Tipos de personalidade segundo Erich Fromm - A Mente é Maravilhosa

Os 5 tipos de personalidade segundo Erich Fromm

Janeiro 28, 2018 em Psicologia 211 Compartilhados
Tipos de personalidade segundo Erich Fromm

Os 5 tipos de personalidade segundo Erich Fromm baseiam-se no princípio da produtividade. De acordo com o famoso psicanalista, apenas uma dessas cinco tipologias é capaz de investir na sua própria liberdade, de conquistar a sua independência emocional e pessoal. O restante, no entanto, representaria um tipo de filosofia existencial mais interesseira, materialista e improdutiva.

Há muitas teorias sobre a personalidade. Na verdade, é possível que, neste ponto, algumas pessoas sintam uma certa contradição. Nós temos a teoria da personalidade de Jung, Carl Rogers, Cattell, Eysenk ou os cinco grandes fatores de Costa e McCrae… Será que isto significa que até hoje a ciência comportamental ainda não conseguiu definir o caráter e as características da personalidade humana?

“As pessoas egoístas são incapazes de amar os outros, mas também não são capazes de amar a si mesmas”.
– Erich Fromm –

Cada corrente, cada escola psicológica e cada autor enuncia uma definição particular de personalidade a partir dos seus próprios modelos teóricos. Assim, a tipologia desenvolvida por Erich Fromm partiu de uma interessante abordagem baseada na filosofia humanista que, acreditemos ou não, é muito útil até hoje.

Se havia algo em que este psicólogo social e autor de “A arte de amar” ou “O medo da liberdade” acreditava, era na obrigação do ser humano de alcançar sua verdadeira autonomia, investir na sua independência, respeitando a dos demais. Alcançar esse objetivo, de acordo com Erich Fromm, é sinônimo de produtividade.

Homem diante do sol

Os tipos de personalidade segundo Erich Fromm

A teoria da personalidade de Erich Fromm, um psicanalista neofreudiano, se baseia em duas necessidades primárias: a necessidade de liberdade, como já sabemos, e a necessidade de pertencer a um grupo. Assim, quando lemos o seu livro, há um fato que costuma chamar a nossa atenção: Fromm tinha uma visão negativa do ser humano, o via como um ser passivo e motivado somente pela sua necessidade de consumo.

Por isso, em grande parte dos seus trabalhos, ele nos encoraja a promover o nosso desenvolvimento pessoal, a deixar de lado a nossa dependência de fatores externos, dos bens materiais ou da necessidade de sucesso e reconhecimento, para investir em qualidades como o amor, o respeito, a criatividade ou a humildade.

Apesar do caráter e da personalidade humana estarem profundamente enraizados e serem difíceis de mudar, seria suficiente que estivéssemos um pouco mais conscientes das nossas tendências e atitudes para nos comprometermos com a mudança. Neste artigo mostraremos quais são os 5 tipos de personalidade segundo Erich Fromm.

1. A personalidade receptiva

O tipo receptivo é caracterizado pela necessidade constante de receber aprovação e reconhecimento dos outros. A característica mais marcante deste perfil de personalidade é que buscam o apoio constante da família, amigos e dos demais, mas não costumam retribuir o suporte que recebem, não há atenção recíproca.

Eles também mostram habilidades sociais precárias, dificuldade em tomar decisões e uma clara subestimação do seu próprio potencial humano.

2. A personalidade do explorador

Entre os 5 tipos de personalidade, este é, sem dúvida, um dos mais comuns de acordo com o próprio autor. Eles estabelecem vínculos e relacionamentos com os outros por puro interesse, para o seu próprio benefício e, como disse Fromm, inclusive por “interesse comercial”.

O explorador está sempre disposto a mentir e manipular para obter o que deseja, e normalmente concentra o seu interesse em pessoas com baixa autoestima para explorá-las.

Manipulação

3. A personalidade do acumulador

O acumulador ou tipo acumulativo representa pessoas que só têm um objetivo, uma necessidade: acumular bens materiais, possuir mais e mais coisas, mais objetos…

Assim, quanto mais coisas consegue acumular, mais seguro se sente, reforça a sua autoestima e consegue uma maior satisfação pessoal. No entanto, este insano apego ao material nunca é saciado, porque sempre falta alguma coisa. A felicidade nunca é completa ou o que é pior, sempre haverá alguma coisa nova no mercado que ele ainda não tem e fará tudo para comprar.

“Somente a pessoa que acredita em si mesma é capaz de acreditar nos outros”.
– Erich Fromm –

4. A personalidade mercantil

Entre todos os tipos de personalidade, de acordo com Erich Fromm, este é o mais comum no nosso mercado de trabalho por razões óbvias: são pessoas que estabelecem relações com os outros para obter um benefício econômico. São vínculos baseados em um claro objetivo financeiro ou comercial.

O que pode parecer normal ou esperado, é realmente o que mais prejudica o princípio inviolável da liberdade humana defendida por Fromm. A razão? Esses vínculos mercantis buscam estabelecer diferenças de status social, onde alguns conseguem prestígio e poder, enquanto outros, por sua vez, são subordinados.

5. O produtivo

Até agora, vimos os tipos de personalidade que, de acordo com Erich Fromm, são os “improdutivos”. Ou seja, são personalidades que não investem na sua própria liberdade e autonomia pessoal, e ainda menos em relação aos outros. No entanto, nem tudo está perdido e nem é preciso permanecer com essa visão um tanto pessimista do ser humano. Podemos dizer que existe um quinto perfil onde se concentra a nossa esperança e o nosso objetivo pessoal.

  • O tipo produtivo é uma pessoa que canaliza todo seu esforço e interesse em ser alguém comprometido com o ser humano. O que isso significa? Significa que são indivíduos capazes de construir relacionamentos amorosos enriquecedores e significativos com os seus semelhantes.
  • Além disso, utilizam uma abordagem muito saudável para lidar com as emoções negativas, com as pressões ou tentativas de controle que outros desejam exercer sobre elas.

Mulher em campo de trigo

Para concluir, essa abordagem proposta por Erich Fromm nos convida a refletir uma vez mais sobre essa ideia que vemos tanto no campo do crescimento pessoal: somente quem investe nos seus recursos psicológicos, na sua autoestima, na sua independência, é capaz de promover isso nos outros, é capaz de lançar as bases de uma sociedade mais humana e mais esperançosa.

Como podemos ver, essa abordagem sobre a personalidade tem um componente social que pode ser uma fonte de motivação válida para gerar, na medida do possível, mudanças que estimulam o nosso crescimento pessoal. Vamos colocá-la em prática?

Recomendados para você