A simbologia dos sonhos na análise junguiana

· fevereiro 1, 2019

Carl Jung se distanciou bastante da ideia freudiana de que os sonhos representavam desejos não realizados. Ele desenvolveu outros conceitos para a interpretação dos sonhos de seus pacientes. A simbologia dos sonhos na análise junguiana é muito mais rica e interessante.

Essa abordagem psicológica sugere um inconsciente coletivo além do pessoal. Identifica figuras do mundo onírico como símbolos que transportam mensagens do mundo do inconsciente.

A análise junguiana lida com arquétipos. Ela os identifica com atitudes inconscientes que se escondem na mente consciente. Esses arquétipos se manifestam através de símbolos, mais ou menos universais, que ajudam a melhorar o entendimento das atitudes inconscientes. Cada figura que aparece em um sonho pode representar um aspecto do sonhador. Algumas escolas psicológicas atribuem essa característica também aos objetos inanimados que surgem nos sonhos.

A simbologia dos sonhos: a análise da linguagem

Da perspectiva do paciente que se submete à terapia com um analista junguiano, a experiência resulta, em muitos casos, em uma verdadeira descoberta. Abrir a porta do entendimento ao significado dos sonhos a partir da abordagem junguiana também abre as portas a um mundo fascinante.

Os símbolos são, para a psicologia junguiana, a linguagem na qual nos expressamos nos sonhos. Uma linguagem que nem sempre se mostra simples de colocar em palavras.

De fato, na nossa vida consciente também utilizamos muitos símbolos para expressar ideias. Por isso, a psicanálise junguiana dá ênfase ao fato de que, apesar de a simbologia dos sonhos parecer ter características universais, não se deve interpretar um símbolo sem ter uma compreensão profunda da situação pessoal de quem sonha.

Carl Jung

O fantástico mundo da simbologia dos sonhos

Os arquétipos mais importantes são o animus, a anima ou a sombra. Todos representam uma parte da pessoa que sonha. Podem ser encontrados nos sonhos na forma de um ancião ou uma anciã que também pode ser um mestre que admiramos, uma mulher jovem ou um inseto enorme. Além de identificá-los, o terapeuta ajuda a pessoa a desvendar o que significam para ela.

Símbolos como a floresta, na escola junguiana atual e em especial no ocidente, representam um lugar enigmático e estranho, que está relacionado com o medo de enfrentar o que aflora do inconsciente. É um exemplo de como o analista junguiano não atribui um significado fixo a uma imagem onírica. O que ele faz é buscar o significado pessoal para a pessoa que sonha, indo além da aparência óbvia da imagem.

Simbologia dos sonhos mais comuns

Há uma certa simbologia dentro dos sonhos que parece se repetir em muitas pessoas. Sonhar que está grávida é um tipo de sonho que gera sentimentos mistos quando interpretado literalmente. Segundo a perspectiva junguiana, pode estar relacionado com algum tipo de criação incipiente. Um crescimento interno transformador.

Quando um ou uma ex aparece em um sonho, na verdade pode simbolizar uma parte do indivíduo que sonha com isso. Por isso, sempre é importante fazer uma análise com base no que a imagem representa para nós emocionalmente. Ou seja, como a evocação dessa imagem nos faz sentir.

Sonhar com perda de dentes é outro sonho que apresenta um padrão repetitivo na população. É um símbolo onírico que costuma aparecer em períodos de transição ou mudanças importantes.

Sonhar com animais também é terreno arquetípico. Na interpretação, influencia de maneira significativa o ambiente sociocultural da pessoa que sonha e a emoção que o animal sonhado nos transmite. Se causa medo ou confiança, se foi um sonho agradável ou produziu uma sensação de hostilidade. Os símbolos animais têm um vasto terreno de interpretação na mitologia.

Os sonhos recorrentes costumam estar associados a experiências negativas que interiorizamos em forma de trauma emocional. Podem ser interpretados como um aviso de que é preciso prestar atenção para sanar algum aspecto que foi reprimido sem cura.

A simbologia dos sonhos

Outra forma de entender a psicologia

A abordagem psicanalítica não goza de plena aceitação na psicologia clínica mais convencional e não é considerada psicologia científica. No entanto, para se formar como analista é preciso enfrentar anos de formação em Psicologia.

Além disso, é necessário cursar uma pós-graduação oferecida por instituições acadêmicas muito prestigiadas. Também requer que o futuro terapeuta se submeta à análise antes de poder exercer. Não é um método que possa ser usado levianamente, e a formação desses profissionais é muito intensa.

Com base nessa abordagem, os sonhos podem ser uma grande ferramenta que oferece a oportunidade de aprender e conhecer melhor a si mesmo. Anotar os sonhos também pode ser útil para relacionar os significados pessoais e a simbologia onírica.

Apesar disso, caso haja a possibilidade de fazer terapia com um bom analista junguiano, a experiência pode ser um dos elementos mais gratificantes no caminho do autoconhecimento.