Sabemos que devemos aceitar nosso corpo, mas nem sempre é fácil

Sabemos que devemos aceitar nosso corpo, mas nem sempre é fácil

agosto 19, 2017 em Psicologia 240 Compartilhados
Sabemos que devemos aceitar nosso corpo, mas nem sempre é fácil

Cada sociedade tem seus próprios padrões de beleza em relação ao corpo das pessoas. Ao longo da história e em função da região geográfica, foi possível verificar que a “beleza” é um conceito mutável. Para alguns grupos, em determinado lugar e em determinada época, nada mais atrativo que alguém “bem recheado de carne”. Reflete opulência e poder. Para outras, é lindo apenas quem deforma o rosto ou exibe muitas cicatrizes na pele.

Atualmente, no Ocidente, privilegia-se o que é chamado de “beleza comercial”. É um tipo de estética na qual o corpo bonito ou o rosto belo são obtidos aplicando produtos ou realizando procedimentos, que, obviamente, custam dinheiro. O atrativo se compra e se vende. A realidade é que há enormes interesses financeiros por trás de tudo isso.

“Agora já sabemos que a alma é o corpo e o corpo é a alma. Nos dizem que não são a mesma coisa porque querem nos convencer de que podemos ficar com nossas almas se os deixarmos escravizar nossos corpos”.
-George Bernard Shaw

O mais grave é que muitos homens e muitas mulheres no mundo todo aceitam e interiorizam esses mandamentos sem um posicionamento crítico. Elas esquecem ou desconhecem que são objeto de uma evidente manipulação que acaba por enriquecer apenas algumas pessoas. Enquanto isso, aprendem a julgar severamente o próprio corpo. Não se perdoam pelo aparecimento de um “pneuzinho” e se sentem menos importantes se não estão próximos do modelo estético imposto. A pressão publicitária é grande, mas mesmo assim o mais inteligente é resistir. Aqui deixamos alguns conselhos para fugir dessa escravidão.

Aprenda a ler as mensagens da mídia sobre o corpo

Convença-se de uma coisa: os modelos de beleza exibidos nos meios de comunicação não são reais. A maioria das pessoas que aparecem nos anúncios publicitários não têm naturalmente o corpo de exibem. Ou elas dedicam muitas horas em uma academia, ou conseguiram o corpo perfeito com cirurgias, ou as imagens foram editadas no Photoshop, ou ainda todas as alternativas anteriores. Claramente, a genética também influencia.

A importância de aceitar seu corpo

As “medidas perfeitas” foram ditadas pelo mundo da publicidade e por aqueles que comercializam a beleza. Por que um corpo com determinadas características é “perfeito” e outro não? Simplesmente porque os vendedores e os publicitários de cremes redutores, de cirurgias estéticas e de produtos destinados a um objetivo semelhante assim o impuseram. Quanto mais difícil for conseguir o corpo “perfeito”, mais eles vendem. Se as medidas “ideais” fossem fáceis de conseguir, eles iriam à falência.

Talvez você tenha aprendido a considerar bonito determinado tipo de corpo ou de rosto. No entanto, você deve se conscientizar de que foi treinado para que enxergasse dessa maneira. Talvez fosse uma boa ideia se proteger dessas mensagens alienantes e não se expor sem defesas a tudo o que os meios de comunicação propagam.

Reflita sobre a insatisfação com o seu corpo

Talvez você tenha notado que não há muitas pessoas que se sentem realmente felizes com seu corpo. Nem mesmo as atrizes e os modelos que nos vendem em cada comercial ou anúncio o são. A maioria possui alguma insatisfação. Algumas pessoas gostariam de ser mais altas e outras mais baixas. Aquelas que têm cabelo cacheado queriam liso e vice-versa. Quem tem glúteos grandes tenta escondê-los e quem não tem muito procura maneiras de aumentá-los. O comum é ter insatisfações com a aparência física.

A importância de aceitar seu corpo

Ao mesmo tempo, um importante número de pessoas agem como se fossem críticos estéticos. Isso é muito comum entre as mulheres. Elas questionam o corpo e a aparência dos outros sem que ninguém tenha concedido o direito para fazerem isso. Elas avaliam. Dizem que alguns quilos a menos seriam ótimos para você. Ou afirmam que seu corte de cabelo não cai bem em você. Esses críticos profissionais, que no fundo não querem que você se sinta melhor, mas têm como objetivo apontar que alguma coisa está errada na sua aparência, estão sempre por aí. Dessa forma, compensam o próprio mal-estar que sentem consigo mesmos.

Por isso, é provável que a insatisfação com o corpo esconda, na verdade, uma insatisfação com aspectos mais profundos dos indivíduos, ou com as pessoas com as quais estabelecemos algum vínculo. Talvez você ache que não vale o suficiente e transfere para o seu corpo essa vontade de se amar mais. Talvez, também, algumas relações interpessoais não estejam baseadas em algo justo ou sincero. Definitivamente, quando o ambiente no qual vivemos nos aceita, também é mais fácil para nós mesmos nos aceitarmos.

É importante cuidar do corpo, buscar o que é saudável e o que pode ajudar a desenvolver muitas habilidades. Também é importante se embelezar, se olhar no espelho como você deseja sem deixar de ser você mesmo. O certo é que ninguém vale mais ou vale menos pelo corpo que tem. Ninguém é mais feliz ou mais equilibrado se possui a aparência de capa de revista. Parece que poderia ser assim, mas não é. Nada daquilo que é realmente importante na vida é conquistado simplesmente com um corpo bonito. 

A importância de aceitar seu corpo

Imagem principal, cortesia de Anna O

Recomendados para você