4 mitos sobre como deve ser um relacionamento de casal

· janeiro 21, 2016

Os relacionamentos de casal são influenciados por muitas mensagens a respeito de como deve ser este tipo de relação. São mensagens que incorporamos sem questionar.

Por todos os lados chega muita informação de como deve ser um relacionamento de casal:  através da literatura, do cinema, da música, da televisão, dos anúncios, etc.  Muitas dessas ideias ficam aprisionadas em nossas mente, e no fim das contas, na nossa conduta.

Estas crenças contribuem para criarmos certas expectativas, mantendo relacionamentos que não se assemelham ao que esperávamos, de modo que acaba sendo inevitável cair em frustração.

Estes são alguns dos mitos mais comuns:

1. A sua metade da laranja existe e você alcançará a sua plenitude se a encontrar

É muito comum acreditar que todos temos uma metade da laranja, uma pessoa que irá nos complementar, com a qual estaremos sempre bem e encontraremos a nossa plenitude.

É um erro querer encontrar uma pessoa que seja a que nos faça alcançar a nossa plenitude. Com essa crença estamos carregando de responsabilidade a outra pessoa, no sentido de que seja ela a que nos complete.

Não existe o amor perfeito nem pleno.  Pensando assim, a única coisa que você irá conseguir é se frustrar e com isso obter infelicidade e problemas de relacionamento.

Assim que surgirem os conflitos e diferenças próprios do relacionamento de casal, você irá pensar que não está com a pessoa certa. Que você já não sente a mesma coisa pelo seu companheiro. Assim, você verá a relação como um problema e partirá para a solução mais rápida, que é acabar com ela.

casal-conversando

Quando já não sabemos o que fazer, colapsamos e usamos esta solução em relacionamentos que poderiam se reforçar, seguir em frente e amadurecer frente a situações que são um desafio.

Manter um relacionamento de forma saudável não supõe que você estará cheio de plenitude de forma constante. É inevitável viver momentos difíceis onde o compromisso e a comunicação são postos à prova. É a única forma para que um relacionamento de casal se consolide e amadureça.

2. O meu companheiro deve saber o que quero sem que eu precise dizer

Esta é outra crença muito comum que está na mente de muitos de nós, e poucas são as vezes em que percebemos que esta ideia é absurda e pouco realista.

Às vezes acreditamos que o nosso companheiro tem poderes de adivinhação e deve saber o que precisamos, o que queremos e esperamos dele, sem que seja necessário dizê-lo. Além disso, se ele não perceber ficamos bravos, e assim começa um longo percurso de conflitos que deterioram o relacionamento.

Pouco a pouco vamos envenenando a nós mesmos, não expressando as nossas necessidades, achando que o nosso companheiro é quem deve percebê-las.

3. A sexualidade tem que ser algo espontâneo no casal

As crenças de como devem ser as relações sexuais no relacionamento de casal são outro ponto a destacar nos mitos que se sustentam.

O mito romântico de que tudo deve fluir e se dar no momento perfeito é um grande conto que não tem nada a ver com a realidade. Para manter boas relações sexuais é preciso comunicação, compartilhar gostos, opiniões e crenças a respeito.

Aprender juntos sobre como vai evoluindo a relação sexual do casal. Fazer novas propostas, inovar e acender a chama da paixão, sempre que for possível; respeitando os tempos e as necessidades de cada um.

Há muitas situações no casal que requerem um planejamento para manter encontros sexuais; seja em função do cansaço, por dispor de pouco tempo ou por ter uma vida familiar com crianças.

casal-apaixonado

Há situações em que, se você for esperar para que as relações venham de forma espontânea, estará de novo reprimindo as suas necessidades deixando que o relacionamento esfrie e se torne monótono.

4. O amor é suficiente para solucionar os problemas do casal

O amor é necessário, mas não é suficiente para que um relacionamento de casal se mantenha. Muitos outros fatores intervêm. O principal, sem sombra de dúvidas é o cuidado mútuo com a relação e o amor.

Os conflitos são algo natural em um casal, vão surgindo à medida que o relacionamento avança. São saudáveis se forem trabalhados com respeito e sinceridade.

Podem existir relacionamentos nos quais haja muito amor, mas se este não for cuidado, por diversas circunstâncias, é inevitável que o relacionamento termine fracassando. A relação não se mantém se não for igualmente importante para ambos, e se não houver uma implicação real, considerando a outra pessoa como uma prioridade.

Estes mitos fazem parte das nossas crenças mais arraigadas de como deve ser um relacionamento de casal, que, mesmo que tenhamos refletido sobre elas, podem ser difíceis de assimilar e quebrar. Isto requer um grande esforço, envolvimento e trabalho pessoal; sair desse modo automático de agir.