Como se preocupar menos: 4 dicas para reduzir as preocupações cotidianas

· setembro 1, 2018

Como se preocupar menos se as preocupações nos abordam desde as primeiras horas da manhã? Não nos largam nem nos nossos sonhos quando temos assuntos pendentes para resolver. O ritmo acelerado de vida no qual a nossa sociedade está imersa na maioria das vezes nos impede de saborear os momentos com calma ou de observar o que está acontecendo conosco a partir de outras perspectivas.

É importante entender que, se queremos nos preocupar menos, é necessário mudar a nossa forma de pensar e ver o mundo. Isso quer dizer que precisamos abandonar a famosa crença de que a preocupação é importante e tem um papel positivo.

“Se eu não estiver preocupado, eu não produzo”. Nem sempre é assim. Na verdade, quando estamos preocupados gastamos uma grande parte do nosso tempo simplesmente pensando. Uma vez que nos damos conta de que a preocupação é uma armadilha mental, pouco a pouco podemos ir desativando os pensamentos negativos para recuperar o controle de nossa mente.

Isso não quer dizer que não existam preocupações positivas que nos estimulem a agir e a resolver um problema. Claro que isso acontece. O problema existe, na verdade, quando as preocupações se tornam recorrentes e incontroláveis, de forma que ao invés de funcionarem como impulso, acabam nos paralisando. Além disso, as preocupações também podem afetar de forma negativa tanto a nossa saúde emocional quanto física.

A seguir, vamos propor algumas dicas de como se preocupar menos e reduzir as preocupações cotidianas.

Como se preocupar menos

Meditar

A meditação é ideal para reduzir as preocupações do dia a dia, já que ela nos ajuda a desconectar do ruído, tanto interior quanto exterior. Além disso, também nos permite mudar nosso foco. O fato de focar a atenção no presente torna possível interromper o interminável ciclo de preocupações relacionadas com o passado e o futuro.

Mulher meditando para reduzir as preocupações

Do mesmo modo, a meditação é uma forma de observar como funciona nossa mente e, consequentemente, de aprender os padrões de pensamentos que temos, aqueles rígidos e negativos que eventualmente tomam conta de nós. Para isso, só precisamos buscar um lugar confortável e tranquilo e começar a focar a atenção na respiração.

Além disso, segundo alguns estudos, praticar meditação nos ajuda a reduzir os níveis de estresse e ansiedade, sendo útil na hora de diminuir as preocupações cotidianas, mas também para outros objetivos.

Planejar um momento para se preocupar

Em alguns casos pode ser muito útil reservar alguns minutos do dia para se preocupar. Planejar em que momento do dia vamos fazer isso e dedicar um tempo para as preocupações é um poderoso exercício que poderá ajudar a gerir melhor essas crenças que ficam dando voltas em sua mente.

Tenha em conta que dedicar um tempo exclusivo para suas preocupações também vai ajudar a economizar tempo, pois fora desse momento, em todos os outros você deverá deixar as preocupações de lado e esperar a hora certa para pensar nelas.

Fazer exercícios

O exercício ajuda a relaxar, favorece um bom sono, serve como distração para as preocupações cotidianas, aumenta a autoestima e faz com que nos sintamos melhor.

Além disso, os benefícios mais notáveis aparecem quando praticamos exercícios de forma regular. As pessoas que fazem exercício com assiduidade têm uma menor probabilidade de sofrer de ansiedade em relação àquelas que não têm nenhum tipo de treino na sua rotina.

Pesquisadores confirmam que o exercício físico reduz a ansiedade, melhora o bem-estar emocional e aumenta a energia. Inclusive, considera-se que a prática de exercício também tem um papel importante no tratamento de pessoas que sofrem de transtornos de humor, como a depressão.

Falar de suas preocupações

Se você pensava em como se preocupar menos, e achava que para isso deveria ignorar totalmente seus problemas, estava enganado. Na verdade, outra das chaves para reduzir as preocupações cotidianas é falar sobre elas com pessoas de confiança, pessoas que escutam sem julgar, criticar, e que são capazes de prestar atenção no que você está dizendo sem se distrair. Claro, isso deve ser feito na hora específica que você destinou para suas preocupações, conforme falamos acima.

Casal tendo discussão amigável

Quando as preocupações começam a girar em uma espiral em nossa mente, e ela vai se tornando cada vez maior, tente falar com outras pessoas. Com certeza isso vai ajudar a reduzir seus medos, a ver o que está acontecendo com você a partir de outra perspectiva, ou simplesmente pode ajudar por se sentir ouvido. Dessa forma, suas preocupações começarão a perder o protagonismo em sua mente.

Manter-se preocupado só alimenta o círculo vicioso do medo e da ansiedade. Por isso, é recomendável dizer seus pensamentos em voz alta. Além disso, quando estamos no meio do mar agitado das preocupações, é muito mais difícil encontrar um momento de calma. De fato, na maioria das vezes aquilo que está nos causando preocupação não vai acontecer, ou ao menos não como imaginávamos que aconteceria.

Como podemos ver até aqui, o importante é aplicar essas estratégias que nos permitam mudar nossa perspectiva para observar o que está acontecendo através de um novo olhar. Por meio de uma visão que nos tranquilize, poderemos buscar alternativas que permitam colocar soluções em prática.

“A catástrofe que tanto te preocupa muitas vezes será menos horrível na realidade do que foi na sua imaginação”.
-Wayne W. Dyer-