As 7 chaves para manter a energia, segundo o Zen Budismo

· janeiro 20, 2019
Manter a energia é essencial para ter uma boa saúde e uma atitude positiva em relação à vida. Não é fácil, pois essa energia tende a ser dilapidada em situações ou comportamentos de desperdício.

Chamamos de “energia” aquela força vital que depende tanto de uma reserva física quanto de um estado emocional. Manter a energia em um mundo como o nosso não é fácil. Além disso, existem milhares de fatores que a reduzem, como o estresse e os problemas cotidianos.

É por isso que a sensação de cansaço é relativamente frequente. Terminamos cada dia com a sensação de termos carregado uma tonelada de peso nas costas. A única coisa que queremos é não fazer nada, para mantermos a energia que nos resta.

No entanto, talvez nem tenhamos feito muitas coisas durante o dia. Muitas vezes a rotina é suficiente para nos esgotar. Por que isso acontece? Talvez existam fatores que nos impedem de manter a energia e ela acaba sendo desperdiçada em questões que poderiam ser resolvidas facilmente. Existem algumas chaves para evitar que isso aconteça. Estas são sete delas.

“Todos nós sabemos que existem dois tipos de energia: a contagiosa e a absorvente”.
– Esteban Navarro –

Conselhos para manter a energia

1. Não ter dívidas

Pagar as dívidas contraídas no prazo correto é algo que atormenta qualquer um. Não é apenas a sensação de ter um pagamento pendente a ser feito, mas também a percepção psicológica de estar em falta ou de ter feito algo errado.

Para manter a energia em um nível adequado, é melhor evitar as dívidas. Se isso for impossível, pagá-las deve ser uma prioridade inquestionável. Se não o fizermos materialmente, em muitos casos o fazemos psicologicamente.

Florescimento do dinheiro

2. Cumprir as promessas

As promessas feitas têm um efeito semelhante ao das dívidas, embora não haja uma urgência tão grande. Antes de nos comprometermos a fazer algo, devemos pensar bem se somos capazes de cumpri-lo ou não. Prometer e não cumprir gera uma carga psicológica relevante.

Além disso, as promessas não cumpridas criam um conflito com as outras pessoas. É um problema desnecessário que nos impede de conservar a nossa energia. Dessa forma, ou cumprimos o que prometemos ou admitimos que é impossível para nós e negociamos uma compensação.

3. Descansar

Infelizmente, no mundo de hoje, temos que lembrar sempre da importância do descanso. Parece um assunto óbvio, mas é alarmante ver como inúmeras pessoas se esquecem disso. Elas simplesmente se sentem condenadas a fazer, fazer e fazer, sem nenhuma pausa.

O repouso é um meio excelente para manter a energia. Devemos cuidar e enriquecer os nossos momentos de descanso ao máximo. Essa é a base do nosso bem-estar físico, emocional e cognitivo. Se não descansarmos o suficiente, simplesmente não poderemos funcionar adequadamente.

Mulher observando a natureza

4. Organizar-se

Nem sempre temos tempo para repensar as nossas atividades e avaliar se as estamos realizando da maneira mais prática. Muitas vezes as coisas vão acontecendo e nós vamos assumindo-as da forma como elas acontecem.

Nós sempre podemos nos organizar melhor. É tudo uma questão de ter tempo para organizar as nossas ideias. No entanto, é preciso encontrar métodos e mecanismos mais funcionais. É bom fazer isso periodicamente para tirar o máximo proveito.

5. Cuidar da saúde

Para manter a energia em níveis equilibrados, é absolutamente essencial que cuidemos da nossa saúde. Isso inclui hábitos saudáveis ​​e o monitoramento atento e tranquilo de qualquer problema de saúde que se apresente.

Os hábitos saudáveis ​​têm a ver com a nutrição, exercícios físicos e descanso. Essas três áreas são essenciais para manter uma vida saudável. Faça também um check-up regular, especialmente se sentir novos sintomas ou se tiver algum desconforto. Não se assuste e siga o tratamento que o médico apontar, se estiver doente.

Alimentação saudável

6. Enfrentar as situações difíceis

As tentativas de escapar das dificuldades, quando não há outra escolha a não ser enfrentá-las, acabam ampliando-as e dificultando a sua gestão e resolução. Podemos fechar os olhos aos problemas, mas eles voltarão, seja na forma de ansiedade, seja por causa das consequências concretas que geram.

Uma vez que estamos conscientes de que há um problema sério em nossa vida, surge uma grande preocupação. Essa inquietação não se dissipa porque não desaparece sozinha. Ela permanece lá, gravitando sobre as nossas vidas e roubando mais energia do que supomos. Assim, quanto mais rápido assumirmos um problema, mais possibilidades ou alternativas teremos para encontrar uma solução.

7. Aceitar e perdoar

Poucas atitudes nos roubam mais energia do que resistir à realidade. No entanto, isso quase nunca se ajusta aos nossos desejos, por isso é absurdo permanecer em uma posição de negação ou ignorância parcial. Se estamos interessados ​​em transformar a nossa realidade, o primeiro passo é aceitá-la da maneira como ela se configura.

Dessa forma, perdoar faz parte dessa aceitação. Perdoar a nós mesmos por errarmos é admitir que somos humanos, que nos enganamos e que isso não diminui o nosso valor. Perdoar os outros é aceitar que eles também incorrem em falhas, mas isso é apenas parte da sua realidade. Guardar rancores ou nos castigar apenas tira a nossa vitalidade.

Para o zen budismo, a energia é um bem absoluto que deve ser protegido e conservado. Todas essas recomendações para manter a energia são um guia que certamente trará muitos benefícios para aqueles que o seguirem.

  • Calle, R. (1999). Ante la ansiedad: una propuesta para mantener la serenidad y evitar el estrés (No. 616.89 C132a Ej. 1 011205).