Somos vítimas do apego? – A mente é maravilhosa

Somos vítimas do apego?

março 11, 2015 em Emoções 0 Compartilhados

Todo ser humano é, infelizmente, obrigado a viver determinadas situações ao longo de sua vida. Decepções com os amigos, o primeiro desamor, infidelidades, mentiras, perda de emprego. Todas essas situações, que são potencialmente negativas, podem acabar tendo algo de positivo. Como por exemplo, quando a pessoa aprende com as experiências e logo precisa enfrentar situações parecidas. No entanto, muitas pessoas não conseguem sair do fundo do poço. Você está nesta situação? Então, a seguir, você encontrará uma série de dicas que podem te ajudar a superar alguns momentos emocionalmente negativos pelos quais você pode vir a passar em sua vida.

A autocompaixão não leva a nada

Imagine, por um momento, que seu amor te deixou, ou que você foi demitido. No começo, é muito comum colocar a culpa na outra pessoa, para que você consiga se sentir melhor. Porém, não adianta nada ficar lamentando o ocorrido, e ficar se fazendo de vítima também não ajuda. Neste momento, para ajudar a si mesmo, faça uma autocrítica, tente entender o que você fez de errado e não volte a cometer os mesmos erros. Muita gente teria que perguntar o seguinte a si mesmo: “O que eu fiz errado?”, “No que eu poderia melhorar?”

Desta forma, certamente você alcançará uma visão mais completa do seu problema, conseguindo assim superá-lo ou solucioná-lo de forma mais rápida e com menos sofrimento.

Você está aberto à mudanças?

Existem aquelas pessoas que gostam mais ou sentem certa predisposição por reviver momentos passados, ao invés de viver o presente ou pensar no futuro. Se tornam, habitualmente, pessoas que desejam reviver intensamente, situações já ocorridas. E frequentemente, coisas superficiais que, com o passar do tempo, estão condenadas a desaparecer ou chegar a um fim.  E o que acontece quando já não essas coisas vão embora? É aí que momentos de infelicidade tornam-se bem mais comuns que os de felicidade.

Situação semelhante acontece nos términos de relacionamento amorosos. Por exemplo, quando uma pessoa diz à outra: “Já não sinto o mesmo”, “Já não temos a mesma paixão…” Nem tudo permanece imutável no passado, para que depois continue igual no presente. Algumas vezes é preciso aceitar novas mudanças, da maneira como elas chegam e saber se adaptar às situações, como autênticos camaleões. E se, no momento, não for possível, não se preocupe, pois virão mais oportunidades para que você consiga.

A verdade é que a mudança é algo presente em nossas vidas, e uma boa adaptação a ela é essencial, pois te fará mais forte tanto física, quanto emocionalmente. O pensamento budista diz muito a respeito disso, uma de suas “quatro nobres verdades absolutas” afirma que, para ser feliz, não é preciso ser escravo do apego. Ou seja, não se deve ter constantemente o sentimento de falta, de saudade intensa, de situações ou experiências que nos fizeram muito felizes no passado. Se conseguíssemos simplesmente nos lembrar daquilo como uma etapa passada de nossas vida, seria muito mais fácil ser feliz e abrir novas portas para experiências que podem vir a ser muito melhores.

Créditos da imagem: Rasmustein

Recomendados para você