risco de ocorrer uma situação indesejável. Aparentemente estão apelando para a razão, mas no fundo eles só procuram condicioná-lo através do medo.

6. Criar discórdias falsas

As pessoas que criam discórdia por tudo quase sempre estão manipulando você. São aquelas que, por questões mínimas, se acendem e se ofuscam. Eles acabam fazendo os outros acreditarem que devem ser tratadas de uma maneira especial, em troca de ter conflitos em todos os momentos.

Esse tipo de pessoa manipula porque dessa forma conseguem que muitos se abstenham de fazer uma reclamação ou apontar alguma falha. Os outros acabam acreditando que são eles, e não essa pessoa, que têm responsabilidade pelos conflitos. O manipulador sempre acaba conseguindo o que quer.

7. Fazer-se de bobo

Fazem-se de bobos aqueles que fingem uma deficiência que na verdade não têm. São aqueles que delegam trabalho duro para os outros porque “eles fazem melhor”. Isto é, encarregam os outros e ficam livres e tranquilos, supostamente porque “são piores que os outros”.

Mulher brigando com homem

Também fingem que não entendem o que você diz, não entendem as consequências de suas ações ou não se sentem envolvidos em um problema deles. Desta forma, abusam dos demais, quase sempre de forma impune.

Todas essas formas de manipulação são prejudiciais tanto para você quanto para aqueles que as utilizam. Só dão origem a vínculos falsos e abusivos. Sob nenhuma circunstância devem ser toleradas, porque nada de bom provém disso.