A possessividade do amor - A Mente é Maravilhosa

A possessividade do amor

junho 30, 2016 em Emoções 70 Compartilhados
A possessividade do amor

A possessividade está intimamente ligada ao ciúme, o encarregado de destruir relacionamentos, mas também é um sentimento lentamente autodestrutivo; está relacionado com o medo, a desconfiança e a insegurança que a pessoa sente.

É necessário fazer a distinção entre o amor e a possessividade, porque enquanto no amor existe confiança, desejo de compartilhar, comodidade e espaço para cada membro da relação, na possessividade existe ciúmes, egoísmo e desconfiança por parte da pessoa que é possessiva, e não existe liberdade, nem tranquilidade para a outra parte. É uma relação que conduz a uma total destruição.

O que desencadeia a possessividade

As pessoas possessivas possuem antecedentes que vão desde a solidão à discriminação na infância, tendo assim uma imagem ruim de si mesmo; em algumas ocasiões pode até ser um traço genético herdado.

É preciso dizer que, independentemente da causa ou do antecedente, as pessoas possessivas sofrem ataques de paixão e ira em relação ao seu companheiro(a). Essa emoção negativa é dolorosa para ambos os membros da relação e incompatível com a confiança e o amor.

Sintomas da possessividade

A possessividade não se trata apenas de dominar a outra parte, mas também de enxergar o seu companheiro como suspeito, quando na realidade ele não fez nada; tudo surge como uma reação em cadeia, onde a posse e a dominação do outro são maiores a cada dia.

A pessoa possessiva chega a espiar o seu companheiro, revista suas coisas e busca sinais de infidelidade no matrimônio; em resumo, não deixa de suspeitar da outra parte e não lhe permite descansar em paz. Em outras ocasiões chegam a seguir e espiar o seu companheiro em seu local de trabalho, para saber se está tendo alguma aventura.

Destruindo um relacionamento

Numa fase inicial a possessividade pode ser interpretada como uma demonstração de amor, mas quando se converte em um traço persistente e negativo, acabam surgindo fissuras no relacionamento; qualquer relação, independentemente do quão profunda e intensa for, deve ter espaço e liberdade para ambas as partes, mas em um relacionamento onde exista uma pessoa possessiva, isso pode acabar destruindo a convivência.

A pessoa possessiva quer tomar conta de tudo, e causa uma interrupção no plano de vida de ambos, porque é impossível que alguém sem liberdade e tranquilidade possa aproveitar um relacionamento tão angustiante; é um relacionamento que está fadado ao fracasso.

Como controlar a possessividade

A respiração profunda e a meditação ajudam a alcançar níveis superiores de concentração mental, o que ajuda a evitar esse tipo de sentimento de posse. A hipnose contribui para desenvolver o autocontrole e a se deixar guiar pela razão, evitando exercer a possessividade sobre os seus parceiros e entes queridos.

Imagem cortesia de Toni Blay.

Recomendados para você