São poucos os que encontram companhia na solidão

São poucos os que encontram companhia na solidão

outubro 6, 2015 em Emoções 0 Compartilhados
companhia na solidão

“Há pessoas que têm um parceiro, mas elas se sentem tão sozinhas e vazias como se não tivessem.

Há outras que, por não esperar, decidem caminhar com a pessoa errada, e em seu egoísmo não permitem que o outro se afaste, mesmo sabendo que ele não as faz feliz.

Há pessoas que defendem o casamento ou compromisso pelo simples fato de pensar que estar só é difícil e inaceitável.

Há pessoas que optam por ocupar o segundo lugar, tentando chegar ao primeiro, mas o trajeto é difícil, desconfortável e os enche de dor e abandono.

Mas existem pessoas que estão sozinhas e brilham, e vivem a vida da melhor maneira possível. Estas pessoas não se apagam, pelo contrário, a cada dia possuem mais e mais luz.

Há pessoas que aprendem a desfrutar da solidão, porque esta as ajuda a chegar mais perto delas mesmas, a crescer e a fortalecer o lado interior.

Essas pessoas são as que um dia, sem saber o momento exato ou o por que, se encontram com o verdadeiro amor, e se apaixonam de uma forma maravilhosa. “

Madre Teresa de Calcutá

Cada uma das palavras desta composição contém uma força enorme. A verdade é que nós mantemos a crença enganosa de que não ter alguém na vida é algo aterrorizante. Poucas coisas nos inspiram tanta tristeza e compaixão quanto ver alguém “sozinho”.

Na verdade, parece que desde a infância achamos isto chocante, mas o fato é que quando éramos crianças nós sabíamos encontrar companhia na solidão.

Há pessoas que não sabem, não querem ou não conhecem a possibilidade de não ter um parceiro ou caminhar sozinhas pela vida, e se assustam frente a pessoas que fazem esta escolha. Nelas, a necessidade e o medo de estarem sozinhas é palpável.

Não entendem que a companhia delas mesmas as ensina a entender o que querem e o que não querem em suas vidas, e a respeitarem e defenderem seus valores. Essa postura favorece que o amor chegue de uma forma extremamente diferente do que quando alguém não cultiva a si mesmo, porque o amor que aparece é muito similar ao amor próprio.

Assim, as pessoas que amam por necessidade escravizam-se e mantêm relações tóxicas desde o início. Infelizmente, esta necessidade abundante de afeto é um vírus que nos ameaça de forma permanente, criando dependências absolutamente letais para o amor próprio.

É por isso que nas nossas relações podemos ​​encontrar um tesouro maravilhoso. Não se trata de pensar que somos autossuficientes em todos os aspectos, porque, embora realmente só precisemos de nós mesmos para respirar, o aspecto emocional e a convivência com os outros é muito importante para que nós possamos manter uma mente sã.

O que podemos dizer é que nós não precisamos de ninguém, mas preferimos companhias que estejam sintonizadas com o nosso interior, mesmo que algumas pessoas não entendam isso. Esta questão da independência emocional pode ser resumida em uma frase simples: “É muito melhor alguém precisar de você porque o ama, do que amar porque precisa de você.”

São poucos os que encontram companhia na solidão

Aprender a ter companhia na solidão

A solidão escolhida é ótima, pois ela ajuda a conhecer a si mesmo, e a nutrir e confiar em você como uma bolha protetora. Não é necessário não ter um parceiro para escolher a solidão; você pode ter uma vida cheia de relacionamentos, mas você precisa reservar alguns minutos por dia ou por semana para você.

Podemos desfrutar dos momentos mais íntimos da solidão. É apenas uma opção, mas é muito recomendada para todos.

Muitas vezes pensamos que a solidão escolhida e a solidão forçada são as mesmas, mas isso não é verdade. A solidão forçada, em que você se sente isolado na sua dor, é uma arma que quebra o ser humano.

Além disso, quando estamos envolvidos neste tipo de solidão, erramos procurando mostrar indiferença. Esse pensamento irá nos proteger e mascarar a nossa tristeza, mas ele só consegue destruir o nosso amor.

No entanto, isto não acontece quando a solidão é escolhida, quando precisamos dela para nos aconselhar e nos ajudar a encontrar essa parte de nós que perdemos. Acompanhar a si mesmo e desfrutar dos momentos de intimidade pessoal nos ajuda a pensar e a exercitar a nossa mente.

Uma vida toda é gasta tentando ser e fazer os outros felizes, criando uma obrigação constante de cumprir o que os outros exigem sem pensarmos no nosso mundo interior. A solidão ou a autonomia escolhida é o mais próximo que podemos ter da experiência de liberdade, aproveitando para eliminar a carga de nossas obrigações por algumas horas.

Sem dúvida, apesar do que a sociedade nos diz, o encontro com nós mesmos é algo extremamente desejável e, é claro, a única maneira de alcançarmos o tão sonhado equilíbrio interior.

Imagens cortesia de nuvolanevicata e Path

Recomendados para você