Carta de uma mulher madura

· novembro 6, 2016

Amadurecer implica aceitarmos e amarmos a nós mesmos e, acima de tudo, fazermos as pazes com nosso “ser mulher”, já que sempre existe a possibilidade de atravessar um momento complicado, onde a escuridão dos problemas pode nos impedir de ver a saída… e precisamos partir de encontro com nós mesmos, como ponto de partida, para reverter a situação. Desta forma evitaremos ficar parados, ancorados, e vamos superar a nós mesmos.

Como mulher madura você entende que, socialmente, somos constantemente convidadas a questionar o que significa a maturidade em nosso coração. Estar eternamente bela, usar cosméticos para não envelhecer e burlar o tempo são os pontos fundamentais de uma estrutura social que não nos permite amadurecer com plenitude.

Para uma mulher que se aproxima da maturidade, é necessário encontrar um ponto emocional a partir do qual possa se conectar com sua alma, sua essência e suas memórias. Hoje convidamos você a ler uma preciosa carta escrita por uma mulher imersa no dito momento, com uma infinidade de sentimentos para compartilhar e com os quais sempre podemos aprender.

“A maturidade do homem é ter voltado a encontrar a seriedade com a qual brincava quando era criança”.
-Friedrich Wilhelm Nietzsche-

Mulher madura e corajosa para defender o que acredita

Mulher bonita por fora, bonita por dentro, com uma pele tão maravilhosa como você. Corajosa para defender o que acredita, mas aberta e respeitosa quanto a outras opiniões. Assim eu me senti nos papos intermináveis e profundos nos quais embarcamos. Defensora das crianças… você me ouviu com o coração, falamos com a alma…

mulher

Sempre disposta a ajudar. Exigente consigo mesma. Alegre, divertida, belo sorriso onde quer que esteja, carinhosa, assim você me ganha. Meticulosa, perfeccionista, atenta, que não deixa faltar nada. Comprometida com os mais próximos até o fim. Mãe acima de tudo, também esposa, irmã, tia, filha. Amando o infinito, valorizando as pequenas coisas, vendo o coração das pessoas.

Responsabilize-se pelo que puder

Mulher de caráter, emocional que ama e sofre ao mesmo tempo. Você se lembra? Responsabilize-se pelo que pode, mas não pelo que não pode dar… se você não se cuidar e se mimar, acabará ficando doente e, assim, não poderá ajudar. Cada um de nós deve assumir nossa pessoa e tirar proveito disso.

pes-terra

Os apoios? A família quase sempre, financeiramente, emocionalmente, nos amando muito sem julgar, mas quem caminha somos sempre apenas nós mesmas. Ao culpar os demais, acabamos evitando nos olhar no espelho. Que inveja ruim esta! Se deixarmos que se estenda, não sobrará nada para você mesma… apenas para as pessoas que estão ao nosso redor. No entanto, adoro sua alegria, sua vontade de viver, sua força, mesmo que se encontre fraca; e já aprendi a lidar com isso, permito que isso viva em mim.

Você vale pelo que é, não pelo que finge ser

Desfruto, saboreio e transformo tudo em sorriso quando penso em você. Você é assim, tão deliciosa e maravilhosa como suas tortas… em textura, suavidade, beleza, trabalho e sabor! Siga seu caminho e não desanime. Você não vale apenas pelo que trabalha, mas sim por quem você é, porque se não fosse assim, isso não lhe faria tão bem.

Lembrarei-me com carinho e emoção da história da árvore. Uma árvore plantada se lembrando da vida. O corpo vai embora, mas a alma não pode ser esquecida. Você pode vê-la em uma folha, em uma fruta, em uma raiz, em uma semente, em uma estrela. Enquanto uma pessoa se lembrar dessa árvore, ela não morrerá. Sempre se reinventará e apenas crescerá.

vestido-flor

Bom, o que mais posso dizer, querida. Que fico muito alegre por nossos caminhos terem se encontrado. Sempre há boas pessoas caminhando… é preciso apenas estar bem para poder vê-las e você é uma delas. Muitos, muitos abraços com toda minha energia positiva que é baseada na sua e não a abandonará nunca. Dou a você todo o meu amor e compreensão.

Até sempre.

“Na realidade, as pessoas autorrealizadas, as que chegaram a um alto nível de maturidade, saúde e satisfação, têm tanto a nos ensinar que, às vezes, quase parecem pertencer a uma espécie diferente de seres humanos”.
-Abraham Maslow-