Você conhece as principais funções das emoções?

· abril 16, 2018

Johnmarshall Reeve é um dos autores que mais contribuiu nas últimas décadas para o estudo e conhecimento da motivação e da emoção. Especificamente, esse professor acredita que as principais funções das emoções são três: adaptativa, social e motivacional. Vamos ver com cuidado em que cada uma delas consiste e como, ocasionalmente, inibir uma reação emocional pode até ser útil.

Orgulho, medo, alegria, raiva ou vergonha são tipos de emoções que produzem um efeito triplo nas pessoas. Por um lado, geram consequências subjetivas que expressamos na forma de sentimentos ou estados emocionais. Por outro lado, efeitos fisiológicos que se referem às alterações que essas experiências causam em nossas células, tecidos, órgãos ou organismo em geral. Finalmente, podemos falar de emoções como motivadoras de comportamentos.

Principais funções das emoções

Função adaptativa

Preparar o organismo para a ação é uma das funções das emoções mais importantes. Nesse sentido, cada uma delas, independentemente de sua intensidade ou tom prazeroso, tem sua própria utilidade.

Emoções humanas

Graças a essa capacidade adaptativa que nos oferecem, podemos efetivamente executar as ações. Isso nos permite mobilizar e usar energia suficiente e necessária para irmos nos aproximando ou nos afastando da meta ou objetivo que temos. Por exemplo, as emoções que sentimos quando vemos alguém perto de nós chorando faz com que nos aproximemos e nos interessemos pelo o que lhe está acontecendo.

Essa relevância das emoções como um mecanismo adaptativo já foi apontada pelo próprio Charles Darwin, que considerava as emoções como facilitadoras de comportamentos apropriados. Em particular, as funções adaptativas de cada uma das emoções primárias (segundo Paul Ekman) são:

Emoção primária Função adaptativa (utilidade)
Alegria Afiliação
Nojo Rejeição
Ira Autodefesa
Medo Proteção
Surpresa Exploração
Tristeza Reintegração

Função social

“Eu me sinto envergonhado”,”Isso me causa apreensão”. As emoções comunicam nossos estados afetivos e expressam nosso estado de espírito. Além disso, facilitam a interação social e servem para que o resto das pessoas ao nosso redor possam prever nosso comportamento; assim como nós o dos outros. Portanto, seu valor em relação aos relacionamentos interpessoais é indubitável.

Às vezes as emoções são difíceis de definir verbalmente. Por isso, devemos ter em mente que não só verbalmente podemos expressar a forma como nos sentimos. Se quisermos saber em que estado de espírito alguém se encontra, às vezes é preferível observar. A postura corporal que adotamos ou a nossa expressão facial são, em muitas ocasiões, muito mais informativas do que um “estou triste”.

“Quase todo mundo acha que sabe o que é uma emoção, até tentar defini-la. Neste momento, praticamente ninguém afirma poder entendê-la”.
-Wenger, Jones & Jones-

Homem pensativo

Entretanto, a falta de comunicação ou inibição das emoções pode exercer de certa forma, e somente em raras ocasiões, uma função social. Especificamente, nessas situações em que esconder, não mostrar certas reações, nos garante manter viva a relação de amizade com outra pessoa. Ou seja, quando “o remédio é pior que a doença”.

Em termos gerais, a inibição emocional cria mal-entendidos e uma carga fisiológica adicional. Isso, além de ser evitável, pode ser muito prejudicial. Pelo contrário, ser capaz de manifestar sentimentos e trazer experiências emocionais de maneira controlada é muito saudável e benéfico. Além disso, fortalece a rede de suporte social.

Contágio social

O forte componente de contágio social das emoções pode ser uma das razões pelas quais as pessoas positivas parecem ser mais atraentes do que as negativas. Somos todos geneticamente predispostos a nos deixar levar por esse contágio emocional. Mas há pessoas com maior capacidade, tanto para transmitir quanto para captar emoções.

Função motivacional

Finalmente, o motivacional é outra função das emoções consideradas como mais relevantes. A relação estabelecida entre motivação e emoção é bidirecional, porque ambas são constantemente alimentadas uma pela outra.

Por um lado, todo comportamento motivado produz uma reação emocional. E, por outro lado, as emoções são o combustível da motivação. Determinam o aparecimento deste tipo de comportamento, em maior ou menor intensidade, e o guia em uma direção ou outra.

Por exemplo, se sentirmos alegria e nos divertirmos tomando café com outra pessoa, nos sentiremos mais motivados para vê-la na próxima vez. Por outro lado, uma experiência ruim com ela causará uma sensação negativa que nos fará pensar duas vezes antes de sair com ela novamente.

As emoções são o primeiro sistema motivacional para o comportamento humano. Elas desempenham um papel crítico na energização do comportamento motivado, bem como nos processos de percepção, raciocínio e ação motivadora.

Mulher feliz na natureza

Nós já sabemos quais são as principais funções das emoções. Assim, podemos estar mais conscientes das mudanças fisiológicas que experimentamos ao longo do dia. Quantas emoções podemos ter em 24 horas? Agora … imagine o número de alterações celulares que ocorrem como resultado de nossas emoções!