A dor do luto por uma pessoa desaparecida

junho 29, 2020
O luto por alguém desaparecido traz uma dor que torna a realidade da pessoa difícil de entender e explicar. É o tipo de sofrimento no qual o que sentimos não pode ser definido por palavras.

O luto por uma pessoa desaparecida vem acompanhado por um imenso vazio. Um vazio tão grande que faz você repensar seus objetivos e o significado da sua vida. Após uma perda, geralmente há um luto. Mas o que acontece quando essa dor é muito forte e vai e volta? A dor de não saber o que aconteceu com uma pessoa desaparecida tem um enorme impacto sobre seus entes queridos. Falamos sobre isso neste artigo.

Para começar, o luto é um conjunto de fenômenos que ocorrem após a perda. São questões que vão além do psicológico e que abrangem o físico, o antropológico, o econômico, o social e o espiritual. Uma perda é “uma privação ou falta de pessoas, coisas ou representações mentais que desencadeia reações afetivas, cognitivas e comportamentais” (Tizón, 2013).

“A morte é a vida vivida. A vida é uma morte que chega”.
-Jorge Luis Borges-

Mulher enfrentando luto

Luto por uma pessoa desaparecida

É uma separação repentina e inesperada de alguém que você ama. Várias razões podem levar ao seu desaparecimento. Isso causa um grande impacto, porque as pessoas próximas são assombradas pelo silêncio e pela falta de informações.

Muitas vezes acontece que, após o desaparecimento de uma pessoa, sua família procura seguir seus passos para coletar informações. No entanto, pode ser que a situação esteja à margem da lei e que não seja possível descobrir a verdade. Em alguns casos, ir atrás dela sem o respaldo da polícia pode ser perigoso.

Quando uma pessoa desaparece, é difícil saber se ela está viva ou não. Essa situação dificulta o processo de luto. Uma das perguntas mais frequentes no luto por uma pessoa desaparecida é: como aceitar a perda de um ente querido quando não se tem certeza de que ele se foi?

Por que falamos de dor suspensa?

O luto por uma pessoa desaparecida é uma dor suspensa, porque às vezes você a pausa toda vez que recupera a esperança de encontrar o seu ente querido. É como se você visse uma luz no meio de uma tempestade que diz para você não desistir, que aquela pessoa retornará.

Portanto, é uma dor intermitente, suspensa ou pausada graças à ansiedade que o mantém separado e, ao mesmo tempo, tão próximo do seu ente querido. Ainda é difícil porque está lá, suspensa. Além disso, causa um profundo estresse e angústia, que às vezes parecem não ir embora.

No luto por uma pessoa desaparecida, prevalece o sentimento de incerteza, especialmente quando o desaparecimento é forçado. Isso leva a uma grande dor, do tipo que você não pode definir, pois lhe faltam palavras. Do tipo com a qual você não sabe lidar porque a perda é bem diferente das outras.

Como lidar com o luto por uma pessoa desaparecida?

Como aceitar a perda de alguém que pode não retornar? Que palavras usar para descrever essa dor imensa? Como seguir em frente com esse grande vazio?

Passamos por vários lutos na vida. Alguns são o resultado natural de uma mudança em nosso ciclo de vida. Outros podem vir de situações que nunca imaginávamos que poderiam ocorrer conosco. A verdade é que enfrentá-los é um grande desafio. Mesmo quando se trata do luto por uma pessoa desaparecida, existem maneiras de resolver isso.

Segundo o especialista no assunto Jorge L. Tizón (2004), o luto consiste nos “processos psicológicos a favor da aceitação da nova realidade interna e externa do indivíduo”.

Esta teoria propõe que há diversas etapas para chegar à elaboração do luto. O que acontece quando você está de luto por uma pessoa desaparecida é que a situação é tão diferente que você nem sempre pode seguir o processo “normal”.

Quando a pessoa de luto tem os restos mortais de seu ente querido, muitas vezes ela começa a aceitar a sua morte. No entanto, quando se trata de uma pessoa desaparecida, a pessoa de luto não tem isso, tem apenas a incerteza. Como resultado, ela pode se sentir culpada se escolher assumir uma morte da qual não pode ter certeza. Além disso, ela pode até sentir como se estivesse matando seu ente querido ao fazê-lo.

Mulher chorando e sendo consolada

Os familiares da pessoa desaparecida insistem em pensar nela como se estivesse viva. É o que afirma Ramírez Guerrero e Salvador em seu artigo publicado no International Journal of Good Conscience, em 2014. Essa situação os impede de superar o luto.

Então, como resolver esse luto? É difícil colocar em palavras algo que causa muita angústia. No entanto, você pode tentar outros meios de comunicação, como a arte. Com ela, você pode transmitir informações de uma maneira diferente, de forma que o seu inconsciente se liberte. Além disso, permite que você progrida pouco a pouco e se torne consciente do que está acontecendo. Você usará símbolos e depois conseguirá colocá-los em palavras.

Além disso, você pode se apoiar na resiliência, que consiste em superar o que o aflige. Para isso, você precisa encontrar um significado na sua vida. Você não precisa parar de amar ou de sentir falta daquela pessoa que desapareceu. Em vez disso, avalie o seu “aqui e agora” e continue em sua caminhada; será menos dolorosa. Além disso, você pode procurar ajuda psicológica.

O luto por uma pessoa desaparecida não é uma questão simples. É uma dor difícil de descrever em palavras. No entanto, você pode nomeá-la ao elaborá-la. Elaborar consiste em aceitar a perda, não renunciar às suas memórias e experiências. A resiliência é uma das armas de enfrentamento, enquanto a arte é um grande mobilizador que constrói pontes que dão sentido à vida e à dor.

Ramírez Guerrero, E.S. (2014). El trabajo de Duelo Frente a Personas Desaparecidas. Análisis de Caso. International Journal of Good Conscience.

Tizón, J. L. (2004). Pérdida, pena, duelo. Vivencias, investigación y asistencia, (12). Madird: Grupo Planeta.