A mente do assediador

· setembro 29, 2015

Os psicólogos analisam os diferentes perfis das pessoas assediadoras, já que elas não seguem sempre o mesmo grau de perseguição. Além disso, pode ser que um assediador tenha apenas uma vítima ou que coloque em prática seu comportamento com várias vítimas distintas.

Claro que você já ouviu o termo “bullying”, na maioria dos casos entre jovens e crianças na escola; ou talvez o termo “cyberbullying”, quando alguém persegue outra pessoa online, por uma razão em particular, seja esta concreta ou aleatória.

Em um grau mais elevado, podemos citar os “perseguidores”. Este termo se refere a aqueles que perseguem continuamente e assediam fisicamente sua vítima (ou vítimas). Eles procuram estar atrás das vítimas em todos os momentos, mesmo que elas se sintam incomodadas. Eles costumam se intrometer demais na vida das mesmas.

Dentro da psicologia, podemos dizer que este tipo de perseguidor se diverte com a malícia, a obsessão, o mal, a hostilidade, a raiva, o ciúme e a culpa. O objetivo de um perseguidor é ter acesso a uma pessoa que ele gosta, mas que não corresponde o sentimento. Através do medo, ele vai se apoderando de todos os aspectos da vida do outro, e as coisas podem acabar muito mal.

Os psicólogos dividem os perseguidores em dois grandes grupos: psicóticos e não-psicóticos. Isso significa que os perseguidores têm, em muitas situações, distúrbios ou problemas mentais. As subcategorias de perseguidores são:

1. Os rejeitados: perseguem a vítima com a intenção de vingar uma rejeição, como, por exemplo, quando uma garota não aceita sair com um rapaz.

2. Os ofendidos: o objetivo da perseguição é assustar a vítima, por algo que aconteceu entre os dois. Também pode ser uma rejeição, mas não em todos os casos. Pode também ser devido a inveja ou ciúme, por exemplo.

3. Os apaixonados: o perseguidor nesta categoria está convencido de que a vítima é sua alma gêmea, o amor da sua vida, e que eles devem viver e morrer juntos.

4. Os pretendentes: ele também acredita na ideia da alma gêmea mas tem outras características adicionais, tais como falta de habilidades sociais, introversão, e a crença de que tem o direito de ter intimidade com alguém que compartilhe de seus interesses, gostos, etc. Na maioria dos casos, a vítima tem um relacionamento estável com alguém.

5. Os predadores: vivem 24 horas por dia para espiar suas vítimas. Estão cientes de todos as ações da vítima, prendem-se a cada passo dela, conhecem os lugares que frequenta, pode até mesmo revirar o lixo ou gavetas da mesma. Tudo isto para encontrar o tempo e o lugar certo para atacar a vítima (especialmente sexualmente).

Conheça a mente do assediador

Posso estar sendo vítima de um assediador ou agressor?

É mais complicado do que parece detectar se nós estamos sendo assediados por alguém, especialmente se essa pessoa é hábil e se relaciona bem em contextos sociais. O assediador, ao contrário do que se possa pensar, pode ter uma vida que, do lado de fora, podemos considerar “normal“.

Além disso, ele geralmente está ciente de que seu comportamento é considerado socialmente errado e toma cuidado para não ter nenhuma testemunha quando se aproxima da vítima ou modifica o seu comportamento.

Uma vez que os conhecemos um pouco mais, os perseguidores apresentam algum tipo de desequilíbrio emocional como a ansiedade, a baixa autoestima, a insegurança, a inveja e curiosidade, e também podem abusar de drogas e sofrer mudanças muito drásticas de humor.

Preste atenção a estes sinais para descobrir se você está sendo assediado ou perseguido por alguém:

1 – Receber chamadas com uma frequência maior do que você gostaria de uma pessoa com quem você está tendo um relacionamento mais próximo, e que passa a se tornar parte de sua vida de uma forma que você não corresponde.

2 – Você sempre vê a mesma pessoa em seus lugares “chaves”: supermercado, café, cabeleireiro, na rua, etc.

3 – A pessoa que o pressiona chega a ameaçá-lo ou tenta influenciar o seu comportamento: verbalmente ou por meio de ações.

4 – A pessoa está continuamente em cima de você e toma liberdades com você, que você só concederia a alguém com quem estabeleceu uma relação muito íntima.

5 – Esta pessoa diz para o seu círculo social que tem um relacionamento com você e que é muito mais íntimo do que realmente é.

Tenha muito cuidado nessas situações. Se você se identificar com um ou mais aspectos desta pequena lista, a melhor forma de se proteger é compartilhar com as pessoas de sua confiança o que está acontecendo e informar as autoridades competentes.