Qualidades da água que todos deveriam conhecer, de acordo com o Tao 

3 qualidades da água que todos deveriam conhecer, de acordo com o Tao 

julho 18, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Qualidades da água que todos deveriam conhecer, de acordo com o Tao 

“Seja como a água. Meu amigo, seja como a água que corre e nunca para, continua fluindo.” Este famoso comentário de Bruce Lee sobre o processo de sua autorrealização resume, na realidade, uma das três qualidades da água segundo o Tao, extraído da poesia de Lao-Tse. A sabedoria contida nesse texto é uma grande inspiração em tempos atuais.

Faz mais de 10 anos que o célebre filósofo Zygmunt Bauman nos deu o conceito de sociedade líquida. Com ele, definia uma modernidade de valores volúveis, de modelos e estruturas sociais mutantes e de realidades marcadas pela incerteza. Diante deste panorama tão flutuante, no qual é muito difícil se ater a algo, a única coisa verdadeiramente sólida são os nossos medos, que constituem um grande paradoxo.

“A bondade suprema é como a água. Beneficia todas as coisas sem contenção. Mantém-se firme no dia a dia. O ser flui pelas profundidades. É honesto em expressão. Quando há confrontação, se mantém gentil. No governo, não tem controle. Se há ação, se alinha com o tempo. Está contente com a sua natureza e, portanto, não pode ser criticado.”
-Lao-Tze-

Vivemos em um mundo em que poucas coisas se caracterizam pela estabilidade. Exige-se rapidez e flexibilidade na adaptação à cada mudança, nas rotações de trabalho, nas mudanças políticas, nas novas exigências sociais, nas variações nas formas de nos relacionarmos.

Em meio a estas dinâmicas, é compreensível sentir uma certa inquietude e insegurança. Por isso, referências intelectuais do mundo oriental, como Raymond Tang, palestrante e professor da Universidade de Guangzhou, nos animam a conhecer um pouco mais da filosofia do Tao.

Essa filosofia nos ensina a manter a calma em meio ao caos, nos ensina a obter equilíbrio e segurança em meio à incerteza líquida.

Barquinho de papel na água

Qualidades da água segundo o Tao: a humildade

A primeira das qualidades da água, segundo o Tao, é a humildade. É possível que, em um primeiro momento, seja um pouco complicado estabelecer uma relação entre esta dimensão psicológica e qualquer cenário aquático. No entanto, essa relação existe e é inspiradora. A água que flui calmamente por um rio, em serenidade e harmonia, nutre a natureza.

Quando está em seu nível normal, chega às margens, alimenta os animais e favorece o equilíbrio ideal para que tudo funcione. Entretanto, quando o rio torna-se arrogante e trás uma corrente maior, tudo muda. A força de sua corrente provoca estragos. Arrasta a terra, destrói o que está a sua volta e afeta todos os seres vivos.

  • Nós devemos integrar a qualidade da água caracterizada pela tranquilidade e humildade. Porque aquele que sabe exatamente o que é, e não deseja aparentar algo que não é, sempre vai preferir a calma em vez da violência. Mesmo que, às vezes, acabe em violência derivada de causas externas, no fim das contas volta à calma. Assim, vai sempre optar pela serenidade de promover um equilíbrio natural.

A água está atenta à oportunidade

Em qualquer dificuldade, sempre existe uma fresta por onde a luz da oportunidade pode passar. Não importa o quão agitado seja o nosso entorno, não importam as mudanças, as pressões ou o muro que, de repente, surge diante de nós para nos paralisar. Devemos ser como a água. Devemos encontrar a fresta, a fraqueza do nosso oponente ou a rachadura por onde se abre um novo caminho, uma nova oportunidade.

Entre as qualidades da água, segundo o Tao, está uma que nos lembra do quão ágil essa substância vital pode ser. Quando algo for restrito ou diante dela surgir um obstáculo que impeça a passagem, não devemos ter dúvidas: devemos aplicar uma força implacável para recuperar a liberdade e encontrar o ponto mais fraco desta dificuldade para conseguir vencê-la. 

Não podemos nos esquecer de que, de certo modo, a água é uma grande oportunista. A água nunca vai pensar duas vezes antes de mudar de forma, cenário ou posição para continuar avançando, e sempre que ela vislumbrar a melhor das opções de abrir caminho por onde passa, assim vai fazê-lo.

Gota de água em forma de coração

A mudança, uma opção que deve ser feita sem medo

Poucos elementos são tão inspiradores e tendem à mudança como a água. Pensemos nisso: quando a temperatura é extrema, pode se transformar em gelo ou em vapor. Não vai pensar duas vezes, também, antes de mudar de forma dependendo de onde esteja. Será um copo se estiver dentro de um, será insignificante se estiver sobre a rachadura de uma rocha, recuperará sua imensidão se voltar ao oceano e se transformará em alimento se um ser vivo estiver com sede e precisar dela.

A água tem poder e personalidade. Sabe e entende que nada é tão importante como proceder à mudança caso seja necessário. Porque o meio ambiente e a natureza são, muitas vezes, hostis, e quem não se adapta não sobrevive. Assumir estes princípios que as qualidades da água nos transmitem não só pode nos inspirar, como também pode nos ajudar de muitas formas. 

Mulher no mar

Albert Ellis, psicoterapeuta conhecido por desenvolver a terapia racional emotiva comportamental, disse uma vez que há um monstro que nos persegue no dia a dia. Um monstro recorrente, que veta por completo a nossa felicidade. É a nossa eterna ideia de que o mundo deve ser fácil. Sabemos que não é bem assim, mas mesmo assim continuamos sofrendo por cada dificuldade, por cada pedra no caminho, por cada mudança não prevista ou imaginada.

Devemos ser como a água. Assim como Bruce Lee disse, não podemos nos limitar a ver as qualidades da água apenas como uma mera e bonita metáfora. No fim das contas, nós também somos natureza. E a natureza é a expressão do Tao.

Recomendados para você