Coerência cardíaca: harmonia física e emocional

· janeiro 6, 2018

A coerência cardíaca é um termo que descreve um estado de grande eficiência física e psicológica. O coração tem cerca de 40.000 neurônios que se conectam ao nosso cérebro emocional. Dessa forma, quando há equilíbrio interno e emoções positivas, o nosso coração se harmoniza e envia sinais de tranquilidade ao cérebro para que os pensamentos fluam, de modo que o estresse seja regulado…

É muito provável que esta ideia seja nova para a maioria de nós. É um conceito fascinante que muitos especialistas relacionam com os fundamentos da Inteligência Emocional. Esse novo conceito descreve esses estados onde o nosso sistema nervoso, o sistema endócrino, o sistema imunológico e, sobretudo, o sistema cardiovascular, trabalham de forma eficiente, regulando o nosso estado emocional.

“Descanse. Um campo descansado dá uma colheita generosa”.
– Ovídio –

O nosso coração, embora isso nos surpreenda, também tem o seu próprio “cérebro”. Na verdade, ele possui um circuito neuronal inter-relacionado muito complexo que influencia as nossas emoções, bem como a fisiologia do nosso corpo. Além disso, o coração estimula a liberação de certos hormônios, como a adrenalina ou a oxitocina, relacionados ao amor, ao cuidado e ao comportamento social.

Tudo isso nos encoraja a entender um pouco mais o nosso corpo e a entender algo ainda mais fascinante, que é a coerência cardíaca. Um coração tranquilo, um coração que bate em harmonia, que interpreta que “tudo está bem”, envia sinais de calma para o cérebro e para o sistema nervoso periférico autônomo para que fiquem sintonizados com esse sentimento de bem-estar…

Coração versus razão

Coerência cardíaca: o seu cérebro e o seu coração estão conectados

Para entender melhor o conceito de coerência cardíaca, façamos um pequeno teste. Sente-se por alguns minutos, procurando relaxar. Coloque a mão sobre o coração e sinta por um momento como ele bate. Ele bate muito rapidamente ou faz isso de forma rítmica e calma? Se estivermos relaxados, a frequência cardíaca será normal e os nossos pensamentos fluirão com tranquilidade, sem pressões e negatividade.

No entanto, se mesmo que você esteja sentado, experimentar taquicardia, é muito provável que esteja submetido a um estado de estresse ou de ansiedade elevada. Isto favorece um tipo de pensamento caracterizado pela pressão; uma angústia orquestrada por um cérebro e um coração que interpretam que estamos enfrentando algum tipo de ameaça.

Como podemos deduzir, emoções como medo, estresse ou raiva fazem com que o nosso coração bata de forma rápida e irregular. Quando isso acontece, provoca um caos bioquímico e orgânico, um desequilíbrio que se irradia para os outros órgãos, especialmente o cérebro. De fato, a comunicação neurocardíaca entre os dois é muito intensa e o coração envia muito mais informações para o cérebro do que o cérebro para o coração.

Essa maravilhosa engenharia é conseguida através de fibras nervosas que vão do coração até a base do crânio.

Estresse

Coerência e caos cardíaco

Todas aquelas emoções que chamamos de negativas, como a irritação ou a raiva, dão forma ao que conhecemos como caos cardíaco. No entanto, também podemos dizer que algo tão comum quanto os estados de preocupação ou tensão emocional originados pelo nosso trabalho ou nossos relacionamentos também quebram a harmonia, e o coração bate em um ritmo cardíaco irregular.

A coerência cardíaca, por sua vez, aparece com os estados de calma, felicidade, satisfação, bem-estar… A harmonia do coração atinge o nosso cérebro e nos permite pensar melhor, pensar positivamente ou mesmo favorecer a nossa criatividade. Por exemplo, a coerência cardíaca melhora os ritmos fisiológicos do sistema respiratório, circulatório e até digestivo, trabalhando em sincronia e de maneira mais saudável.

Como podemos favorecer a coerência cardíaca?

Alcançar uma coerência cardíaca adequada tem, como já podemos imaginar, inúmeros benefícios. Nos sentiremos muito melhor fisicamente, o cérebro trabalhará de forma mais eficiente quando se trata de processar informações, gerar ideias, se conectar com a realidade, com o aqui e agora.

No entanto… como podemos alcançá-lo? Como podemos favorecer uma coerência cardíaca adequada? Estas seriam algumas chaves.

“Elimine da sua vida tudo o que provoca estresse e apaga o seu sorriso”.
– Paulo Coelho –

Gota pingando e formando coração na água

  • A Técnica do Biofeedback: é um tipo de terapia muito útil para pacientes com TDAH, com insônia, com fobias ou dor crônica… O objetivo é ambicioso e muito interessante: controlar as funções fisiológicas da pessoa para melhorar sua qualidade de vida física e mental. Para isso, podemos recorrer a um profissional especializado que trabalhe com essa técnica e nos forneça as ferramentas necessárias para nos beneficiarmos com os seus efeitos.
  • Estar mais atento ao nosso interior: Vivemos centrados no exterior, em tudo o que nos rodeia, focados em tudo o que temos ou o que nos falta. No entanto, estamos desconectados desse mundo interior onde o coração e a mente produzem o nosso bem-estar ou o desconforto. Precisamos aprender a nos ouvir mais, controlar a nossa respiração, aplicar técnicas adequadas de relaxamento ou meditação…
  • Yoga, Mindfulness, exercício físico… Uma forma de promover a coerência cardíaca é praticar aqueles exercícios que nos tornam mais conscientes do nosso coração, como respiramos, como nos sentimos. Não hesite em dedicar pelo menos uma hora por dia para praticar algumas dessas dinâmicas que favorecem uma adequada conexão mente-corpo.

Para concluir, temos certeza de que, a partir deste momento, todos nós vamos manter este termo em mente. A coerência cardíaca é sinônimo de bem-estar, harmonia interna, tranquilidade mental. Pratique e descubra como a coerência cardíaca pode melhorar a sua vida.