Imergir na natureza causa mudanças cerebrais fascinantes

Imergir na natureza causa mudanças cerebrais fascinantes

agosto 15, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
Imergir na natureza causa fascinantes mudanças cerebrais

Não é preciso ser um especialista para saber que as caminhadas e o contato com a natureza são ótimos relaxantes para nossas mentes estressadas. Nem são necessários dispositivos sofisticados para comprovar isso. É suficiente fazer uma dessas caminhadas e perceber como a sensação de renovação é imediata. Você simplesmente se sente mais vivo e mais leve mentalmente. O que se percebe de imediato.

As caminhadas em lugares onde a natureza domina, em primeiro lugar, nos oxigenam. Se a respiração é mais limpa e mais fluida, os mecanismos cerebrais também funcionam melhor. O corpo, e claro, o cérebro, se nutrem desse oxigênio limpo que você pode respirar em uma floresta, por exemplo.

“O caminho da montanha, assim como a vida, não se anda com as pernas, mas sim com o coração.”
-Andrés Nadal-

O próprio exercício estimula a circulação e, com isso, fortalece todos os órgãos do corpo. Está provado que a atividade física gera mudanças cerebrais positivas. Aumenta a produção de alguns hormônios benéficos e inibe a liberação do chamado “hormônio do estresse”.

O tema é tão fascinante que vários especialistas começaram a fazer diversos tipos de experimentos para ver até onde chegavam os benefícios desta prática regular. Em particular, alguns deles estudaram as alterações cerebrais que ocorrem quando alguém sobe uma colina, e os resultados foram surpreendentes.

A caminhada e as mudanças cerebrais

A National Academy of Sciences conduziu um estudo sobre as alterações cerebrais que ocorrem quando você caminha ou faz trilhas em meio à natureza. Eles entrevistaram pessoas que recentemente tinham sido imersas na natureza desta forma. Depois, compararam os resultados com os de outras pessoas que haviam dado passeios pela cidade. O resultado foi que os primeiros relataram se sentir em calma, enquanto no segundo grupo a variedade de respostas foi maior.

O cérebro muda em contato com a natureza

Posteriormente, os cientistas fizeram um monitoramento para detectar as mudanças cerebrais que haviam ocorrido entre aqueles que praticavam caminhadas. Assim, eles puderam comprovar que ocorria uma diminuição do fluxo sanguíneo no córtex pré-frontal de seus cérebros após realizar esta atividade.

Isto, traduzido em termos práticos, tem vários significados. O mais importante deles é que a mudança principal ocorreu em uma área relacionada com o humor. Em particular, essa área do córtex regula o mau humor e os sentimentos de preocupação e tristeza. Tudo indica que caminhar na natureza diminuiria a ativação dessa área: não haveria um estado de irritabilidade ou tristeza com o qual nossos cérebros teriam que “lutar”.

Outro estudo chegou a uma conclusão semelhante. Neste caso, foram estudadas as mudanças cerebrais que ocorriam entre as pessoas que estenderam sua caminhada por uma área rural durante quatro dias. Essas pessoas se desligavam completamente dos dispositivos tecnológicos. No final, todos foram submetidos a um teste de capacidades intelectuais. O resultado foi que todos foram capazes de obter uma pontuação 50% maior do que aqueles que não caminhavam, especialmente em seu potencial criativo.

Outros benefícios de fazer atividades na natureza

As mudanças cerebrais mencionadas anteriormente não são as únicas detectadas entre aqueles que caminham em trilhas ou meios naturais. Em 2004 foi feito um estudo com pessoas que sofriam do chamado “transtorno de déficit de atenção”. Foi pedido para que um grupo deles subissem uma colina na natureza. Depois de fazê-lo, foi comprovado que os sintomas do transtorno diminuíram em intensidade e frequência.

Algo semelhante aconteceu com um grupo de pessoas que sofriam de demência senil. As caminhadas por espaços verdes e em lugares altos, que exigiam mais esforço, exerceram uma influência significativa em sua memória. Tudo parece indicar que esses tipos de atividades aumentam a capacidade de concentração e a habilidade para reter informações. Em suma, todas as funções intelectuais são enriquecidas com uma  simples caminhada por uma colina.

Caminhada na natureza

Mas isso não é tudo. As caminhadas também exercem uma boa influência sobre o estado emocional. Em um artigo no Journal of Environmental Science and Technology foi indicado que apenas cinco minutos de passeio em um ambiente natural tem efeitos poderosos sobre as emoções. Basta esse pequeno lapso para que sejam observadas mudanças na autopercepção e na autoestima. Aqueles que fazem este tipo de passeio regularmente têm mais confiança em si mesmos e têm menos dificuldade para exercer o autocontrole.

O melhor de tudo é que praticamente nada é necessário para realizar esse tipo de atividades. Apenas uma roupa adequada e levar água. Além de proporcionar magníficas mudanças cerebrais, também te ajuda a ter uma melhor saúde em geral. E se você faz suas caminhadas com amigos, melhor ainda. É um caminho fácil e rápido para melhorar significativamente a sua qualidade de vida.

Recomendados para você