Não existem pessoas tóxicas, existem comportamentos tóxicos

Não existem pessoas tóxicas, existem comportamentos tóxicos

Março 2, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Não existem pessoas tóxicas, existem comportamentos tóxicos

A ideia de que existem “pessoas tóxicas” se espalhou. Na verdade, o adjetivo “tóxico” agora se aplica com grande facilidade a qualquer pessoa que tenha dificuldades de relacionamento. De uma ou outra maneira, tem servido para exacerbar a intolerância. Portanto, é hora de esclarecer que, na realidade, não existem pessoas tóxicas, mas comportamentos tóxicos.

Nenhum ser humano se reduz a uma classificação tão generalista como “bom” ou “mau”. Nem, é claro, a um qualificativo tão negativo como “tóxico”. As pessoas, como a vida, são variáveis. Há momentos em que surgem comportamentos equivocados ou destrutivos. Você pode até permanecer com eles por um longo tempo, mas isso não significa que sejam tóxicos em si mesmos. Ninguém é tóxico e não se pode usar essa palavra para classificar a essência de alguém.

“Não se apegue a aqueles que não se alegram com os seus sucessos”.
-Bernardo Stamateas-

Qualquer pessoa pode apresentar um comportamento tóxico, mas isso não indica que o manifesta durante toda a sua vida. O comportamento pode ser reorientado e transformado de maneira construtiva. Em qualquer caso, não se trata de “uma praga” para se afastar, mas de um indicativo de que a pessoa está com problemas e, por isso, não está ciente do dano que causa aos outros e a si mesmo.

Como são os comportamentos tóxicos

Os comportamentos tóxicos mascaram insegurança e baixa autoestima. Ao mesmo tempo, apresentam características narcisistas que compensam a falta de amor próprio. Além disso, são frequentemente acompanhados de crenças errôneas, que dão um falso apoio a essa maneira de agir.

Boneco de madeira

Assim, as principais características dos comportamentos tóxicos são:

  • Manifestam um desejo de controle. Há uma forte necessidade de controlar as pessoas amadas. Saber tudo sobre elas. Onde estão, com quem, o que fazem. Também se manifesta como um interesse permanente em se intrometer ou influenciar sua maneira de ser e agir.
  • Usam manipulação emocional. É comum que nos comportamentos tóxicos a chantagem seja usada como meio para que o outro faça o que a pessoa deseja.
  • Tentam desprezar e culpar. Os comportamentos verbais tóxicos enfatizam os erros e o vazio dos outros. Além disso, procuram evitar a responsabilidade individual e culpar os outros.
  • Mascaram inveja e ciúmes. Os comportamentos tóxicos impedem que se celebrem os sucessos do outro. A independência e as conquistas dos outros são vistos como uma ameaça.

O que fazer diante dos comportamentos tóxicos?

Os comportamentos tóxicos não podem ser levados como algo geral, aplicáveis a qualquer um que apresente uma ou várias das características apresentadas. Há sempre graus, níveis e contextos. É fato que, em alguns casos, os comportamentos tóxicos são muito enraizados. Nessas condições, não há outra alternativa a não ser tomar distância. Mas isso não significa que se deve excluir o outro. É importante fazê-lo perceber que a causa do distanciamento é seu comportamento destrutivo.

Estamos constantemente expostos a contradições nas relações que mantemos com os outros. É fato que se pode alcançar um equilíbrio, mas isso dificilmente ocorre de maneira natural. Em geral, só é alcançado após um bom número de altos e baixos. Cada um leva em suas relações vazios, fraturas e inconsistências. Não é sensato evitar tudo isso, mas sim gerenciar e equilibrar.

Amigas brigadas

O diálogo sempre será a maneira privilegiada para construir pontos de encontro. Quando uma pessoa não tem comportamentos tóxicos, tem a capacidade de ajudar quem os tem a enxergá-los. Também consegue estabelecer limites às tentativas de controle e aos comportamentos invasivos. Se os permite, promove, tolera ou silencia, significa que também está dentro da mesma lógica. Ou seja, dentro de uma lógica destrutiva.

A melhor maneira de ajudar alguém que tem um comportamento tóxico é não permitir. Todo vínculo possui regras de jogo, em parte explícitas e em parte implícitas. Não se deve permitir que ninguém tolere a manipulação, o desprezo e qualquer outro comportamento que degrade ou explore o outro. O que devemos erradicar são os comportamentos tóxicos, não as pessoas que os manifestam.

Recomendados para você