O líder perverso: características que o identificam

Para o líder perverso, o mais importante é ter controle sobre os outros, principalmente para manipulá-los psicologicamente. Isso lhes dá uma sensação de superioridade e satisfaz sua vontade de prejudicar os demais.
O líder perverso: características que o identificam

Última atualização: 07 Abril, 2021

O líder perverso é uma figura que possui duas características distintas: ele é influente e age contra o que é saudável para aqueles que estão sob sua área de influência. Não é necessariamente alguém com comportamento excêntrico ou características particularmente cruéis. No entanto, está sempre prejudicando alguém.

A palavra perversão nem sempre é compreendida. Sem chegar a um aprofundamento acadêmico, refere-se a alguém que se desvia do que pode ser chamado de comportamento “normal” em um sentido destrutivo. Em particular, neste caso, àquela pessoa que vai contra a construção de laços cooperativos e empáticos entre as pessoas.

O líder perverso tende a implantar ações para desconstruir o grupo e cada um dos indivíduos que o compõem. Ele exerce um controle meticuloso, mais para exaltar a si mesmo do que para obter bons resultados. Da mesma forma, frequentemente induz transgressões.

Uma inteligência pervertida, qualquer coisa a corrompe.”
-Ovidio-

Chefe perverso

Persuasivo

O líder perverso geralmente tem o que é conhecido como abundância e aderência. A abundância se refere a habilidades, recursos, conhecimentos ou algum outro aspecto em que ele se destaque em relação à média. Este é um fator que frequentemente atrai outras pessoas e fortalece sua autoridade sobre elas.

Por outro lado, é aderente. Isso significa que ele tem uma grande capacidade de transmitir seu entusiasmo ou paixão por algo para outras pessoas. É como se as suas emoções fossem contagiosas e não deixassem ninguém indiferente. Atrai como um ímã.

Tanático, este é o líder perverso

Quando se diz que o líder perverso é tanático, isso significa que ele tende a estabelecer metas destrutivas, mas as faz parecer agradáveis. O exemplo típico é o líder de gangue ou que comanda ações de agressão ou intimidação em um grupo.

Esse tipo de líder tem a capacidade de aprimorar ou descobrir os traços malignos que podem estar nos demais. De uma forma ou de outra, todos nós podemos nos comportar de maneira repreensível em certas circunstâncias, e esse tipo de líder faz parte daquelas circunstâncias que relaxam ou cancelam a supervisão moral do nosso comportamento. Ele gosta de ferir ou destruir e incita os outros à transgressão.

Tóxico

Essa característica é mais visível nos líderes que detêm algum tipo de poder formal. De uma forma ou de outra, eles estabelecem lógicas que predispõem a brigas entre as pessoas. Eles fomentam a competição doentia e promovem o conflito, mesmo que de maneiras sutis.

Para esse tipo de líder, é perigoso que os fracos se unam. Portanto, individualmente, ele busca destruir a confiança que cada sujeito possui. Isso lhes garante um maior controle sobre o grupo, ao mesmo tempo em que aprofunda o efeito do poder que exerce sobre os outros.

Narcisista

Muitos desses tipos de líderes são muito inteligentes ou, no mínimo, muito astutos. Também é muito comum que sejam carismáticos e não se importem com a opinião que os outros possam ter sobre eles. Isso lhes dá uma certa aura de segurança e firmeza.

Suas habilidades, mas principalmente sua estrutura de caráter, os levam a se sentirem superiores. Seu “público” tende a reforçar essa ideia. É por isso que são muito narcisistas, o que equivale a ter dificuldade em ver e sentir além do próprio ego. Eles também podem entrar em colapso facilmente diante de uma ameaça ao seu poder.

Inteligente

Como já observamos, esse tipo de pessoa tende a ter uma inteligência notável. É, antes de tudo, uma inteligência prática que usam, frequente e paradoxalmente, para “compreender” os outros. Eles captam o comportamento dos outros de forma mental, ou seja, sem se sentirem sensibilizados por eles. O objetivo é manipulá-los.

A inteligência desses líderes também se caracteriza pelo desprendimento da ética. Esse tipo de pessoa muito raramente se torna um criminoso violento, mas as transgressões da norma e da lei são muito frequentes. Eles prejudicam e destroem, mas acima de tudo pela satisfação que experimentam em desconcertar ou minimizar os outros, não em eliminá-los.

Relação com o chefe

Subestimado

Os líderes perversos também são frequentemente subestimados de duas maneiras. Primeiro, eles não são caracterizados por ações particularmente conspícuas. Por esse motivo, raramente são classificados como “perversos” pelos outros. Em vez disso, eles são vistos como ousados, audaciosos ou problemáticos, nada mais.

Por outro lado, eles próprios subestimam a sua capacidade de causar danos. Para eles, um crime pequeno não é um crime, e sim um jogo ou um desafio. Portanto, eles não sentem remorso por isso. Eles não acreditam que seu modo de agir seja negativo ou repreensível. Para eles, se houver consequências ruins, não são tão importantes a ponto de mudar.

Esses tipos de líderes geralmente atraem pessoas que se encaixam bem nas suas características. Se estiverem à frente de um grupo de trabalho, por exemplo, muitas vezes envergonharão, humilharão, enganarão e exibirão todo tipo de comportamento para fazer com que aqueles que criticam suas posições se sintam mal. Eles não podem ser classificados como perigosos, mas podem ser classificados como prejudiciais.

Pode interessar a você...
O castigo de nascer perverso
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O castigo de nascer perverso

Uma pessoa perversa se vê diante de pensamentos obsessivos. É uma condição anormal da personalidade, na qual o perverso desenvolve sentimentos de d...



  • Pillajo García, O. A. (2018). “Relación de la estructura perversa y las instituciones.” Análisis de la perversión en la estructuración de los grupos sociales (Bachelor’s thesis, PUCE-Quito).