O que o sorriso de um bebê quer nos dizer?

· julho 30, 2018

A maioria dos gestos ou sons que um recém-nascido faz são considerados “fofos”, mas um deles se destaca: o sorriso de um bebê. As sensações de ver um ser tão pequeno se desfazer em gargalhadas tem o poder de despertar nosso lado mais sentimental, além de ter um poderoso efeito contagioso.

No entanto, o que um bebê quer nos dizer quando sorri? Curiosamente, dependendo da idade que tenha e da situação em que ocorra, pode estar tentando nos transmitir uma coisa ou outra. É algo parecido com o que acontece com o choro. Eles o usam como meio, na falta de palavras, para comunicar suas intenções e necessidades.

Às vezes ele chora para pedir comida, outras porque tem gases ou porque quer que troquem suas fraldas, por febre, sono… Por isso, assim como é conveniente saber a causa do choro, é bom saber o que significa o sorriso de um bebê.

O sorriso nas primeiras semanas é inato

Segundo diversos estudos, durante as primeiras semanas de vida o sorriso é um ato reflexo. Surge de forma inata, involuntária e automática, porque é algo para que as pessoas estão pré-determinadas geneticamente. O músculo responsável por esboçar este gesto é o risório, que só está presente nos seres humanos.

Isso quer dizer que o bebê sorri sem que algo tenha necessariamente graça. Basta ouvir um som agradável, sentir uma pequena cócega ou ver o rosto de sua mãe. Em muitos casos, um olhar carinhoso por si só é o suficiente para fazê-lo esboçar um sorriso.

À medida que o pequeno vai amadurecendo, o sorriso se transforma em uma resposta a um estímulo específico. Ou seja, passa a ter um gatilho e surge como uma forma de expressar nuances emocionais. Vejamos a que o sorriso de um bebê obedece conforme os meses vão passando.

Bebê sorrindo

Aos dois meses, o sorriso de um bebê expressa bem-estar

Dois ou três meses depois do nascimento, o sorriso começa a ser uma expressão de bem-estar. O bebê sorri quando se sente satisfeito e quando todas as suas necessidades estão cobertas. É o sinal mais puro de harmonia e felicidadeAssim, se seu pequeno sorri, pode ficar tranquilo, porque tudo parece estar indo bem.

Além disso, é uma resposta flexível, porque pode ser mostrada em múltiplas circunstâncias. Por exemplo, depois de mamar, ao notar que sua fome está saciada. Também depois de um banho quente, já que se sente limpo e com um cheiro bom. Ao acordar pela manhã, se teve uma noite de descanso feliz ou quando seus pais o pegam nos braços para brincar com ele.

A partir do quarto mês, o sorriso é consciente

Aos 100 dias de vida e até o sexto mês aproximadamente, surge o conhecido como “sorriso consciente”, que já é seletivo. Ou seja, é uma resposta a um estímulo externo que gera prazer ou reconhecimento. É um sinal de que está se acostumando a uma rotina de cuidados diários.

O sorriso pode surgir diante da voz de sua mãe, uma canção ou um rosto que se aproxime e sorria para ele. É preciso ressaltar que nesta idade o bebê já sabe distinguir entre um rosto familiar e outro que é estranho. Por isso, não se mostra tão amigável com desconhecidos e reserva o sorriso somente para os familiares.

Suponhamos que o bebê gosta de algo e sorri. Neste momento, se o adulto lhe sorri de volta, ele sorrirá de novo. Assim, pouco a pouco, este gesto se transformará em uma melodia sonora e alegre. A primeira ação que costuma causar a gargalhada no bebê é o famoso sopro que damos em sua barriga. Depois, os gestos ou as brincadeiras em que o adulto cobre o rosto com as mãos e depois as retira rapidamente.

Da mesma forma que este gesto surge de forma inconsciente, também aparece aos 4 meses de forma contrária. É o momento em que o pequeno aprende a se expressar através do choro para manifestar seu mal-estar.

Com seis meses, há uma variedade de sorrisos

Uma vez que os primeiros seis meses tenham se passado, os bebês podem mostrar diferentes tipos de sorrisos em função do que querem expressar: alegria, diversão, aprovação… À medida que vão crescendo, suas percepções e sensações vão se tornando mais precisas. Por isso, a variedade de sorrisos é uma amostra a mais dessa riqueza emocional que está adquirindo. Graças a esta evolução, aparecem as gargalhadas que apreciamos tanto e são tão contagiosas.

Pouco a pouco, vão descobrindo como fazer os outros rirem por meio de vocalizações, balbuciando ou fazendo gestos e usando a linguagem corporal. Com isso, vão fortalecendo suas habilidades sociais e começam a querer ser os protagonistas e fazer parte de vários tipos de brincadeiras.

Bebê sorridente

Dos 9 meses a um ano, tornam-se plenamente conscientes

Aos 12 meses o sorriso de um bebê se enriquece até chegar ao ponto em que ele já o utiliza de forma voluntária como resposta a estímulos pré-determinados. É um sorriso completamente social, porque o usa para expressar aos demais quando algo lhe causa felicidade, entretenimento ou surpresa. Ele também sabe quando não usá-lo, se sente medo, angústia ou raiva.

É importante que, quando o bebê sorri, o adulto responda de forma agradável e amistosa. Com outro sorriso, com um carinho, com um abraço ou brincando com ele. Esta é a melhor forma de ir criando esse vínculo afetivo e um apego saudável. Também é uma maneira de ir ensinando ao pequeno que a figura que ele tem diante de si é alguém diferente dele.