3 dificuldades psicológicas que causam problemas no relacionamento

· outubro 30, 2018

Parece uma regra: quando temos questões importantes não resolvidas com nós mesmos, também costumamos criar tais problemas com os demais. Existem algumas dificuldades psicológicas que colocam lenha na fogueira em determinados problemas nos relacionamentos.

Tratam-se de inconvenientes de ordem subjetiva que impedem o bom andamento das relações. O obstáculo, ou melhor, a tentação, encontra-se no fato de, sem nos darmos conta, tentarmos preencher vazios ou resolver problemas muito pessoais depositando todo o peso no parceiro.

Como em muitos casos isso é impossível, não só não conseguimos resolver tais problemas, mas também fazemos mal ao relacionamento com estas expectativas neuróticas.

O mais complicado é que tudo isso acontece no inconsciente. Por isso, nunca conseguimos identificar as dificuldades psicológicas que causam problemas nos relacionamentos. Só percebemos suas consequências e, normalmente, procuramos a causa na outra pessoa.

Vejamos detalhadamente três dificuldades deste tipo.

O sinal de que não amamos alguém é que não damos à pessoa o melhor que há em nós”.
-Paul Claudel-

1. Ausência emocional, uma das dificuldades psicológicas que causam problemas de relacionamento

A ausência emocional é, sem dúvida, uma das principais dificuldades psicológicas que geram problemas nos relacionamentos.

É definida como a falta de disposição emocional para entender as necessidades da outra pessoa que compõe o casal. Em outras palavras, apatia e indiferença frente ao que acontece com a outra pessoa.

Em muitas ocasiões, isso não acontece deliberadamente. A pessoa pode simplesmente ter tido um estilo de criação na qual era o centro das atenções, por exemplo. Ou, pelo contrário, pode ter sofrido de abandono emocional.

Em ambos os casos, acontece uma espécie de bloqueio na capacidade de estabelecer proximidade emocional com os demais.

Às vezes, estas barreiras costumam ser derrubadas por um tempo, mas logo aparecem novamente. É, então, que um dos membros do casal, ou ambos, se fecham numa bolha e não conseguem ver as necessidades do outro.

Sua carência ou seu egocentrismo são tão fortes que não permitem que prestem atenção além de suas próprias exigências.

Coração coberto de gelo

2. Ver uma mãe ou um pai no parceiro(a)

Esta é outra das dificuldades psicológicas que causam problemas nos relacionamentos amorosos com muita frequência.

O saudável é que o processo de crescimento tenha trazido consigo um desapego progressivo das figuras paternas. Isso deveria conduzir a uma autonomia gradual, na qual a pessoa se vê capaz de influenciar o seu próprio destino.

Às vezes, isso não acontece. Se alguém foi educado de uma forma dependente, ao não superar isso, é muito provável que não busque apenas um “parceiro” no relacionamento, mas também uma fonte de proteção, de apoio e cuidado. Desse modo, os papéis começam a se distorcer.

Acontece, então, a questão de um dos membros do casal demandar demais de seu parceiro. Não só exige disponibilidade emocional, como também incondicionalidade.

Além disso, é possível que espere que o parceiro se encarregue das situações difíceis, ou que tenha que lidar com aspectos problemáticos da relação, assim como um pai ou uma mãe faria.

Mulher beijando homem sem corpo

3. Falta de equilíbrio entre o receber e o dar

Esta é uma dificuldade que, muitas vezes, aparece de forma simultânea com as anteriores. Tem a ver com a falta de equidade entre o dar e o receber. O excesso de um dos dois lados acaba causando fortes estragos no relacionamento, a ponto de destruí-lo.

Há alguns que dão demais. Exageram tanto neste comportamento que sufocam o parceiro com seus mimos, atenção e disponibilidade absoluta. Não deixam que contribuam para a construção do relacionamento.

Ao mesmo tempo, é comum que, em algum ponto, aquele que dá mais espere que o outro faça o mesmo. Se isso não acontecer, a pessoa se sente enganada e exausta. Essa situação também acaba estragando o amor.

Para que o amor se sustente, é preciso que exista algum vazio, alguma carência, já que isso é o que alimenta o desejo desta pessoa.

O equilíbrio nos relacionamentos

Da mesma forma, existem os que só querem receber. São crianças grandes que não esperam ser amadas, e sim adotadas pelo parceiro. Sentem-se inválidas e acreditam que é obrigação do seu parceiro compensar sua vulnerabilidade.

As dificuldades psicológicas que causam problemas nos relacionamentos falam sobre processos individuais incompletos.

O amor adulto exige generosidade, maturidade, paciência e flexibilidade. Tudo isso deve ser mútuo para que o relacionamento seja estabelecido e duradouro. Caso não seja assim, até mesmo os grandes amores acabam sucumbindo à contaminação neurótica.