5 dicas para vencer a resistência à mudança

fevereiro 3, 2019

Gostemos ou não, a vida é dinâmica. Nada permanece estático e por isso o que hoje é de um jeito, amanhã pode ser muito diferente. Mesmo assim, vencer a resistência à mudança é uma dificuldade monumental para muitas pessoas. Na verdade, alguns se empenham muito para garantir que nada mude.

A maioria de nós quer melhorar e age considerando este desejo como um objetivo transversal. Contudo, também existem momentos em que podemos pensar em pagar ou não o preço que este crescimento implica. Talvez seja o medo de fracassar ou o medo do desconhecido, mas existe uma força que age como resistência à mudança. Por isso, é possível permanecer por muito tempo no mesmo ponto, mesmo que não estejamos confortáveis com ele.

A resistência à mudança é a força que nos impulsiona a permanecer na zona de conforto. Mudar implica desarrumar a nossa rotina e o nosso mundo interior. Também implica acariciar o novo e se desafiar. Isso, certamente, pode causar um certo temor, mas sempre há um caminho para tudo, e o de vencer a resistência à mudança também tem suas próprias estratégias. Aqui estão cinco delas.

“Uma pequena mudança hoje irá levá-lo a um futuro radicalmente diferente”.
-Richard Bach-

1 – Objetivos emocionalmente atraentes

Na hora de mudar, o que mais vai pesar na sua decisão não são os motivos que impulsionam a transformação, mas sim as emoções que os acompanham. É possível que você sinta que “precisa” mudar alguma coisa, mas o desejo de fazê-lo não é forte o bastante. Nesses casos, é muito provável que você não consiga sustentar por muito tempo a sua decisão de mudança.

Por isso, é muito importante examinar bem o que você realmente deseja. Quando uma meta o atrai genuinamente, é muito mais fácil superar a resistência à mudança. Agora, se o objetivo é muito importante para a sua vida, mas você não consegue engajar suas emoções, talvez você precise examinar mais detalhadamente o que há no fundo da questão. O que está dificultando esse desejo de mudança?

A chave da mudança

2 – Estabelecer micro-objetivos específicos

É muito importante determinar um objetivo claramente definido. Algo muito genérico não ajuda a vencer a resistência à mudança. Muito pelo contrário, quanto mais difusa for a meta, mais difícil será focar os seus esforços para a sua realização. Por isso, a primeira coisa é definir o objetivo.

A segunda coisa é dividir esse objetivo em micro-objetivos. Se forem muitos, pode significar que você ainda não conseguiu delimitar suficientemente a meta principal. A ideia é que você não precise realizar muitas tarefas para chegar à meta final.

Subdividir esse processo lhe permite processá-lo de forma mais próxima e fácil de lidar. Também ajuda a identificar claramente as suas conquistas e se premiar por elas.

3 – Construir uma visão para vencer a resistência à mudança

As pesquisas realizadas neste campo mostram que os argumentos racionais não são suficientes para superar a resistência à mudança. É possível ter as melhores razões do mundo para mudar, mas estas não se transformam automaticamente em motivações. Por isso, é preciso dar um passo além.

É aconselhável construir a visão do que vai ser após concretizar a mudança. Visualizar o que você vai ter e também o que vai deixar de ter se não avançar no processo. Em outras palavras, se projetar no futuro. Como serei, ou como será a minha vida se eu conseguir mudar? Isso pode ser uma grande motivação.

Ter coragem de mudar

4 – Conquistas de curto prazo

Além de subdividir a meta em micro-objetivos, o ideal é que estes últimos sejam de curto prazo. Em outras palavras, que não exijam muito investimento de tempo. Se você deixar passar muito tempo entre a definição do objetivo e a sua realização, a motivação cairá.

Pelo contrário, quando no curto prazo já é possível apreciar os primeiros resultados, a atitude muda. Você prova para si mesmo que, efetivamente, está modificando alguma coisa na sua vida. Isso, por si só, é algo que impulsiona a continuar em frente.

5 – Mudanças que fortaleçam a identidade

O fator de identidade também é muito importante na hora de planejar uma mudança. Muitas vezes resistimos a introduzir uma transformação em nossas vidas simplesmente porque, no fundo, não nos identificamos com ela. De fato, há momentos em que sentimos que essa transformação vai contra o que somos.

Isso acontece porque às vezes existem pressões do entorno. Contudo, o que para alguns é uma meta louvável, talvez para você não seja. Se nos propusermos a mudar apenas para satisfazer as expectativas dos outros, muito provavelmente nossos esforços estarão destinados ao fracasso.

Vencer o medo

Estas são algumas das estratégias para vencer a resistência à mudança. Em todas elas há, implicitamente, um fator determinante: desejar verdadeiramente essa mudança.

Em geral, as pessoas são sempre capazes de dar uma forma real, de um jeito agradável, aos seus próprios desejos. Convém então começar por aí, isto é, por se perguntar o que você quer realmente conseguir.

  • García, S., & Dolan, S. (1997). La dirección por valores (DPV): el cambio más allá de la dirección por objetivos. McGraw-Hill.