Grandes amores da história capazes de nos inspirar

Três grandes amores da história

janeiro 21, 2018 em Curiosidades 174 Compartilhados
Grandes amores da história

O amor sempre tem um toque mágico, não importando as circunstâncias em que ele acontece. Tudo muda, de algum modo a vida fica cheia de poesia. O amor transforma quem ama. É como se desse asas para o apaixonado e renovasse suas forças com uma vitamina especial. Como prova do poder do amor para alavancar corações, hoje iremos contar os detalhes de três grandes amores da história.

Falamos de relações que, por uma ou outra razão, ultrapassam os limites da normalidade. Tiveram que vencer obstáculos gigantes, ou sucumbiram a eles. Mantiveram-se fiéis ao amor, apesar das adversidades. Por isso, passaram para a história e se tornaram inesquecíveis.

São muitos esses grandes amores da história. Dessa vez, lembraremos de três deles. Falaremos aqui de amantes valentes e solitários, que se mantiveram juntos apesar de tudo. São verdadeiras provas de que o amor é uma força de enorme poder, que pode sim mover montanhas.

1. Manuelita e Bolívar, um dos grandes amores da história

Manuelita Sáenz era uma mulher que tinha tudo o que qualquer um poderia desejar. Vinha de uma família rica e havia se casado com um inglês que adorava. Era jovem, bela e uma das figuras mais respeitadas de Quito. O mesmo dia em que se consolidou a independência de sua província foi o dia que mudou a vida de Manuela para sempre. Houve um baile e nele ela conheceu o homem que amaria até sua morte: Simón Bolívar.

Manuelita e Bolívar

Manuela deixou seu esposo, sua terra e todo o seu conforto garantido para seguir seu amor. Ele também se apaixonou por ela. Chamava-a de “minha amada louca”. Ela esteve com ele até nos quartéis e lutou junto com o exército que comandava. Isso deu a ela o cargo de capitã no exército.

O que, no entanto, tornou esse casal em um dos grandes amores históricos foi a corajosa atuação dela na chamada “conspiração de setembro”. Os inimigos de Bolívar tentaram matá-lo. Manuela, espada na mão, enfrentou os homens. Isso deu tempo para que ele conseguisse escapar. Essa mulher passou para a história como “a libertadora do libertador”, como era chamado Bolívar.

2. Abelardo e Eloísa

Abelardo e Eloísa também são personagens de um desses grandes amores da história. Pedro Abelardo foi um dos homens mais sábios de seu tempo. Era filósofo e teólogo, mas sua fama não chegou a nossos dias por essas ocupações. O que o tornou famoso foi sua difícil relação com Eloísa. Ela era considerada uma das mulheres mais ilustres de sua época, e ele foi seu maestro quando ela tinha apenas 16 anos.

Os dois se apaixonaram ardentemente e ela ficou grávida, algo insólito naqueles tempos. Abelardo a sequestrou e levou para casa de sua irmã. Ali nasceu “Astrolabio”, que ficou sob o cuidado dos pais de Abelardo. Logo os dois se casaram em segredo, para não interferir na carreira canônica de Abelardo. O tio, tutor de Eloísa, a repreendeu por não divulgar publicamente o casamento. Chegou inclusive a agredi-la várias vezes.

Abelardo levou Eloísa para sua ordem religiosa para protegê-la de seu tio. Este enfurecido, castrou Abelardo. Os dois amantes não voltaram a se ver nunca mais. Nunca deixaram, no entanto, de estar em contato através de cartas. As cartas se tornaram uma das grandes obras da literatura francesa. No século XIX os restos mortais dos dois foram reunidos na mesma tumba em Paris.

3. Eduardo VIII e Wally Simpson

A história de Eduardo VIII e Wally Simpson é outro desses grandes amores da história que fizeram uma grande diferença. Essa relação alcançou enorme fama mundial porque ele renunciou ao trono da Inglaterra para poder casar-se com ela. Houve quem o defendesse e houve quem o criticasse. Muitos viram nos dois um dos amores mais românticos do séculos XX. Outros, uma palhaçada.

Casal se olhando apaixonados

Os ingleses jamais perdoaram seu soberano por ter tomado essa decisão. Os grande amores históricos às vezes esbarram em assuntos mais práticos, como o poder. Era 1936 e a Europa estava à beira de uma guerra. Eduardo VIII tinha fama de caprichoso e de ter uma personalidade fraca. Churchill chegou a dizer que todo o Reino Unido deveria agradecer a Wally Simpson por ter livrado o país do péssimo rei que ele se tornaria.

O certo é que o herdeiro da coroa se apaixonou perdidamente por ela e renunciou a tudo pra estar ao seu lado. O que aconteceu a seguir foi desconcertante. O casal levava uma vida totalmente frívola. De festa em festa, de viagem em viagem. Deixaram uma infinidade de contas a pagar por onde passaram. Ela adorava humilhá-lo. E ele se apaixonava mais. Suportou tudo, até descaradas infidelidades.

Claro que há muitas relações que não entraram para a história apenas por não terem sido vividas por pessoas mais conhecidas, mas certamente mereceriam. A força de um grande amor supera tudo. Nesse sentido, os seus protagonistas são pessoas de grande sorte, por mais caro que paguem por um grande amor.

Recomendados para você