Estou cansada de querer que tudo aconteça como eu quero

· outubro 6, 2018

Chega de procurar determinar tudo, de querer que tudo aconteça de uma maneira específica. Quando tentamos impedir as coisas e controlá-las, elas nunca saem como queremos e isso nos afoga em frustração. Livrar-nos das correntes impostas por nós mesmos nos impede de cair no terrível buraco das dificuldades e dos problemas psicológicos.

A maioria das pessoas vive em uma espécie de automatismo, como se tivéssemos um botão sempre ligado que nos obrigasse a viver sem pensar, sem refletir; simplesmente fazendo o que nos dá vontade a cada momento, sem considerar possíveis alternativas. Esse botão, que temos no modo ligado, nos impede de ver a essência dos fatos. O que nos acontece já está muito contaminado pela nossa forma de ver o mundo.

No entanto, quando não nos fundimos com nossos pensamentos e sentimentos, perdemos a experiência de viver e sentir nossas vidas.

Tentar fazer tudo acontecer como eu quero gera grande parte do desconforto emocional e psicológico que sinto.

Pensar em por que fazemos as coisas, por que nos comportamos de uma certa maneira, nos abre uma porta para o motivo do nosso comportamento. Quando o foco da nossa atenção permanece brilhando no passado ou no futuro, ficamos presos entre a culpa e a preocupação, deixando de lado o momento presente. Essa situação leva a um estreitamento dos nossos pensamentos, emoções e comportamentos.

Além disso, uma falta de contato com o presente também faz com que seja mais provável que nos comportemos de maneira ineficaz. A regulação extrema do comportamento diminui o contato com as circunstâncias atuais, que podem ser de grande ajuda na formação e orientação do nosso comportamento.

Pare de querer que tudo aconteça como você quer e aja de acordo com o que está acontecendo neste momento.
Não adianta querer que as coisas aconteçam de uma certa forma

A vida é um pouco o que acontece e muito a forma como a enfrentamos

Nossa atitude contém o segredo da felicidade. Dependendo dela, podemos apreciar estar vivos ou, pelo contrário, sofrermos e nos escravizarmos ao sofrimento.

Querer que tudo aconteça do meu jeito não só não é realista como também não gera felicidade.

Para cada situação, é necessário fazer uma escolha. No entanto, se estivermos sempre com o piloto automático ligado, tudo será igual para nós, independentemente do que acontece no mundo exterior. Seremos como um martelo que vê pregos e evita todo o resto.

Nosso cérebro gosta de brincar conosco e nos faz acreditar que tudo nele é a verdade e o que deveria ser. No entanto, a realidade será o que tem que ser, não o que queremos que seja. Não podemos viver somente com o agradável, temos que conviver com tudo., é claro, inclui-se o que não queremos que aconteça conosco.

“Tenho sido um homem de sorte; na vida, nada foi fácil para mim “.
-Sigmund Freud-

Além disso, de acordo com especialistas em psicologia, a vida é 10% o que nos acontece e 90% como a enfrentamos. Portanto, é hora de enfrentar mais e assumir melhor o que nos acontece.

“Eu quero que tudo aconteça como eu quero, até que consiga que tudo aconteça como eu quero.”
-Anônimo-

A importância da liberdade

De que adianta querer que tudo aconteça de uma certa forma?

Quando você entende que mudar o supérfluo não faz mal, você tem a liberdade para estar em qualquer circunstância. Isso consiste em ir além dos nossos desejos e automatismos, sejam eles pessoais, sociais ou familiares.

Você não é apenas o que pensa. Você é mais do que seus pensamentos lhe dizem, você é muito mais do que um complexo de crenças sobre o que as coisas deveriam ser, muito mais do que ideias predeterminadas e ilusórias. Você é a mudança, você é adaptável, e quanto mais cedo perceber isso, mais cedo as coisas vão acontecer como devem acontecer.

No universo não ocorre nada de bom ou ruim, tudo é neutro e necessário. O problema aparece quando lutamos e entramos em conflito com situações e circunstâncias que fazem parte do processo evolutivo de cada ser humano. A partir de agora, vamos exercitar o hábito de ver a realidade neutra, sem julgá-la.

O fato de a vermos bem ou mal não tem nada a ver com o processo evolutivo pelo qual todos nós temos que passar, mas com o que pensamos sobre isso. Não há nada mais devastador e doloroso do que querer sempre que aconteça o contrário do que acontece. Portanto, abandonar esse hábito tão prejudicial é uma das melhores coisas que podemos fazer por nós mesmos.

“O homem sábio não reivindica nada, nem ser bom, ou forte, dócil, nem rebelde, nem contraditório nem coerente. Simplesmente quer ser”.
-Anônimo-