O círculo dos 99, uma história inspiradora

julho 19, 2018

Era uma vez um reino muito distante dirigido por um soberano triste. Ele mesmo não entendia as razões de sua melancolia, até que um de seus sábios conseguiu ajudá-lo a ver que tudo se relacionava com o círculo dos 99. Seria uma lição que o rei nunca esqueceria.

Tudo começou em uma manhã quando o rei, em meio a sua tristeza, viu entrar um de seus criados. O humilde homem sorria e cantarolava uma canção com grande entusiasmo. O rei percebeu que esse criado sempre estava feliz e sentiu curiosidade. Como um criado se sentia feliz e ele, sendo o rei, não encontrava sossego?

“O verdadeiro progresso social não consiste em aumentar as necessidades, mas em reduzi-las voluntariamente. Mas para isso, é preciso ser humilde”.
-Mahatma Gandhi-

Ele perguntou ao homem: “Por que você se sente tão feliz?”. O criado não sabia o que responder. “Por que não me sentiria?”, respondeu finalmente. “Vivo no palácio, servindo o ser mais poderoso do reino… Tenho o que necessito… Uma casa confortável, uma esposa fiel, filhos saudáveis… O que mais eu poderia desejar? Não vejo por que não deveria estar feliz com a vida que tenho…”.

O rei ficou irritado. Não acreditou em uma única palavra. Como um homem que tinha apenas uma casa confortável e uma alimentação muito inferior a sua poderia ser feliz? O rei ameaçou decapitar o homem se ele não revelasse o segredo de sua felicidade. O criado se desculpou e pediu perdão ao rei. Na verdade, ele não tinha como dar outra resposta.

O sábio e o círculo dos 99

Por fim, o rei mandou o criado sair. Não conseguia tolerar aquele sorriso que não se apagava com nada. Nem sequer a ameaça de morte o tinha realmente perturbado. Quando o humilde homem já havia saído, mandou chamar imediatamente os sábios do palácio. Precisava decifrar esse enigma.

Moedas de ouro

Quando os sábios estavam reunidos, lhes ordenou que dissessem por que o criado era feliz com aquela vida miserável e ele, por outro lado, não conseguia deixar de estar triste. Um dos sábios pediu a palavra e disse: “É simples. O criado é feliz porque ainda não conhece o círculo dos 99”. O rei se mostrou intrigado. O que era isso que chamavam de o círculo dos 99?

O sábio disse que era inútil explicar com palavras o significado do círculo dos 99. O melhor era que o rei verificasse com seus próprios olhos. Só era preciso reunir 99 moedas de ouro puro. Ele lhe mostraria como um homem que era feliz se transformaria em um ser infeliz ao entrar no círculo dos 99. O rei aceitou o teste.

A entrada no círculo dos 99

O rei mandou reunir as 99 moedas de ouro maciço, as mais valiosas que havia no reino. Junto com o sábio, as colocou em um saco e as levou, às escondidas, até a casa do criado. Eles deixaram o saco na porta da casa junto com um bilhete: “Esse é um prêmio por ser um criado fiel e dedicado. Aproveite”. Em seguida, ficaram escondidos para observar o que aconteceria.

O criado saiu de repente e viu o saco. Ele ficou surpreso. Olhou para os dois lados e depois entrou em casa intrigado. O rei e seu sábio o observavam de fora, sem serem vistos. O humilde homem pegou as moedas e as esparramou sobre a mesa.

Ele não podia acreditar no que estava vendo. Em seguida, começou a contar sua nova fortuna. Fez pequenos montes de 10 moedas cada. Ao chegar ao último, achou que alguma coisa estava errada. Esse último monte não tinha 10 moedas, tinha 9.

A armadilha do círculo dos 99

O criado pensou que uma moeda havia caído. Ele a procurou por todos os cantos, mas não a encontrou. Em seguida, disse em voz alta: “Alguém viu o saco e roubou uma moeda”. Ele ficou obstinado e começou a fazer contas: Quanto tempo demoraria para conseguir uma moeda para completar cem? O homem fez várias contas.

O círculo dos 99

Trabalhando normalmente, demoraria mais ou menos cinco anos. Mas e se conseguisse uma renda extra? Talvez conseguisse reduzir esses cinco anos a apenas dois. E se pedisse a sua esposa para trabalhar mais também? É possível que em apenas um ano conseguisse realizar seu objetivo…

Desde então, o criado se tornou muito desconfiado. Suspeitava de todos no palácio. Ele pensava que qualquer pessoa poderia ter roubado a moeda que, segundo ele, faltava em sua fortuna. Também tinha medo de que o roubassem de novo.

Ele não parava de fazer novos planos para completar suas cem moedas. Tinha caído na armadilha do círculo dos 99. O criado não pensava mais no que tinha, mas no que lhe faltava. O sábio tinha toda a razão.