Como a música influencia a internalização de mensagens?

· setembro 7, 2018

A internalização de mensagens é possível através de inúmeros meios. A música, como um elemento muito importante em nossa cultura e em nossa vida cotidiana, é um deles. São muitos os estilos que podem se adequar ou influenciar nosso humor e nossa personalidade. Nesse sentido, existem músicas que são consideradas até mesmo um estilo de poesia moderna.

As letras das músicas permitem que elas funcionem como um meio de transmissão de mensagens. Mensagens que, de uma maneira ou de outra, quando uma música é bem sucedida, atuam como uma espécie de eco na sociedade, influenciando, por exemplo, a nossa percepção de pertencimento.

Como a música funciona em nosso organismo?

A música pode ter uma grande influência no nosso desenvolvimento cognitivo. Desde os tempos antigos, era usada como um instrumento de relaxamento. Mas, como a música nos influencia?

A influência da música no nosso humor

As emoções são reguladas, em grande parte, pelo que é considerado nosso “cérebro emocional”, composto pela amígdala, hipotálamo, hipocampo e tálamo. Conhecido como “sistema límbico”, esta parte do cérebro é a responsável por regular todas as emoções que emitimos como resposta a vários estímulos ambientais: medo, nojo, alegria, pena, euforia, tristeza, etc.

Ao ouvir música, diferentes substâncias químicas são ativadas no sistema nervoso central. Estas provocam a liberação de diferentes neurotransmissores, como a dopamina ou as endorfinas, que nos dão uma sensação de bem-estar e alegria.

A verdade é que existem músicas que são capazes de gerar emoções, praticamente de maneira universal. Dessa forma, a pessoa que empatizar com uma certa mensagem melódica pode sentir como seu sistema límbico é ativado de uma maneira muito intensa.

A música na internalização de mensagens

Como vimos, a música pode ser um estímulo que induz emoções e facilita a internalização de mensagens. Por exemplo, em uma situação de escolha ou raciocínio, você pode reduzir a quantidade de energia necessária para tomar uma decisão. Em parte, as mensagens transmitidas através da música podem funcionar como guias de comportamento.

A nível social, as melodias têm o poder de gerar laços de união entre diferentes pessoas ou grupos. Assim, o sentimento de pertencer a um grupo pode ser reforçado quando são cantadas músicas muito características desse grupo. Isso é o que conseguem, por exemplo, muitos hinos.

Uma melodia e uma letra dão unidade ao grupo, constituindo-se como um elemento simbólico que o representa e o define.

Exemplo de gênero musical: o estilo RAC

O estilo RAC (Rock Against Communism) surgiu perto dos anos 80 como uma variante do gênero da música rock, associada ao movimento skinheads. Naquela época, concertos contra o racismo foram organizados para lidar com a ascensão de movimentos separatistas. Por outro lado, diferentes partidos políticos de ideologia nacionalista e de extrema-direita adaptaram o estilo da música punk para seus propósitos políticos.

O RAC tem um conteúdo baseado em racismo e xenofobia, principalmente. O problema surge, como já sugerimos, no momento em que nós, espectadores, podemos tornar nossa a sua mensagem. A idealização do grupo ou do cantor pode nos levar a justificar e materializar o que ele canta.

Mais tarde, os preconceitos que se desenvolvem com esse tipo de música podem guiar nosso comportamento. São usados, ​​acima de tudo, como respostas rápidas e argumentos em situações que exigem maior complexidade cognitiva. Desta forma, nos permitem criar uma ideia pré-determinada sobre algo ou alguém sem ter previamente verificado a veracidade dos seus argumentos.

Como a música influencia a internalização de mensagens?

O RAC na Espanha

Na Espanha, foram criados alguns grupos desse tipo de música. Eles se tornaram populares depois dos anos 2000, embora mais tarde alguns tenham sido condenados por crimes de ódio. O discurso que manifestam em suas letras às vezes beira o limite entre a infração penal e a liberdade de expressão, protegida pela Constituição como um direito fundamental. No entanto, às vezes é difícil distinguir entre um e outro.

Os benefícios da música foram confirmados em diversos experimentos a nível cerebral e corporal. Da mesma forma, a música faz parte da nossa cultura, chegando a ser definida através da mesma.

Não podemos ignorar o fato de que as músicas são um importante meio de aprendizado e, através de suas letras, pode ocorrer uma internalização das mensagens. Por isso, devemos prestar atenção ao que escutamos e ao que está sendo transmitido a nós, porque isso pode estar influenciando a formação dos nossos pensamentos.

Referências bibliográficas

  • Mosquera, I. (2013). Influência da música nas emoções. Realitas, Revista de Ciências Sociais, Humanas e Artes, 1 (2), 34-38.