Aprender a se valorizar: 3 segredos muito importantes

3 segredos para aprender a se valorizar

Abril 9, 2018 em Emoções 0 Compartilhados
Como aprender a se valorizar?

Provavelmente você já escutou milhões de vezes que é preciso aprender a se valorizar. Se as circunstâncias da sua vida têm sido favoráveis, é possível que não tenha tido problemas para valorizar a si mesmo nem para compreender como isso funciona na prática. Mas se você passou por experiências que lhe fizeram duvidar de seu valor, é normal que você não saiba o que fazer para mudar essa situação.

Aprender a se valorizar significa encontrar o caminho para ver, assimilar e incorporar a ideia de que você é um ser humano que merece tanto quanto qualquer outro. Que você não fica atrás de ninguém em termos de valor e que é tão capaz de conseguir o que quer quanto os demais. Além disso, você não precisa de mecanismos e estratégias para se esconder, se defender ou confrontar os outros para proteger a si mesmo.

“Você mesmo, bem como qualquer outro no universo inteiro, merece seu amor e afeto”.
-Buda-

Não é nada fácil sair de uma autoestima pobre para uma fortalecida. Leva tempo, esforço e paciência. O bom é que é possível. Isso não significa que é possível chegar a um ponto em que uma pessoa esteja completamente feliz com o que é e foi. Muito menos que seja possível chegar a um nível em que não existam dúvidas. Trata-se de consertar alguns aspectos para que a falta de autovalorização não atrapalhe nossa vida. E esses são os 3 segredos para aprender a se valorizar.

1. Seja você mesmo: um segredo para aprender a se valorizar

A frase “Seja você mesmo” não é nada original. Mas como é possível torná-la realidade? Como podemos nos conectar com o nosso interior para nos mostrar como somos? O que procuramos não é lhe dar uma fórmula mágica, nem enganar criando falsas esperanças. Na verdade, ser você mesmo não é fácil, especialmente quando você vive experiências em que a única maneira de sobreviver é, justamente, deixar de ser você mesmo. Ambientes cheios de regras buscam isso: matar nossa vontade de ser.

Homem refletindo sobre seus limites

Quando, por exemplo, você cresceu ou esteve em um ambiente altamente crítico por muito tempo, não é fácil cultivar a autoconfiança. Muito menos aprender a se valorizar. Muito pelo contrário. O que você tem em mente é que não vale nada ou vale muito pouco, mas isso deve ser negado ou minimizado.

A única maneira de começar a ser você mesmo é permitir-se ser. Dito de outro modo: ajuda muito deixar de pensar tanto antes de agir. Antes de falar. Você já tem o chip que lhe diz: “Espere, não faça”. Ou “Espere, não fale”. De modo que o indicado é não prestar atenção nessa voz interior. Corra o risco de fazer as coisas sem planejar muito. De falar deixando que tudo flua conforme aparece em sua mente. Comece com situações pouco comprometedoras e depois arrisque-se mais. Você não conseguirá nada se não for perseverante.

2. Enfrente seus medos e, principalmente, seus fracassos

O fracasso é um conceito supervalorizado, especialmente entre aqueles que não sabem aprender a se valorizar. Se olharmos com cuidado, todos os seres humanos cometem milhares de erros e só podemos nos orgulhar de alguns poucos acertos.

O erro e o fracasso são o pão de cada dia. Há muita obsessão com o sucesso hoje em dia, e muitos acabam desenvolvendo pânico diante do fracasso. Eles esquecem que apenas em casos excepcionais um grande triunfo não é precedido por inúmeras tentativas fracassadas.

Se você se permitir ser invadido por medos, especialmente o medo de fracassar, é impossível aprender a se valorizar. É justamente nos momentos de fracasso que devemos exaltar nossas maiores virtudes, não nos momentos de sucesso.

Mulher após o pôr do sol

3. Aceite os limites sem reclamar

Não há nada melhor para aprender a se valorizar do que a humildade. A humildade não é abaixar a cabeça para tudo, mas entender a vulnerabilidade da condição humana. É também aceitar que somos humanos e cometemos erros. Se temos um forte amor próprio, isso não nos assusta, nem nos faz sentir inferiores.

Os limites pessoais e os limites impostos pela realidade existem. Ninguém pode escapar deles.  Não aceitar essa condição ou as dificuldades que sempre aparecem na conquista de nossos propósitos é uma atitude que reflete um narcisismo exagerado. Por que a realidade nos daria um lugar especial em seus planos somente para que tivéssemos um caminho mais fácil para alcançar o que queremos?

Esse tipo de narcisismo não é excessivo. É um narcisismo que dá um valor falso. O narcisismo é olhar-se de fora e admirar o que se vê. O amor próprio é validar de dentro tudo o que somos. As melhores facetas e as demais também. Não tem a ver com o que é visto de fora, mas com o que vemos em nosso interior.

Silhueta de mulher fragmentada

Aprender a se valorizar é uma tarefa que todos deveríamos empreender. Não é uma nova moda. Grande parte de nosso bem-estar nasce desse sentimento de autoaprovação. Se não valorizamos a nós mesmos, é hora de parar e repensar o caminho.

Recomendados para você