Por que você se castiga, se isso não serve de nada?

Por que você se castiga, se isso não serve de nada?

dezembro 16, 2015 em Psicologia 0 Compartilhados
Castigar a si mesmo

O auto-castigo não serve de nada. Essa raiva irracional consigo mesmo, essa maneira de se tratar com desprezo cada vez que sente vergonha ou falta de controle, ou cada vez que fracassa ou vive uma rejeição dos demais, é inútil e não é saudável.

O auto-castigo implica também lesões auto-infligidas, insultos direcionados a si mesmo, isolamento e sensação de não ser digno dos outros. Entretanto, você não resolve nada quando castiga a si mesmo.

Pode ser que você saiba disso tudo, mas ainda assim não sabe o que fazer para deixar de castigar a si mesmo, como sair desse ciclo de auto-ataque destrutivo para se encaminhar a um padrão construtivo de comportamento.

castigo

Por que é tão difícil deixar de se castigar?

O auto-castigo é tão persistente porque é uma defesa contra a dor da vida. E a vida está cheia de dor.

Todos nós temos necessidades fortes de nos conectarmos com os outros, de sermos aceitos, de alcançar o sucesso e a aprovação. Mas enfrentamos a realidade de que, às vezes, os demais nos rejeitam, se decepcionam conosco e colocam suas necessidades acima das nossas. As pessoas que amamos sofrem e morrem, e nossos sonhos nem sempre se tornam realidade.

Quando  sentimos esta dor tiramos energia dela porque estamos dispostos a fazer algo a respeito. Essa energia pode ser experimentada internamente na forma de ira ou raiva. Isso nos motiva a buscar a paz interior e a superar a dor, nos impulsiona a sair e tentar conseguir o que queremos ou precisamos.

No entanto, quando somos novamente derrubados, ignorados, desprezados ou atacados por tentar satisfazer nossas necessidades, pode aparecer a necessidade de uma auto-punição. O mesmo pode acontecer se nós negligenciarmos a busca dessa paz para superar a dor.

Isso faz com que a pessoa se sinta insegura ou inútil, e a raiva e a ira acabam se voltando contra ela mesma. Nesse momento, ela começa a pensar em si mesmo como a causa do problema. A culpa faz com que a pessoa rejeite a si mesma e sinta a necessidade de se castigar.

punição

Por que o auto-castigo não serve de nada?

Estes auto-ataques não são vistos como uma ameaça, mas como uma forma de esperança que espera que, com a dor, o problema seja atenuado. Mas esses castigos não solucionam nada e deixam a pessoa abatida e isolada.

A pessoa se familiariza tanto com esse hábito de atacar a si mesma que começa a sentir tal ação como parte permanente do que ela é.

Essa ira contra si mesmo pode consumir a pessoa e impedi-la de estar presente e comprometida com a própria vida. Suas relações, suas conexões consigo mesma e com os demais afirmarão mais ainda a necessidade de auto-punição, num ciclo contínuo cada vez mais difícil de derrubar.

Como se livrar do auto-castigo?

Para começar, você deve reconhecer que o auto-castigo pode estar profundamente enraizado. De fato, você pode sentir a necessidade de se castigar ainda mais quando descobrir o quão profundamente ela calou sua dor. Mas isso não deve lhe impedir, e você deve ser sincero consigo mesmo.

Você deve focalizar além da autoestima. Se você pudesse encontrar o amor próprio e a aceitação, não teria chegado a isso, é verdade, mas você tem que começar por algum lugar. Criar um sentido mais positivo de si mesmo é muito importante para melhorar seu bem-estar.

Além da necessidade de castigar a si mesmo, você precisa conseguir ajuda para aliviar a sua dor, precisa também de uma forma de canalizar sua raiva. Se você não puder fazer isso sozinho, procure alguém que lhe dê apoio e possa guiá-lo por esta jornada.

Você também precisa experimentar a sensação reconfortante da calma, como passo prévio para aprender a relaxar quando você sentir a necessidade de voltar sua raiva contra si mesmo.

liberdade

Finalmente, é importante que você aprenda a experimentar a compaixão pela dor dos demais e que aprenda a valorizar as necessidades humanas. Somente assim você será capaz de experimentar a compaixão direcionada a si mesmo e irá começar a se valorizar.

Com o tempo, você perceberá que tem a capacidade de recuperação para lidar com a dor da vida real e a habilidade para identificar e perseguir o que você quer e precisa. Valentemente, você se livrará do auto-castigo e direcionará a sua energia de volta para o mundo.

Texto original em espanhol de Eva Maria Rodriguez

Recomendados para você