Você sabe o que é a alotriofagia?

· outubro 27, 2015

A alotriofagia é um curioso transtorno de conduta alimentícia segundo o DSM (Manual diagnóstico e estatístico dos transtornos mentais). Ele também é chamado de Pica, nome vindo do latim “Pica Pica” que significa “Urraca”, um pássaro conhecido por comer substancias incomuns.

O que é a alotriofagia?

A Pica ou alotriofagia é um transtorno da ingestão e da conduta alimentícia. A pessoa que o padece sofre um desejo incontrolável de comer e lamber coisas nada comuns como terra (geofagia), gesso, cinzas de cigarro ou o próprio tabaco, amido, cola, bicarbonato, esmalte de unhas, lápis, leite de magnésia, carvão, gelo (pagofagia), bolas de pelo ou lã (tricofagia), fezes de animais (coprofagia), etc. nocivas para a saúde.

Aparece em diferentes países e culturas, de modo que não pode ser associada a um único lugar, a um único modo de vida determinado, etc.

É um transtorno mais comum em crianças que em adultos; entre 10 e 32% das crianças com idades entre 1 e 6 anos costumam apresentar este problema, embora ele também surja em adultos e em mulheres grávidas que afirmam que sentem mais frescor em seu organismo, mesmo que isto não seja real e responda apenas a uma percepção pessoal. Para que uma pessoa seja enquadrada neste diagnóstico, ela deve apresentar os sintomas por pelo menos um mês.

Quais são as causas e como é possível preveni-la?

Não se sabe com exatidão por que a alotriofagia se desenvolve. Os estudos apontam que pode ser por fatores bioquímicos (falta de ferro no organismo) embora isso não tenha sido demonstrado, e principalmente por fatores psicológicos (estresse e ansiedade, sensações prazerosas associadas a comer gelo, terra…) ou fatores culturais.

Por exemplo, nos países em desenvolvimento e nas áreas rurais, pode haver uma maior permissividade em relação a comer substâncias que não são alimentos. No entanto, esta explicação não é de todo plausível, já que o desejo de lamber lápis, por exemplo, é muito frequente nas cidades dos países desenvolvidos.

Também não existe nenhuma prevenção, mas os médicos afirmam que uma boa alimentação desde o nascimento pode ajudar a fazer com que a Pica não se manifeste.

Qual é o tratamento da alotriofagia?

O tratamento consiste basicamente em uma orientação psicossocial, ambiental e familiar realizada em conjunto por médicos e psicólogos, que analisarão se existe a alotrifagia, se deve-se recorrer a fármacos e/ou suplementos alimentares devido às consequências que por ventura apareceram, como problemas digestivos, desnutrição, obesidade, etc.  A terapia deve ser conduzida por psicólogos que se encarregarão de orientar o paciente a não consumir mais estas substâncias que associa como comida.

A primeira ideia básica para solucionar este transtorno seria perguntar ao paciente por que ele o faz. Muitas vezes são condutas repetitivas sem qualquer motivo; a pessoa não é consciente de que adquiriu um mau hábito para a sua saúde, e que pode lhe trazer consequências negativas como problemas de esôfago, obstrução intestinal, desnutrição ou obesidade (consumo de amido). Se conseguirmos fazer com que ela tome consciência disso, é possível que acabemos com o problema antes do que esperávamos.

Outras recomendações para tratar o transtorno são:

– Um treinamento que faça o paciente distinguir entre o que é comestível e o que não é.

– Fazer que o paciente associe a ingestão dessas substâncias a consequências negativas, e os alimentos a consequências positivas.

– Aparelhos de autoproteção que impossibilitam levar objetos à boca.

– Correção do entorno que leva o paciente a este transtorno.

– Promover hábitos de comidas saudáveis.

Se você acha que sofre ou que algum familiar próximo de você padece deste transtorno, visite seu médico o mais breve possível para evitar consequências indesejáveis para a sua saúde.