5 lições que podemos aprender com as abelhas

· dezembro 27, 2018

A vida é um conceito que engloba uma multiplicidade de manifestações. O ser humano é somente uma delas. Ele se destaca por sua capacidade de abstrair e transformar sua realidade, mas há muitas outras espécies que também se sobressaem, ainda que por outros aspectos. Há até mesmo insetos que são mais bem-sucedidos que nós em algumas tarefas. Podemos, por exemplo, observar muitas coisas e aprender com as abelhas.

As colmeias são uma extraordinária estrutura social. Trata-se de uma comunidade muito harmônica e eficiente que faz um ótimo uso do trabalho em equipe. Talvez nenhuma sociedade humana tenha alcançado o mesmo nível de harmonia e coerência. Esse é um dos pontos essenciais que devemos ter em mente na hora de aprender algo com as abelhas.

Esses pequenos insetos são determinantes para o equilíbrio da vida na Terra. Muitos outros seres vivo, inclusive nós mulheres e homens, dependem do bom funcionamento das colmeias e de sua atividade. Basicamente tudo que provém das abelhas é positivo e seus benefícios são inúmeros. Vejamos mais detalhadamente a seguir sobre o que estamos falando, e tudo que podemos aprender com as abelhas!

 “Se as abelhas desaparecessem da superfície da Terra, o homem teria apenas quatro anos de vida: sem as abelhas não há polinização, nem plantas, nem animais, nem homens”
-Albert Einstein-

1. Trabalho em equipe, uma habilidade que podemos aprender com as abelhas

Em um mundo dominado pelas abelhas, nunca falaríamos no singular. Cada uma delas tem uma importante contribuição individual, mas o objetivo de todas é sempre o bem comum. As colmeias são estruturas sociais perfeitamente organizadas em que cada indivíduo desenvolve uma tarefa que é delegada a ele, de maneira sincronizada com todo o resto da população.

No nosso mundo dos seres humanos, todos nós também dependemos dos outros. Criamos, no entanto, uma ilusão chamada individualismo. Ainda que até a roupa que estamos usando agora, e o alimento que comemos agora pouco só chegue até nós graças ao trabalho de inúmeras outras pessoas, muitas vezes pensamos que conseguiríamos viver sem depender de mais nada nem ninguém.

Abelhas na colmeia

2. Assumir um papel e cumpri-lo integralmente

Cada abelha cumpre com um papel já determinado para ela na sua colmeia. Não há confusão em relação às funções: cada abelha tem a sua e sabe exatamente o que deve fazer, e o faz perfeitamente. Essa pequena sociedade de insetos é bastante complexa. Geralmente, há uma abelha rainha, os zangões e as abelhas operárias. Essas últimas, no entanto, ainda possuem divisões internas como enfermeiras, guardiãs, coletoras, etc.

O ser humano deveria aprender com as abelhas que existe um plano coletivo, e para ele funcionar cada pessoa deve desempenhar seu papel. Claro que no caso dos seres humanos há um pouco mais de complexidade, porque podemos e muitas vezes precisamos mudar de papel com relativa facilidade e frequência. Enquanto estivermos, no entanto, desempenhando uma tarefa específica, o mais adequado é nos concentrarmos exclusivamente nela. Como as abelhas fazem.

3. Cuidado mútuo

Quando uma abelha recolhe o néctar das flores, ela não faz isso apenas para si mesma. Ela faz isso porque é fundamental para a sobrevivência da colmeia como um todo. As abelhas coletoras vivem aproximadamente 30 dias. O tempo que é necessário para produzir o mel é de dois meses. Então muitas abelhas não chegam nem a ver o fruto de todo o seu trabalho, de toda a sua vida. Sua generosidade é impressionante.

Abelha pousando em flor

No mundo de hoje em dia, os seres humanos dificilmente têm essa generosidade dentro de si, raramente pensando no coletivo antes de pensar em si mesmos.  Tanto é assim que tornamos a vida na Terra impossível para várias espécies. Do mesmo modo, há muitas pessoas que pensam que é aceitável ou até mesmo desejável passar por cima de outras se há possibilidade de tirar pessoalmente algum benefício como consequência.

4. Uma memória impressionante

As abelhas são pequenos insetos com um cérebro prodigioso. Muitas vezes elas precisam se locomover por distâncias muito longas, e ainda assim encontram seu caminho de volta para a colmeia. Elas identificam pontos de referência que permitem a recordação perfeita do seu trajeto. Os cientistas já descobriram, inclusive, que as abelhas possuem habilidades matemáticas básicas.

O ser humano deveria entender que nenhuma espécie animal é inferior a outra, como muitos pensam. A evolução não é uma escada de superioridade, é uma árvore cheia de ramos diferentes. É possível que uma abelha supere muitas pessoas no que diz respeito à capacidade de memorização. Quantas pessoas não precisam anotar tudo em um papel para se lembrar do que precisam? As abelhas nos ensinam a admirar a vida em todas as suas formas.

5. A equidade e o sentido de justiça

Os zangões dentro da colmeia são os machos que têm o papel de fecundar a rainha. Eles não precisam trabalhar como as abelhas operárias, mas isso não significa que seus privilégios não tenham um alto preço nessa sociedade.

Abelhas

Por um lado, só o mais forte dentre todos eles tem sucesso no objetivo de fecundar a rainha. Mas, ao alcançar sua meta, morre. Os demais são expulsos da colmeia, e vagam por aí até serem aceitos em outra. Além disso, se as condições de vida ficam difíceis dentro da colmeia, como no inverno por exemplo, são os zangões que devem partir, e isso é basicamente uma condenação à morte.

Essa forma de organização implica um certo senso de justiça coletivo. Os privilégios e os deveres são repartidos de uma forma igualitária. Temos muito o que aprender com as abelhas para o mundo humano, esse no qual a injustiça e a desigualdade são a norma na maioria dos lugares para os quais olhamos.