Como o exercício físico ajuda a superar um vício?

· novembro 19, 2018

É de conhecimento geral que o exercício tem muitos benefícios para a saúde, tanto físicos quanto mentais. Além disso, ele também serve como ponto de apoio para superar muitos problemas; podemos, por exemplo, contar com a ajuda do exercício físico para superar um vício. Não se trata de uma hipótese ou de uma questão observada, mas pesquisas provam isso.

A maioria dos tratamentos para o vício envolve alguma forma de psicoterapia ou aconselhamento, e se concentra em ajudar o viciado a descobrir por que continua com seus comportamentos de dependência apesar dos problemas que surgem como resultado dela. Também apresentam formas mais eficazes de lidar com os sentimentos que estão na base dos comportamentos viciados.

No entanto, embora essas abordagens de tratamento sejam úteis para muitas pessoas com vícios, alguns sentem que precisam de uma abordagem que também ajude nos aspectos físicos, em oposição aos aspectos mentais ou emocionais do vício. Muitos acham que o exercício ajuda a controlar os desejos.

Ao longo dos anos, o exercício tem sido reconhecido como uma ferramenta de autoajuda para as pessoas que se recuperam dos vícios. No entanto, até recentemente, não conhecíamos o total valor desse suporte. Vejamos a seguir como o exercício físico ajuda a superar um vício.

O exercício físico para superar um vício

Quando uma pessoa tenta superar o vício, a mente e o corpo pedem a substância que produz endorfinas no cérebro e cria a sensação de estar drogada. Se acrescentarmos a isso o estresse da vida diária e os desejos, a mistura pode atingir níveis insuportáveis.

O exercícios vigorosos também liberam endorfinas. Como resultado, você sente a mesma sensação de euforia que acompanha um produto químico ou o que o torna viciado.

Superar um vício por meio do exercício físico

Embora possa ser menos intenso do que o que é sentido com drogas, álcool ou qualquer outra coisa que o tenha prendido, os efeitos de fazer exercício podem ser agradáveis tanto mentalmente quanto fisicamente. De fato, um estudo de pacientes que receberam tratamento para abuso de substâncias demonstrou que o exercício pode levar a uma sensação de realização e uma maior confiança em permanecer sóbrio.

Por outro lado, é normal que uma pessoa se sinta ansiosa ou deprimida quando tem abstinência. No entanto, o exercício pode estimular uma vida saudável sem vícios. Nesse sentido, foi demonstrado que o exercício:

  • Reduz os desejos e uso de substâncias.
  • Diminui a eficácia dos drogas, diminuindo a suscetibilidade ao uso e abuso.
  • Restaura as células cerebrais danificadas pelo abuso intenso de drogas.
  • Produz “recompensas neurológicas” e aumenta a autoestima.
  • Reduz a ansiedade e o estresse.
  • Promove um sono melhor.
  • Melhora o pensamento e promove uma perspectiva positiva.
  • Preenche um vazio, oferecendo estrutura e rotina.
  • Serve como um mecanismo de enfrentamento construtivo.
Podemos usar o exercício físico para superar um vício graças aos vários benefícios que ele produz a nível físico e emocional.

Por que o exercício físico ajuda a superar um vício?

O exercício físico ajuda a perder e a administrar a perda de peso, a ter mais energia e força muscular, melhora a circulação, melhora a autoestima e o humor, reduz a depressão e a ansiedade e aumenta a acuidade mental, entre outros benefícios.

Um estudo publicado pelo Scandinavian Journal of Public Health apoia esta ideia. Este estudo descobriu que as pessoas que incorporaram exercícios em seus programas de reabilitação relataram uma menor ingestão de medicamentos e uma melhor qualidade de vida. Os participantes disseram que se sentiam mais enérgicos, conseguiam respirar melhor e se sentiam melhor em relação à aparência.

Exercício para superar a abstinência

A abstinência é uma experiência desagradável que ocorre quando se interrompe o consumo uma substância viciante, como o álcool ou as drogas, ou um comportamento, como jogos de azar, sexo compulsivo ou comer em excesso.

Os sintomas de abstinência variam em intensidade e dependem do indivíduo e do que eles estão se afastando. No entanto, é comum em todas as síndromes de abstinência o desejo pela substância ou comportamento, assim como a sensação de alívio quando a substância é consumida ou quando o comportamento ocorre.

Homem sofrendo com crise de abstinência

São comuns durante a abstinência os sentimentos de depressão ou desespero, ansiedade ou letargia, irritabilidade ou raiva. Além disso, podem surgir problemas digestivos e sintomas do sistema nervoso, tais como sudorese, boca seca ou úmida, dores de cabeça e tensão muscular.

Já sabemos que o exercício reduz o estresse, a ansiedade e a depressão. Como esses são os principais sintomas de abstinência, os especialistas sugerem cada vez mais que o exercício pode aliviá-los.