3 frases que nos fazem refletir

3 frases que nos fazem refletir

Última atualização: 02 junho, 2016

Não é por algumas frases que vamos mudar a nossa vida, mas quem sabe, ao escutá-las, alguma coisa mude no seu interior e entre na sua mente e coração como uma bala sincera e direta? Algumas frases descrevem tão bem o que está acontecendo conosco que, além de nos fazerem refletir, parecem um convite à mudança.

Talvez não estejamos habituados a ler grandes reflexões, um livro de filosofia ou um filme que desafie todos os nossos dogmas e preconceitos, mas a maioria das pessoas lembra de algumas frases que as marcaram e que as fizeram refletir. Talvez alguma delas seja uma das três frases que o convidamos a ler na continuação deste texto.

1. “Todo mundo tem um plano, até tomar o primeiro soco na cara”

A primeira das frases não é de nenhum filósofo, e acreditamos que o boxeador que a disse nunca pensou em um, mas às vezes as coisas mais diretas são as mais sinceras e as que contêm uma mensagem mais profunda. Simples, fáceis e diretas.

Esta frase foi dita pelo boxeador Mike Tyson e contém uma mensagem muito forte, podendo estabelecer um vínculo entre o boxe e a vida. Todos temos uma plano na nossa vida, acreditamos que podemos segui-lo sem problema e que o vento estará ao nosso favor. Isso acontece até aparecer a primeira dificuldade e, com ela, os medos e as dúvidas.

Olho reflexo laranja verde

Você pode estar convencido de que vai fazer algo e, de repente, a vida pode lhe dar um bom gancho: o diagnóstico de uma doença, uma agressão ou a traição de uma pessoa que lhe é muito querida. A sua vida continua, mas você nunca voltará a ser o mesmo.

2. “Alguma coisa do que você fez até agora melhorou a sua vida?”

“A Outra História Americana” é um filme inesquecível  e muito forte que conta de forma nua e crua o impacto da ideologia nazista em um ambiente de jovens norte-americanos. A convivência entre negros e brancos começa a se tornar perigosa e tensa por causa das ideias racistas do líder Cameron Alexander e do impacto que ele causa na cabeça de alguns jovens, especialmente no protagonista do filme, Derek Vinyard (Edward Norton).

Derek é um jovem inteligente e sensível, que começa a escutar ideias racistas por parte do seu pai e a interiorizá-las. Por outro lado, sua amizade com Cameron, o líder do grupo neo-nazista que se encontra instalado na comunidade, faz com que Derek se radicalize diante do olhar impotente do diretor da sua escola, o afroamericano Bob Sweeney (Avery Brooks).

Derek acaba por assassinar dois afroamericanos na porta de sua casa, na frente de toda a sua família. Depois deste episódio ele é preso, e é na prisão que vão se desmoronando todos os seus preconceitos relativos aos negros, principalmente por causa da amizade que estabelece com um deles.

Um dia, Derek é violado no chuveiro por um grupo de neo-nazistas que desconfiam da sua atitude e da sua amizade com um rapaz negro. Agridem-no para humilhá-lo e porque o consideram um traidor. Quanto este está na enfermaria, recebe uma visita do seu amigo e diretor da escola que lhe faz a seguinte pergunta: “Alguma coisa do que você fez até agora melhorou a sua vida?“.

Derek entra em colapso porque está consciente de que tudo aquilo que fez pelos valores racistas acabou por destruir tudo o que ele tinha de valioso na vida. Se alguma vez nos encontrarmos em um poço muito escuro e não soubermos o que fizemos para estar ali, deveríamos nos fazer essa pergunta.

Claramente saberemos reconhecer todos os padrões tóxicos que nos conduziram até esta situação, o que não descarta o fato de termos tido situações difíceis e pouca sorte no nosso caminho. Sempre temos alguma responsabilidade, seja pouca ou muita. Utilizar este tipo de perguntas como catarse emocional  pode nos ajudar a mudar. 

3. “Não se pode encontrar a paz evitando a vida”

Atualmente estamos submergidos em um mundo onde o sofrimento deve ser evitado a todo custo, sendo que as religiões no mundo ocidental têm cada vez menos impacto, e muitas delas nem sequer servem para apaziguar a vida atual dos seres humanos. O mundo tomou um caminho sem opções alternativas para suportar a dor. Ele nos humilha e vivemos nele em silêncio, nos enchendo de medicamentos e ficando cada vez mais sozinhos.

Virginia Woolf é a autora desta terceira frase, e correntes atuais da psicologia, como a ACT, parecem lhe dar razão. É evitar para não sofrer diante do estresse excessivo, um dos males do nosso tempo: evitamos pela culpabilidade inerente diante da impossibilidade de não alcançar os modelos de sucesso e bem-estar. 

Mulher triste olhando pela janela do carro cheia de gotas

Estas palavras, no meio de muitas das frases que nos deixou Virginia Woolf, nos ajudam a enfrentar a vida e as situações das quais não gostamos. Nós somos seres sociais e precisamos disso. Ao evitar essas situações, você vai encontrar sempre dor e isolamento, nunca a paz. A solidão é maravilhosa quando é uma escolha, e não algo autoimposto por termos medo do mundo.

Texto por Cristina Roda Rivera