O que é neurofeedback e como pode nos ajudar?

· setembro 20, 2017

O que é neurofeedback? Trata-se de um tipo de técnica avançada que, de forma gradual, treina o cérebro para se controlar e, assim, melhorar determinados problemas psicológicos como a ansiedade, o estresse e a insônia. Além disso, em muitos casos permite potencializar o rendimento dos processos cognitivos para melhorar a atenção, a memória e o aprendizado.

É muito possível que para muitos só de pronunciar a palavra “neurofeedback” visualizem quase imediatamente uma pessoa com diversos eletrodos colocados na cabeça a ponto de receber uma descarga elétrica. Cabe dizer que não tem nada a ver com isso. O neurofeedback não é invasivo, é indolor, não emite eletricidade nem baseia seu efeito em nenhum tipo de medicamento.

“O neurofeedback é tecnologia de vanguarda que nos coloca frente a frente com o espelho dessa dimensão mais íntima da nossa pessoa: o cérebro.”
-Barry Sterman-

Ele se limita ao uso de certos sensores conectados a um computador. Uma engenharia simples que nos permite criar uma ideia aos poucos segundos da atividade cerebral e sua conectividade. Graças a este software surpreendente de análise cerebral (ou QEEG brain mapping) é possível identificar, por exemplo, quais áreas apresentam uma superestimulação ou quais zonas não estão coordenando a sua atividade com o sincronismo que esperávamos.

Cabe dizer que a técnica do neurofeedback não é nova. Tudo começou no final dos anos de 1950 e princípio dos 60, com Joe Kamiya (doutor da Universidade de Chicago) e Barry Sterman (doutor da Universidade da Califórnia). Ambos trabalhavam em um projeto para a NASA e treinaram diversos astronautas com os parâmetros de neurofeedback para melhorar a adaptação do cérebro à atmosfera exterior. Mais adiante, usaram a mesma abordagem para reduzir em até 60% as convulsões em pacientes com epilepsia.

Atualmente, podemos encontrar cada vez mais centros especializados neste tipo de terapia. É preciso dizer, isso sim, que esta abordagem não é isenta de críticas, contudo, uma área onde se conseguiu resultados muito positivos é no tratamento de transtornos por déficit de atenção com ou sem hiperatividade.

Vejamos mais dados a seguir.

Mulher diante de computador

O que é neurofeedback?

Para entender o que é neurofeedback é preciso ressaltar que ele não é uma cura, não é um remédio capaz de acabar com a ansiedade ou que possa resolver por si só as sequelas associadas ao impacto de um derrame. É muito mais um método de gestão ou controle dos padrões do cérebro para que funcione de forma mais saudável.

Algo assim é alcançado por meio de um mínimo de 20 sessões de treinamento repetitivo usando um programa de neurofeedback computadorizado. Este programa ensina o sistema nervoso central a reorganizar e controlar as frequências das ondas cerebrais.

Para entender isso melhor, vejamos um exemplo.

Não consigo dormir, já tentei de tudo: minha qualidade de vida diminui.

Já faz quase seis meses que Sara está sofrendo de sérios problemas para dormir. Chegou ao ponto de não conseguir se concentrar, de nem se atrever a pegar o carro pelas manhãs para ir ao trabalho, e além disso, percebe que está perdendo completamente o controle de suas emoções.

  • O seu médico lhe recomendou que comece com sessões de neurofeedback.
  • Para isso, deverão ser seguidos certos protocolos básicos: o primeiro passo é realizar uma avaliação psiquiátrica, mais tarde um teste neurológico, e por fim um mapa cerebral ou QEEG.
  • Quando os especialistas realizam este último teste graças ao programa de informática, descobrem que, de fato, o cérebro de Sara está em máximo alerta.
  • As áreas envolvidas na reatividade emocional e a ansiedade trabalham três vezes acima do normal. Portanto, descobre-se que é a sua ansiedade subjacente a que consome todos os recursos do seu cérebro e que por isso, não consegue dormir nem focar a sua atenção, nem ter um controle eficaz sobre suas emoções.

Neurofeedback

Após este primeiro diagnóstico, os especialistas traçam um plano de formação de neurofeedback específico para Sara. Através da conexão entre o computador e o sistema nervoso central da paciente, irão proceder a um treinamento onde graças a uma serie de imagens, sons, frases, música e outros estímulos criarão um padrão de atividade cerebral mais saudável, mais relaxado e ótimo para que a sua qualidade de vida melhore.

Neurofeedback, meditação com alta tecnologia

Não dói, não incomoda, não tomamos nada, nem vivenciamos nenhum tipo de cócegas… O neurofeedback pode ser comparado a agradáveis seções de meditação onde estamos diante a um espelho: esse que reflete a atividade da nossa mente, dessa entidade fascinante, às vezes caótica da qual nem sempre temos pleno controle.

O neurofeedback ajuda a ter maior controle sobre nossa atividade cerebral, para administrar melhor os processos cognitivos e nosso mundo emocional.

Basta se sentar diante destas telas para aprender a pensar de outra forma, para permitir que o fluxo de nossas ondas cerebrais varie, criando assim um estado de relaxamento e concentração mais profunda, mais habilidosa, mais produtiva. Há quem precise de mais sessões, mas muitos são os pacientes que após uma simples sessão de 30 minutos de treinamento de ondas alfa conseguem um maior rendimento cognitivo diminuindo completamente o efeito da mente errática.

O que é neurofeedback?

Então, cada pessoa precisará de um protocolo diferente dependendo da sua situação pessoal e necessidades. Desta forma, o neurofeedback é muito útil em pacientes com depressão, enxaquecas, transtornos obsessivos compulsivos, insônia, com dependência a determinadas substâncias e principalmente em crianças com TDAH.

Com sessões de pouco mais de 20 minutos ou meia hora, uma vez por semana, muitas são as crianças que conseguiram melhorar sua atenção, sua concentração e a capacidade da sua memória de trabalho. Cabe dizer, sem dúvida, que não é um “milagre”, e que em muitos caos, como naqueles de depressão ou ansiedade, o que o neurofeedback consegue é reduzir a sintomatologia, mas nunca a origem do problema.

Contudo, e segundo explicam os especialistas no assunto, este tipo de terapia continua em constante desenvolvimento e espera-se que em pouco tempo e à medida que se conheça com mais profundidade o funcionamento do cérebro, melhore a sua eficácia muito mais.

Esperamos que você tenha compreendido o que é neurofeedback, e ficaremos à espera de notícias sobre as novas conquistas neste campo tão interessante.