O mago e suas ovelhas, um inspirador conto oriental

· setembro 1, 2018

Esse inspirador conto oriental fala de três homens do bem que viviam com suas famílias em uma região em que a água era escassa. Em uma ocasião, um verão foi tão seco que começou a faltar água de forma bastante preocupante. Ninguém sabia o que fazer.

Os três homens eram bons amigos e sempre se ajudavam. Por isso eles se reuniram uma certa noite para pensar entre todos uma solução para aquela seca. Os três chegaram à conclusão de que era necessário ir até a aldeia mais próxima, que ficava a quatro dias de distância, para comprar água lá.

“Uma pessoa deve ser tão humilde quanto o pó para poder descobrir a verdade”.
-Mahatma Gandhi-

Os homens repassaram a ideia para toda a comunidade. Apesar do fato de todos estarem precisando de água, ninguém se animou a acompanhá-los. Foi assim que os três saíram naquela madrugada, com pouco alimento mas dispostos a cumprir sua missão.

Se eles não fizessem isso, havia um risco de morte para todos. Então, eles deveriam racionar suas provisões de forma inteligente para conseguir completar a travessia.

Água em abundância

Este antigo e inspirador conto oriental diz que os três homens caminharam de forma decidida, sem parar para descansar, durante quatro dias. Chegaram suados e cansados à aldeia mais próxima, mas estavam felizes. Estavam a ponto de terminar sua nobre missão de forma bem-sucedida.

Água caindo de pote

Os habitantes do lugar deram alojamento e comida para os estrangeiros naquela noite. Os três amigos estavam muito agradecidos, as pessoas eram muito gentis. No dia seguinte, encheram seus vasos de barro de água fresca. Pegaram toda a água que os burros de carga conseguiam suportar.

Os moradores não quiseram cobrar os homens pelo líquido, tão precioso para eles. Os protagonistas desse inspirador conto oriental se sentiram ainda mais felizes.

Os próprios moradores da aldeia sugeriram que eles fizessem o caminho de volta de noite. O sol estava muito forte naqueles dias de verão, e era muito cansativo caminhar sob seus raios e seu calor. Os três homens aceitaram a sugestão e, na mesma noite, começaram sua marcha de volta para casa. Eles eram guiados pelas estrelas, a noite estava muito clara.

O momento mais importante desse inspirador conto oriental

Quando estava quase amanhecendo, os homens decidiram se sentar e descansar por algumas horas, enquanto o sol fervente começava a subir. Assim fizeram até o meio da tarde, quando retomaram o caminho. Pensaram que já estavam no meio do caminho, e por isso ficaram entusiasmados em pensar no seu povo recebendo-os felizes.

Ao amanhecer, no entanto, notaram que estavam em um lugar pelo qual nunca haviam passado antes. Tentaram se localizar, mas não conseguiram. Estavam em um caminho que desconheciam por completo. Caminharam para um lado, para o outro, mas não conseguiram se localizar e saber onde estavam. O pior era que não havia ninguém à vista, estavam perdidos e não sabiam para onde ir e como sair dali.

Os três homens ficaram um pouco desesperados, e tentaram se acalmar para ordenar a mente. Ficaram assim até que o sol começou a se por. Começaram a caminhar pela rota que parecia ser a mais correta, mas continuaram perdidos. E assim se passaram três dias. Perdidos. As provisões tinham se esgotado e quanto mais se desviavam para achar o caminho de volta mais pareciam se afastar de tudo.

Uma saída inesperada

Enquanto desciam por uma montanha, logo viram que havia uma árvore ressecada mas da qual pendia uma fruta. Era, no entanto, uma fruta pequena, e os três correram para pegá-la. Não sabiam como dividi-la, não era comida suficiente nem para uma pessoa. Estavam nesse dilema quando avistaram um pastor que se aproximava com algumas ovelhas. Era um homem idoso e parecia amigável.

Maçã pendurada em árvore

O homem os cumprimentou. Ao vê-los tão esgotados, perguntou o que estava acontecendo e eles contaram para o senhor. O idoso confessou, então, que era um mago, e que poderia ajudá-los a solucionar o problema. Para isso, cada um devia propor uma solução para que os três pudessem tirar proveito da fruta. Só diante de uma solução correta, que honrasse a amizade dos três, o mago os ajudaria.

Segundo a história desse inspirador conto oriental, o primeiro homem disse para o mago: “Se você tem poderes mágicos, faça com que apareça mais comida”. O mago o recriminou. Nenhuma solução deveria vir por meio de aparições mágicas. O segundo homem então disse: “Faça com que o fruto seja maior para que possamos comer os três”. O mago também o recriminou. As verdadeiras soluções não nascem ao mudar o externo, mas sim o interno.

Foi então que o terceiro homem disse: “Faça com que sejamos menores, e dessa forma o fruto servirá para todos”. O mago se mostrou contente. “Quando estamos com problemas graves, a solução sempre estará em nos tornarmos menores, mais humildes”.

Então, o homem deu dois passos e desapareceu. As ovelhas ficaram lá, como um presente para o três homens. Uma forte chuva começou a cair e, quando enfim se dissipou, os três amigos notaram que estavam muito perto de seus lares.