O que é a solastalgia?

· novembro 16, 2018

A solastalgia é definida como um tipo de transtorno de ansiedade relacionado com a mudança climática e outros fenômenos naturais ligados às ações humanas. De alguma maneira, podemos considerar que ela é uma consequência do nosso novo estilo de vida, do afastamento do ser humano da natureza.

A solastalgia nos faz sentir afastados de alguns dos componentes fundamentais da nossa antiga forma de vida como espécie: a vida selvagem, a flora, a fauna.

Quando as ameaças à natureza afetam a nossa autoestima

Historicamente, a relação com o nosso entorno não foi fácil e sempre existiu um certo grau de conflito. A base desse conflito está na diversidade das opiniões; uma delas é se devemos nos integrar à natureza como parte dela ou, pelo contrário, devemos utilizar as nossas capacidades para modelar o entorno conforme nossas necessidades e desejos.

No meio deste conflito de opiniões aparece o sentimento de solastalgia, quando uma pessoa olha ao seu redor e sente que alguma coisa não está bem. Quando olha as árvores, as flores ou o céu e não consegue evitar sentir um pouco de tristeza.

Curiosamente, o mais comum é que as pessoas se sintam mais felizes e tranquilas em um entorno natural seguro do que quando estão cercadas de cimento e do estresse de uma cidade grande.

Preservar a natureza

A solastalgia e o transtorno do déficit da natureza

O escritor Richard Louv criou, em seu livro “A Última Criança na Natureza”, o termo “transtorno do déficit da natureza”. Este curioso fenômeno é associado a um aumento dos casos de déficit de atenção, obesidade e depressão, além de outros problemas de saúde física e mental.

Esta falta de natureza pode afetar especialmente as crianças, aquelas que, de maneira inconsciente, sentem a necessidade de ter mais contato com o entorno natural através das excursões ao campo, ao mar ou à montanha.

Esta desconexão do mundo pode nos ajudar a melhorar os nossos níveis de concentração, além de reduzir o estresse acumulado durante o dia a dia ou a sensação de irritação. Além disso, passar mais tempo em contato com a natureza pode nos ajudar a relaxar e evitar o risco de desenvolver doenças respiratórias devido à poluição dos entornos urbanos.

Como já comentamos antes, a obesidade também está relacionada com este transtorno, assim como a hiperatividade e a falta de vitamina D. Todos estes sintomas podem causar doenças de relativa gravidade, tudo isso pela simples ausência de um contato mais frequente com o entorno natural.

A solastalgia e sua ameaça para a topofilia

O normal é que o entorno natural e a paisagem sejam uma fonte de tranquilidade e satisfação. Isso é o que se conhece como topofilia, um sentimento próprio das pessoas que sentem amor pelo lugar no qual cresceram ou onde vivem, frequentemente caracterizado por um entorno natural.

No entanto, um sentimento positivo como a topofilia pode se transformar em uma solastalgia quando esse lugar acaba sendo invadido por uma central térmica contaminada, quando uma floresta se queima, ou quando as árvores são derrubadas para construir uma estrada.

A pessoa que sofre de solastalgia, então, sente que existe uma mudança não desejada no seu entorno, e que ela perdeu algo de maneira irreversível. Neste sentido, a solastalgia pode se assemelhar com a nostalgia, só que com a particularidade de ser sentida no presente e no lugar em questão.

Mulher com fumaça cor-de-rosa

A solastalgia é um reflexo da nossa própria experiência

Devido às continuas mudanças no entorno natural por causa da globalização, a solastalgia é um sentimento cada vez mais comum. Efeitos como a mudança climática, a urbanização e a incessante produção e o desperdício de plásticos influenciam muito este fenômeno. Além disso, ela também pode ser ocasionada pela onipresença da tecnologia, que altera continuamente o nosso meio.

Outros efeitos são as atividades mineradoras, a extensão dos terrenos dedicados à agricultura e agropecuária, e a construção de fábricas, centrais de energia ou estradas. Tudo isso é uma ameaça à integridade das paisagens naturais. Como consequência, muitas pessoas que se sentem parte da natureza desenvolvem sentimentos de estresse e tristeza.

Como possível solução para o problema da solastalgia, um bom método poderia ser tentar incentivar outros sentimentos de apego pela natureza e a vida. Por exemplo, a biofilia, que é o apego pelos seres vivos, ou a eutierria, que é o amor pela conexão entre a Terra e os seres vivos.