Dependência emocional na adolescência

· maio 20, 2019
A dependência emocional na adolescência merece uma atenção especial, por um lado, pela natureza dessa dependência e, por outro, pela etapa do desenvolvimento de vida em que ela ocorre.

A psicologia vêm tratando dificuldades emocionais como o ciúme e a dependência emocional há muito tempo. Esta última apresenta uma série de características específicas, e hoje falaremos especialmente sobre a dependência emocional na adolescência.

Sabendo que as interações humanas são sempre complexas, a sociedade em que vivemos, as novas formas de comunicação e certas variáveis ​​da personalidade podem predispor determinadas pessoas a desenvolverem uma dependência emocional. De fato, se temos que lidar com essa dificuldade em algum estágio da vida, esse estágio é, sem dúvida, a adolescência.

A dependência emocional na adolescência pode causar muito desconforto tanto naqueles que a sofrem quanto nos que estão ao seu redor. Vamos falar mais sobre esse fenômeno a seguir.

A adolescência: uma etapa de transição e mudanças

Se há uma palavra que predomina nesta etapa da vida, é a mudança. Tanto do ponto de vista biológico quanto do ponto de vista social, na adolescência ocorre uma série de mudanças. Muitas delas têm um impacto sobre as emoções, pensamentos e comportamentos das crianças. De fato, não exageramos ao dizer que nessa etapa se desenvolve uma grande parte da estrutura da personalidade.

No entanto, o importante sobre essa etapa não são as mudanças, mas como essas mudanças ocorrem. Muitas delas, sejam físicas, sociais, emocionais, sexuais… chegam muito rapidamente. Tão rápido que, em muitas situações, os jovens não têm os recursos ou a maturidade necessária para enfrentá-las.

Dependência emocional na adolescência

Se nos concentrarmos nas mudanças emocionais, devemos notar que elas acontecem em um contexto. Ou seja, a adolescência é um conceito social, já que as influências sociais influenciam muito a forma como meninos e meninas vivem essa etapa.

Emocionalmente, os adolescentes costumam ter que suportar algumas pressões. Por exemplo, é comum que a busca pela aceitação como meio de adaptação ao ambiente faça com que eles ajam da maneira que mais se encaixa no grupo ao qual querem pertencer. Nas relações entre os casais também pode haver todo tipo de pressão, e isso pode gerar muito desconforto.

Os relacionamentos em casal envolvem uma nova maneira de se conectar emocionalmente e nem todos têm o nível de autoconhecimento ou habilidades sociais para saber como estabelecer limites ou se comunicar da maneira mais apropriada.

A dependência emocional na adolescência

Embora este artigo seja sobre a dependência emocional nos relacionamentos amorosos, existem outras dependências emocionais, como os vínculos maternos ou paternos ou as relações de amizade. Concentrando-nos no casal, existem muitas definições de dependência emocional, mas todas têm as seguintes características em comum:

  • Necessidade. Quando alguém tem uma dependência emocional, cria uma necessidade ou um conjunto de necessidades. Especificamente, necessidades emocionais de passar tempo com o parceiro ou de ser aceito ou aprovado pelo mesmo.
  • Medo. Em um nível muito profundo, a base da dependência emocional (e também do ciúmes) costuma ser o medo. O medo do abandono, o medo da rejeição ou medo da solidão são muito frequentes quando esse tipo de dependência ocorre.
  • Redução da liberdade. Não há dependência emocional que não afete nossa liberdade. Dependências emocionais muitas vezes nos empurram a parar de fazer as coisas que costumávamos fazer porque gostamos ou deixamos de estar com pessoas com as quais nos sentíamos confortáveis.
  • Repercussão no comportamento, pensamentos e emoções. As necessidades, discutidas no primeiro ponto, afetam os níveis comportamental, cognitivo e emocional. De fato, a percepção da realidade muitas vezes é tão alterada que aqueles que vivem situações de dependência emocional não percebem isso, mas o resto do seu entorno o faz imediatamente.
  • Isolamento social. Ao prestar mais atenção ao parceiro, ao tentar lhe dedicar mais tempo, inevitavelmente renunciamos a passar mais tempo com outras pessoas. Progressivamente, aqueles que têm uma dependência emocional vão querer passar mais tempo com o parceiro e menos com o restante do seu círculo social.
Menina com dependência emocional

Além disso, também é necessário aludir à dependência emocional mútua ou codependência emocional. Isso ocorre de forma bidirecional, por parte dos dois membros do casal, e acentua os traços que definem essa dependência.

Quando um adolescente tem uma dependência emocional no âmbito de casal, não devemos forçá-lo a terminar a relação como uma imposição. É muito mais útil estar disponível para falar e, acima de tudo, para ouvir.

O apoio e a empatia são fundamentais para lidar com casos de dependência emocional. Apesar de esta situação ser claramente vista de fora, aqueles que a vivem não a percebem da mesma maneira, e nós devemos respeitar o tempo de cada pessoa.