5 chaves da assertividade

· abril 15, 2018

As chaves da assertividade são, na verdade, muito simples. Elas se baseiam no respeito, na humildade e no desejo de viver melhor. Obviamente aprender a ser assertivo exige um esforço, mas isso traz muitas recompensas. Certamente iremos alcançar uma existência menos complicada e mais proveitosa.

A assertividade é definida como a habilidade de nos comunicarmos de maneira franca, direta e gentil, sem coagir ou causar nenhum mal aos outros e também sem omitir ou deixar de expressar o que realmente queremos dizer. Trata-se de um atributo que se situa entre a passividade e a agressividade comunicativas. Na passividade há inibição. Na agressividade, silenciamento ou anulação do outro. Bem no ponto médio está a assertividade.

A maneira como nos comunicamos com os outros e com nós mesmos, em última análise, determina a qualidade de nossas vidas”.
-Anthony Robbins-

Conhecer e aplicar as chaves da assertividade nos ajuda a expressar o que desejamos. Também nos ajuda a dizer “não” e a negociar diferenças, sem agredir ninguém. É uma habilidade essencial para ter e preservar uma boa comunicação com os outros e, portanto, as boas relações humanas. As cinco chaves para conseguir isso são as seguintes.

1. Flexibilidade, uma das chaves da assertividade

O normal é que ao longo da vida aprendamos a nos comportar de forma passiva ou agressiva na comunicação. Há muitas nuances nisso, mas geralmente um dos dois extremos predomina. Com o tempo, percebemos que tanto um quanto o outro nos trazem problemas.

Cada mente é um universo

Este é precisamente o momento em que a flexibilidade deve entrar em jogo, uma das mais importantes chaves da assertividade. Ser flexível significa percebermos que, assim como aprendemos a nos comunicar de forma deficiente, também podemos aprender a ser assertivos. No entanto, só podemos mudar quando entendemos que podemos moldar a nossa conduta para sermos melhores e mais felizes.

2. Um esquema mental adequado de resposta

Temos muito esquemas mentais para tudo. Os mais importantes, em qualquer caso, são aqueles que se referem a nós mesmos. Eles incluem uma maneira particular de vermos e tratarmos a nós mesmos. Há também o conjunto de expectativas em relação ao nosso desempenho.

Quando o esquema mental em relação a nós mesmos é negativo, é muito difícil nos comunicarmos de forma adequada. Ou esperaremos que nos imponham ou esperaremos impor. Uma das chaves da assertividade é precisamente a de construir uma boa atitude perante o que somos e o que fazemos. Isto nos permitirá responder às demandas externas de uma forma mais inteligente.

3. Saber delimitar os problemas

Pensar nos problemas pode não ser agradável, mas é necessário. Para muitos, é um exercício sem muito sentido, já que essas reflexões só servem para que se sintam ainda mais abatidos. No entanto, o que se deve evitar não é pensar nas dificuldades, mas analisá-las apenas de forma geral.

Desenho abstrato e colorido

Uma das chaves da assertividade é a capacidade de especificar os problemas. Ou seja, delimitá-los. Saber onde eles surgem, com quem e como. Ao pensar neles dessa maneira, eles ficam muito mais fáceis de gerir. Só o fato de fazer o exercício de delimitação já ajuda. Consequentemente, facilita que sejamos mais assertivos para resolvê-los.

4. Ter consciência dos direitos próprios e os dos outros

O respeito é a base de uma boa comunicação e, portanto, de um bom relacionamento com os outros. O respeito significa ser capaz de reconhecer a dignidade do outro, mas também a própria. Isto, por sua vez, se manifesta como consideração diante das necessidades próprias e alheias. Também como desejo de aceitar cada pessoa como realmente é.

Uma maneira de cultivar esse respeito, próprio e alheio, é tendo consciência dos direitos que abrigam a todos. Esses direitos estão ligados precisamente à consideração, à aceitação e à preservação da dignidade.

5. Reduzir ou eliminar os comportamentos defensivos

Os comportamentos defensivos nascem a partir dos preconceitos e do medo. Eles correspondem a todas as formas de agir inspiradas pelo medo de ser atacado, questionado ou confrontado. São um resultado da insegurança. Quem se sente seguro de si mesmo não tem problema em encontrar pontos de vista diferentes ou formas de viver que não se pareçam com a própria.

Mulher de olhos fechados

O problema é que os comportamentos defensivos muitas vezes fazem com que a pessoa seja pouco preocupada e até agressiva em relação aos outros. A diferença é assumida quase como uma afronta. Não se vê nela uma oportunidade de enriquecimento pessoal, mas uma ameaça contra quem somos. Reconhecer e repensar esses comportamentos defensivos é uma das chaves para a assertividade.

Quando aprendemos a ser assertivos, a vida se torna mais fácil. A assertividade é uma habilidade determinante para superar conflitos, que inevitavelmente encontramos com frequência. Com ela, aprendemos a aproveitá-los ao máximo e transformá-los em uma oportunidade para crescer.